terça-feira, 20 de janeiro de 2009


Águas de maio

O verbo transbordar
Transbordou na poesia
Inundou tantas palavras
Afogou meus sentimentos

E eu tão só na correnteza
Sigo as águas em silêncio
Sou enchente da minh’alma
Chuva intensa e ventania

18 comentários:

  1. Lindo, Elcio.
    Acho que nada mais se pode pedir, do que se ser enchente da nossa alma.

    beijinho

    Tenho essa imagem guardada há imenso tempo para escrever.
    Impressionante, não é?

    ResponderExcluir
  2. ...vim colher versos,
    para enfeitar a madrugada.

    deixo bjs de encanto.

    ResponderExcluir
  3. Oi Poeta!
    Encontrei aqui um pequeno poema mas enorme em expressão da alma.

    Por vezes nos sentimos assim, tempestade em chuva forte.

    Mas a vida nos ajuda no caminho... que essa força da natureza seja para limpar do intimo nossas dores e dissabores.

    Um grande abraço com meu carinho

    ResponderExcluir
  4. Biom saber que dominas teueu, Elcio, e sabes te ti próprio.
    Um dia ainda pretendo chegar a tal ponto. Ou não, não sei.

    É sempre bom ler você.

    Deixo um abraço forte.
    Continuemos...

    ResponderExcluir
  5. Não canso de dizer que o teu verbo é poético..o teu substantivo, adjetivo... Belo! Abraço

    ResponderExcluir
  6. Elcio que belas palavras, suaves...., você " não resistiu" e acabou deixando uns belos versos no meu blog nos comentários.... parece uma continuação do texto da Paula, se eu não resistir você deixa esse comentario virar post ou você ja o tem publicado???


    Abs!!!

    ResponderExcluir
  7. bonito Elcio PARECE COM A NOSSA ALMA DE VERDADE
    SEUS VERSOS SÃO UMA DELICIA UM BJO!

    ResponderExcluir
  8. Élcio

    Suas palavras transbordam em mim.


    Um poema muito bonito, o tipo do momento que escorre por dentro de mim, me lava e me transborda de emoção.

    abraços de admiração.

    ResponderExcluir
  9. E no agito das idéias o transbordar do lirimso.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  10. Oi Elcio, passando para te desejar uma excelente noite.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  11. Lindo poema, Sou enchente da minha alma.
    Moço, vima qui esta semana convidá-la a vistar meu post no Galeria, onde falo de Lawrence da Arábia. Goatasria muito que fosse. Vc já sabe o caminho.
    Um abraço,
    Renata

    ResponderExcluir
  12. Olá, Élcio! Parabéns pelo blog. Sucesso e longevidade é o que eu desejo.

    Visite e comece a seguir a página oficial do projeto S.U.P.R.A. Vida Secular! Está feito o convite para conhecer toda a musicalidade do meu modesto sítio.

    > www.supravidasecular.blogspot.com

    Desde já, agradeço por sua atenção!!!

    ResponderExcluir
  13. Bom Dia Elcio, daqui a pouco estou indo para o hospital saber o resultado dos meus exames, eu sei como é ficar sem computador, eu acho que já fiquei umas 4 vezes quase morri de tédio rsrsrs, nesse Blog vou colocar outros gêneros de filmes que eu gosto, pois o My Space é mais voltado para o lado romântico e eu gosto de vários gêneros de filmes tipo suspense, policial, terror entre outros, acho que vai ficar bem legal só vai ser um pouco diferente do outro Blog.

    Abraços e fica com Deus.

    ResponderExcluir
  14. Boa noite meu amigo versador....que saudade de vir aqui regar este lindo pé de verso...acabei de dizer isso para outro amigo,mas acho que entendeu perfeitamente o sentido da poesia ser 'feia', sem brilho...que tem sede, que tem fome...mas a poesia tb pode ser feita de coisas óbvias...feias...tristes...e mesmo assim não deixa de ser poesia...Um grande beijo para você!

    ResponderExcluir
  15. ...a brisa que varreu os sentidos...e me deixou ilhado em sensaçoes inefáveis...

    Belo...

    amplexos

    ResponderExcluir
  16. Oi Elcio nesse mesmo Blog abri um Blog sobre outros gêneros de filmes, e o primeiro filme que eu postei foi Sem Vestígios não sei se tu já viu.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  17. Olá,


    Hoje passei por aqui e estive a ler, calmamente, os teus poemas. Adorei a tua escrita! Prometo voltar, com mais assiduidade!

    Gostei, em particular, deste pequeno poema – simples (na sua composição), mas consegue transmitir tanta coisa … Fantástico!

    Um forte abraço,
    Carla

    ResponderExcluir

Semeando