quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Amora me lembra infância, que me lembra inocência, que me lembra...lembrança.


Amora me lembra infância, que me lembra inocência, que me lembra...lembrança.


Já era quase noite
quando não mais dei por mim
não que fosse um lampejo
ou um espontâneo convite a poesia
de fato era apenas uma intermitente lembrança
uma silente e contida miragem
que esporadicamente me sorria
ao tatuar impressões em meus sonhos
logo lembrei do suave calor
que o sol solidário empresta as manhãs
lembrei das lareiras a esperar pelo frio,
do estalo da lenha querendo queimar
e do vinho que ainda nem bebi
isso bastou para que eu esquecesse
de todas as minhas claras certezas
então desprovido de limites e fronteiras
derrubei as barreiras do tempo e do espaço
fiz voltar uma a uma todas as datas
rasgando sem pena os calendários
além de atrasar todos os relógios
mas, nem assim o tempo recuou
as flores continuaram a colorir a primavera
os ventos tornaram a se assanhar nas tardes do outono
e a neve teimosa ainda insisti em rondar os meus cabelos
sorte que o sol continua entrando pela minha janela
e me dando bom dia no café da manhã
mesmo assim, hoje resolvi continuar de olhos fechados
tentando fazer perdurar um pouco mais
a permanência daquele instante
no entanto a tentativa foi em vão
pois era mesmo hora dele partir
tanto que lentamente foi sumindo
desaparecendo passo a passo,
sem ao menos olhar para trás
no horizonte frio do asfalto
melhor acordar, levantar, saborear meu café da manhã
e semear poemas nos jardins da alma
talvez não seja mesmo época para se colher amoras

14 comentários:

  1. Entao encontro um xará, fluminense e de veia poética.
    Nem preciso dizer q passeei de "cabo a rabo" por aqui né?
    Voltarei outras vezes.

    É isso aí xará.
    [ ]´s

    Em tempo, o google vai direcionar outro blog q está literalmente em off.

    O q está valendo é esse:
    http://www.instantes.blogger.com.br

    ResponderExcluir
  2. Sinceramente eu não sei o que foi mais gostoso "escutar" suas lembranças ao redor da lareira , enquanto a luz do sol não clareou seu rosto ou depois que isso aconteceu e vc apostou em novas lembranças à espera que sua amoreira floreça e lhe dê frutos!
    LIN DO.
    O que mais posso dizer?
    Romantico, terno, simples, profundo, cheio de alma....
    beijo pra vc.....Cris Animal

    ResponderExcluir
  3. Amora me lembra uma época boa da minha vida. Boas lembranças meu amigo!

    Que doideira essa de dizer que tem 3 meses minha última postagem hein!
    Que loucura...rsrsrs
    Estava sentindo sua falta lá no Alma Poeta meu querido. Que bom que foi me visitar! Beijos pra você e um carinho na lambeta ok?rs
    (Sempre esqueço o nome dela...rsrs)

    ResponderExcluir
  4. Uma lareira com um bom vinho que são feitos com uvas é lógico mas, com um leve aroma de amoras, que tal amigo poeta? Lindo poema! Abraço

    ResponderExcluir
  5. Oi Elcio, como é bom poder reunir pessoas que as vezes a gente não vê a anos, pois tanto na escola quanto na faculdade depois que termina cada um segue com a sua vida e com seus sonhos e objetivos, mas é claro que nunca esquecemos de pessoas legais que a gente conhece e aprende a gostar infelizmente quando eu terminei o 2º grau cada um foi para o seu lado e nunca mais soube de mais ninguém e como não consegui fazer faculdade, então só tenho algumas lembranças boas, as más é claro que existem, mas essas eu nem lembro mais, a Jurema te manda um abraço e talvez na semana que vem ela já volte ao Blog, vamos ver como vai ficar as coisas por aqui.
    Muito legal da parte de vocês se reunirem depois de tanto tempo.
    Uma pergunta: Tu gosta da Legião Urbana ou só da música Vento No Litoral?
    Se tu gostar na minha próxima postagem deixo uma homenagem pra ti com essa música nos meus comentários e divulgo o teu blog, amigos são para essas coisas né?

    Abraços e uma ótima quinta-feira.

    ResponderExcluir
  6. E eu lembrei do pé de manga rosa que tinha aqui no quintal de casa, morada das minhas brincadeiras de céu e de vôo. Bom lembrar e ter o que lembrar, melhor ainda. E a colheita é sempre, porque precisamos...

    ResponderExcluir
  7. "mesmo assim, hoje resolvi continuar de olhos fechados
    tentando fazer perdurar um pouco mais
    a permanência daquele instante"

    Vou confessar que por várias vezes eu faço isso.
    Tenho o costume de desde de pequena fechar os olhos e ir lá no fundo da alma buscar coisas e fatos que me fazem bem e feliz... Assim a alegria se torna constante em meu viver.

    As coisas ruins não duram muito em meu coração...

    Estar aqui absorvendo seus poemas é sempre muito bom... alem de nos fazer refletir acalmam a alma!

    Beijim

    ResponderExcluir
  8. Que delícia lembrar da infância, não?! Que belo texto...

    Estou passando também para
    lhe desejar um Natal Diferente, não como os outros,
    mas que neste o significado verdadeiro esteja no seu coração,
    nas suas ações, nas suas amizades e refletida na sua caminhada.

    Que 2009 seja um sopro de coisas boas em sua vida! E tenho
    certeza que será! Que venha a realização dos sonhos desejados
    e batalhados. Este é o meus mais sinceros votos não só para
    você, mas também para toda a sua família.

    Adorei conhecê-lo em 2008! Que venha 2009 ainda mais cheio de novidades e alegrias para todos nós!!

    Receba meu carinho,

    ResponderExcluir
  9. Oi,

    Vc sabe que amora tbm me lembra infância??!!! Na minha escolinha de educação Infantil tinha um pé de amora, uma amoreira enorme...
    E eu ADORAVA!!!! Ficava pegando amoras do chão e colocando na barra da camiseta do uniforme dobrada e ia até a pia lavar e comia até....minha mãe ficava louca da vida comigo pq amora mancha d+ a roupa!!! mas eu me acabava de tanto comer amoras!!
    Eita tempo bom....
    Essas lembranças que são são doces e ternas, que a gente chega a sentir o cheiro e quase tatear de tão bom que foi, essas lembranças a gente que fazer permanecer para sempre.

    bjimhos

    ResponderExcluir
  10. Lindo poema Élcio!
    A vida não pára mas "recordar é viver".
    Eu tenho muito boas lembranças desse tempo da infância e inocência.
    Um beijo com muito carinho e desejos de um FELIZ NATAL!

    ResponderExcluir
  11. Palavras sempre me fazem lembrar palavras, Elcio. E você tem montes delas e sabe usá-las. E colheu amoras em epifanias.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  12. Oi, Élcio. Vim abraçar-te.

    E, chego a querer amoras e a criança que lá sobe . Nessas ou em outras árvores.

    Que seja a infância, sempre frita delicada.
    E que as nossas, as mantenhamos regadas, amigo.

    Feliz Natal!

    ResponderExcluir
  13. Oi Elcio acabei de voltar para o Blog alguns problemas foram resolvidos, te desejo um Feliz Natal pra ti e para a tua família, obrigada pelas belas palavras no blog.

    Abraços.

    ResponderExcluir

Semeando