domingo, 30 de julho de 2017

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Muito lindo....

By Dr. João Carlos Resende: " Semana curta e cansativa, coração agitado, mente num turbilhão. Deus hoje resolveu me visitar. Ele tinha um corpo franzino, rosto marcado pelo sol, mãos com sutil aspereza de quem trabalhou pesado a vida toda e um cheiro de lavanda misturado com as cinzas de um fogão de lenha. Ele falava de um jeito bonito e simples, arrastado e vindo lá do Goiás. Vestia a melhor roupa que tinha, colorida, bem cuidada, mas respingada da sopa que serviram antes da consulta. O sapato de algodão listrado não combinava com a blusa florida... ah, mas Ele era Deus e podia tudo. Seus olhos fugiam dos meus. Como podia Deus se fazer pequeno assim? Logo lembrei que Ele sabe muito bem fazer isso. Lembrei que Ele foi homem, é pão e será sempre grande, pequeno Deus. Parecia envergonhado, ansioso pela notícia, infelizmente não tão boa. Estava cansado da viagem, da sala de espera lotada e de anos de luta contra o câncer. Diante da grandeza à minha frente, aumentei minha pequenez para que pudesse caber na menor brecha que ousei adentrar naquela vida. A doença mudou, progrediu e voltou a judiar. Aquele remédio que tanto cansava e nauseava aqueles poucos quilos tão frágeis se faria necessário mais uma vez.
"Mas, Dotô. Não diga isso."
Seu rosto se entristeceu e quanto me doeu ver Deus sendo gente ali diante de mim.
"D. Socorro, não fica triste. O doutor aqui tem coração mole e pode chorar."
Olhou para mim e pude ver o brilho dos olhos sábios dizendo: "Vou chorar em casa, para o senhor não olhar."
Como aquilo me engrandecia. Como pode Deus me visitar assim. Ali acabou meu cansaço. Ali só coube emoção. Examinei aquele corpo pequeno. Coração forte e barulhento, pulmões que sopraram em mim o sopro da vida e contemplei o mais belo sorriso com as cócegas geradas ao palpar seu abdome. Pensava comigo o quanto eu queria, com minha mão, retirar cada um daqueles tumores e ao mesmo tempo me emocionava porque, com aquela visita, Deus retirava cada um dos meus, não físicos. Minha prescrição seria o que menos importava ali, mas assim mesmo a fiz.
"D. Socorro, vou prescrever aquele remédio chatinho, mas para tentar controlar a doença da senhora."
Humilde, respondeu: "É o jeito."
No final de tudo, depois de eternos poucos minutos de graça, Deus olhou para mim e disse: "Dotô, o resto pode estar doente e não prestar, mas meu coração é grande e bom." Ah, Deus! Que coração.
Já emocionado, apenas pedi um abraço e agradeci por tudo aquilo. Ganhei mais. Ganhei uma foto, um carinho no rosto e a certeza de que Deus sempre está comigo e sempre me visita de diversas formas. Hoje Ele me visitou, me curou e me deu força para continuar. Ironicamente, saiu daquela sala e falou: "Fica com Deus, Dotô."
"Estive com Ele, D. Socorro."
(Foto e contexto autorizados pela paciente). 💫💫💫

quarta-feira, 8 de março de 2017

Sobre filhos ou filhas

Todos sem exceção são filhos e filhas da vida, almejando por si próprios seus caminhos
Vem através de ti, mas não de ti E embora estejam contigo, a ti não pertencem.
Podes dar-lhes amor mas não teus pensamentos,Pois que eles tem seus pensamentos próprios.
Podes abrigar seus corpos, mas não suas almas Pois que suas almas residem na casa do amanhã, Que não podes visitar se quer em sonhos. Podes esforçar-te para que te pareçam ao menos um pouco, mas não procureis faze-los semelhante a ti, Pois a vida não recua, não se retarda no ontem.
Tú és o arco do qual teus filhos, como flechas vivas, são disparados... Que a tua inclinação na mão do Arqueiro seja para alegria.

Khalil Gibran

quarta-feira, 1 de março de 2017

Depois que entendemos que a felicidade depende somente das nossas buscas e escolhas, passamos a ver a vida com bons olhos, observamos que não é necessário acumular tanto peso e muito menos deixar que toquem nas feridas que já foram cicatrizadas. Enxergamos claramente que ninguém será feliz por nós e que chorar, limpa sim a alma, mas que sorrir ilumina o caminho. É de cor que a vida precisa e estou disposto a fazer arco-íris se preciso for. Renasço todas às vezes que me percebo prioridade. E ninguém dirá que sou pouco, porque sou muito mais do que olhos que viram, sou o meu próprio amanhã!
Vitor Ávila

terça-feira, 22 de novembro de 2016



Muito tempo sem dar uma rabiscada...rs...mas a imagem mereceu o esforço

POESIA SOBRE IMAGEM

Soltando Lua

Encantada
Ela com suas mãos controlava a Lua
Entusiasmada
Empinou-a sem medo
E como se fosse uma pipa, dibicou-a
Até que novamente deu linha
Então de tão obcecada
Segurou-a firme
Assim, como se amansa um touro
E ali ficou, impassível
Admirando-a
Por ora
A poesia é minha
Enquanto que a Lua
Propriedade dela

Elcio Tui