sexta-feira, 25 de julho de 2008

LUI COIMBRA - CD OURO E SOL

Já conhecia o trabalho do Lui Coimbra ao lado de artistas como Zeca Baleiro, Zé Ramalho, Ana Carolina e outros, mas, descobri que ele sozinho também faz verão...muito bom o show ao lado da harpista Cristina Braga (QUE TAMBÉM ARREBENTA) onde cantou a belíssima Ouro e Sol. Valeu a pena...melodias e letras. Segue a letra desta música que deu nome ao CD e logo depois a entrevista...

Ouro e Sol

Lui Coimbra
Composição: Zeca Baleiro - Lui Coimbra

Quando o sol chegar
E acender o céu
Claro céu sem fim
Flores sem razão
Vão despetalar
Você vai lembrar de mim

Vai lembrar de mim
Quando azul sem fim
O mar e o vento oeste
Murmurarem sim
Vai lembrar de mim
Nosso sonho de ouro e sol

Era carnaval
E no meu quintal
Soprava o vento oeste
Na janela, luz
Dias tão azuis
Nós andamos sobre o sol

Sem olhar pra trás
Parecendo iguais
Ao sol da tarde oeste
A rolar no chão
Nosso coração
Se tingiu de ouro e sol

Nem juras de felicidade
Nem ilusões de paraíso
Um sorriso e pra sempre levar
Nosso olhar de ouro e sol

Os anos se vão
Dias passarão
Tardes assim
O sol se distrai
Vem a noite e cai
Você vai lembrar de mim

Vai lembrar de mim
Quando em seu jardim
Soprar o vento oeste
Um velho jasmim
Claro céu sem fim
Nós andamos sobre o sol

Entrevista:

Por Francinne Amarante

O carioca Luis Cláudio Coimbra, conhecido como Lui Coimbra, além de tocar vários instrumentos de cordas, revela-se um cantor e compositor de grande talento. Quem já assistiu ao show de Lui sabe que moço faz “milagre” no palco.Em 1997, o artista iniciou a carreira solo em um show realizado no Teatro do Centro Cultural Itaú (SP), com o lançamento do CD “Ouro e Sol”, resultado de uma parceria com vários amigos músicos.

Entrevista RelâmpagoMúsica.

Início:Aos dez anos ganhei um violão do meu pai e descobri essa paixão pela música, tocava no colégio, meio autodidata. Aos dezoito anos tive uma base teórica, tranquei a matrícula na faculdade de agronomia e fui tocar violoncelo; quando percebi estava tocando com Caetano Veloso, Aquarela Carioca, Vagner Tiso, Zeca Baleiro, Ana Carolina e fazendo turnê pela Europa.

Disco solo:Sempre quis mostrar esse lado de interprete, no momento estava maduro pra cantar e encarar esse lado, e fui aos poucos fazendo o disco com parceiros entre uma turnê e outra. Sou muito detalhista e queria trazer coisas que pareciam estar distantes, a popularidade brasileira das cantigas. O disco ficou pronto em quatro anos.

O nome do CD:“Ouro e Sol” é uma busca pela riqueza possível, pelo prazer puro, colorido e dourado como o Sol. É também o nome da versão que fiz com Zeca Baleiro para a canção “Fildes of Gold” de Sting.Instrumentista:Toco Cello, Rabeca (que ganhei de Alceu Valença), charango (um instrumento Inca), guitarra portuguesa, violão, teclado...

Os instrumentos se adaptam as nossas afinações, interesses e necessidades.

Ídolos:Naná Vasconcelos, Hermeto Pascoal, Ceumar, Milton Nascimento, Gil, Caetano, Chico César, Zeca Baleiro, tem muitos... Esses artistas são ‘a alma’ da música brasileira.

Processo de composição musical:Às vezes acordo com uma música na cabeça, mas depende muito do estar disponível para captar o que já está à disposição, as coisas estão aí, basta sintonizar e isso é uma questão de exercitar.

Cena musical brasileira: Estamos num momento muito criativo da MPB. Tem a cena independente que é um caminho, o músico está se tornando um empresário da sua arte, a internet ajuda bastante.

Mensagem da sua obra:Uma mensagem otimista de quem acredita na nobreza da música brasileira, além da parte espiritual que está sempre presente em mim e precisa ser reverenciada.

15 comentários:

  1. Elcio e suas boas dicas musicais.
    Fiquei curioso com o trabalho do Lui.

    Deixo um forte abraço, professor.
    Germano

    ResponderExcluir
  2. só os homens nobres sabem dar valor a quem merece, por isso te parabenizo por ser este homem. valeu amigo poeta. abçs.

    ResponderExcluir
  3. Lui Coimbra...Não o conhecia...Mas, também conheço pouco de música... Vou começar a prestar atenção nesse nome!

    Beijos de luz e um domingo feliz!!!

    ResponderExcluir
  4. Conheço pouco do Lui. Preciso me 'aprofundar' mais no trabalho dele.
    Gosto muito de "Serenata de Areia" e como muito apreciadora de Cirandas gosto da levada moderna de "Minha Ciranda"
    Ele carrega muito de Zeca Baleiro, talvez pela convivência. E gosto de Zeca...

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. LUI COIMBRA...
    ESSE É NOVIDADE PRA MIM.. TAMBÉM QUASE NÃO TENHO ESCUTADO MAIS NADA.. SÓ DESENHANDO.. DESENHANDO..

    SAUDADES

    ResponderExcluir
  6. bom.. como eu tinha que enviar para o festival.. enviei com o nome O NÁUFRAGO E A SEREIA....
    o máximo que fiz foi uma logomarca pro nome..
    não dava pra esperar..
    agora tem que torcer pra classificar..
    bj

    ResponderExcluir
  7. Oi, Élcio!

    Que bom voltar a conversar com você!
    Ilaine

    ResponderExcluir
  8. Gostei muito do seu blog, do q escreves, tem a alma d um verdadeiro poeta... parabéns... continue assim... abraços...

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. ah, a letra tem muita imagem legal, muita luz, sol, saudade... bem estilo MPB, mas ultimamente, só o que me toca é paulada rebelde bem escura! bem cinza mesmo

    ResponderExcluir
  11. CADÊ A FOTO DE VC COM O LIVRO NA MÃO????
    MOSTRANDO AQUELA CAPA MARAVILHOSA...
    HEHEHEHEH

    ResponderExcluir
  12. Hum...Demorei pra responder porque me achei tão sem cultura por gostar de hip hop...rs
    Gostei do seu comentáro no Ficta Confessio.

    Ele é fofo né?
    Mas quase ninguém vê beleza no mórbido...
    Eu adoro!

    ótima semana pra ti :)

    ResponderExcluir
  13. para quem quiser conhecer mais do Lui:
    www.myspace.com/luicoimbra

    ResponderExcluir
  14. recebi de uma amiga um vídeo de um grupo ingles ou americano, não lembro muito bem!não gostei e disse o seguinte: eu parei no pink floyd! dele eu passei pra música instrumental indiana - passando por vangelis e mahavishnu - e alguns coros africanos - através do brilhante trabalho do paul simon - que quando se abrem a cantar parecem iluminar o mundo todo. foi exatamente quando surgiam sting, iu too e outros grupos dos quais não consigo gostar. tento, ouço, mas não consigo. gosto da voz brasileira: lui coimbra - uma gratíssima surpresa quando conheci e ouvi pela primeira vez -, umas coisa do zeca baleiro, dos forrozeiros santana e dominguinhos, renato braz, o instrumental e as ideias do lenine, danilo caimi e para não dizer que não falei das flores, gosto muito da roberta sá, de leila pinheiro, da marisa monte e outras cantoras foderosas que temos.... e chata é tu. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir

Semeando