domingo, 25 de janeiro de 2009


Obrigado Márcia pelo poema dedicado ao Verseiro e aos tantos outros blogs que fiz questão de ler. Valeu também Renata e Tatiana por mais um selo. Valeuuuuu...só enfeitando a parede do blog com os presentes dos amigos...rs...


Bom, este post saiu a pedido do meu irmão Cacinho.
( http://animadodesenho.blogspot.com) após ter contado a ele sobre esta estória verdadeira, relatada no livro “QUAL É A TUA OBRA” de Mário Sérgio Cortella, que estou tendo o prazer de ler.
Ahhh...a imagem é do Cacinho também...um beijão Cacinho...valeuuu

Sábios Xavantes ( em 1974)

Dois índios Xavantes foram convidados para visitar a cidade de São Paulo, numa época em que eles não usavam o dinheiro como meio de qualidade de vida. Para eles, qualidade de vida era alimento, porque era o jeito de garantir a sobrevivência.
Boquiabertos com a Avenida Paulista, andaram de metrô e ficaram pasmos com a velocidade daquele transporte. Foram no shopping e ficaram intrigados com tantos espelhos, pois comentaram: Se você esta consigo mesmo a todo instante, por que iria querer se ver?
( Achei isso o máximo).
Foram ao mercado municipal e assim que entraram ficaram pasmos. Pilhas de alfaces, tomates, cenouras, laranjas, bananas e etc. O olhar deles era o mesmo caso nós tivéssemos entrado no cofre do Banco Central.
De repente um deles viu uma coisa que talvez nenhum de nós fossemos capazes de observar, ou talvez apesar de ver, não comentássemos.
O QUE ELE ESTÁ FAZENDO? e apontou para o menino negro que no chão pegava alface pisada, tomate estragado, batata moída, laranja podre e colocava num saquinho, pois para nós aquilo seria normal...NORMAL?
Ah...respondi: Ele está pegando comida...
NÃO ENTENDI.
POR QUE ELE ESTÁ PEGANDO COMIDA ESTRAGADA DO CHÃO, SE TEM PILHAS E MAIS PILHAS DE COMIDA BOA?
È que ele não tem dinheiro?
NÃO TEM? POR QUE NÃO TEM DINHEIRO? Indagava o cacique.
Por que ele é criança...E O PAI DELE TEM?
Também não...NÃO ENTENDI, POR QUE VOCÊ, QUE É GRANDE TEM, E O PAI DELE, QUE É GRANDE, NÃO TEM?
DE QUAL PILHA VOCÊ COME? DESSA DAQUI OU A DO CHÃO?
Dessa daqui.
POR QUÊ? “Sabe o que é? É que aqui é assim mesmo...
VAMOS EMBORA...
E foram, não do Mercado Municipal, mas de São Paulo, e deixaram para sempre na minha memória, a seguinte frase:
“ VAMOS EMBORA...ELES SÃO SELVAGENS”
“ ELES NÃO SÃO CIVILIZADOS”

Se eles tivessem sido criados em alguma de nossas famílias, em algumas de nossas igrejas, ou freqüentado algumas de nossas escolas, achariam tudo isso normal...

NORMAL?

Galera, já li e reli esse texto várias vezes, e fica latente a forma como encaramos as coisas hoje em dia...
Tudo passa de certa forma a ser normal, embutido em nosso cotidiano.
Bala perdida, assaltos, violência, corrupção e a nossa cegueira consentida diante de tudo isso...


Na verdade isso é uma afronta a nossa base ética e aos nossos valores que vão se apequenando na correria em que vivemos.
Mas, é que aqui, é assim...


"NÃO ESPERE NENHUMA RESPOSTA, SENÃO A SUA!!!" (Bertold Brecht)

Valeu Cacinho, roubei esta frase lá...rs...um abração

Replantio

Ainda há espaço e tempo
Minh’alma é fértil
Traga a semente
Adubo e terra
e algumas gotas de poesia

Que a gente possa renovar sempre dentro da alma da gente, essas palavras, e que a ternura esteja sempre presente, apesar da rudeza do asfalto.

Valeu galeraaaaaaaaa...bom domingão para todo mundooooooooo!!!
Um abraço na almaaaaaaaa!!!

25 comentários:

  1. Oi Elcio,
    vá no florescer e olhe a sua direita. É seu, pela beleza do seu blog.
    Volto depois
    beijo

    ResponderExcluir
  2. Elcio

    Vou levar para o Claras esta tua história e deixo link para aqui,
    Valeu?
    É necessário que a leiam, quantos mais , melhor.

    ResponderExcluir
  3. Olá! Elcio,

    Agradeço sua visita, e o carinho de seu comentário no meu cantinho.

    A net tem essa magia de encontros, e seu espaço aqui é muito bonito, e esse texto último de uma reflexão profunda sobre como vivemos no automático nossas vidas.

    beijos

    beijos

    ResponderExcluir
  4. Que máximo esse Selinho do Quintana.
    Quero um também (fazendo beicinho e quase chorando)
    rsrsrsrsrsrsrs
    Parabens e não precisa agradecer nada.... esse blog é merecedor de muitos selos...

    Bjs

    ResponderExcluir
  5. O selo do Quintana é lindo e o0 seu post comovente.
    Amigo:
    Postei no Galeria. Não há novidades nos outros Blogs, a não ser no Gótico e no Tristão. Mas, por favor, vá ao Galeria e deixe sua opinião lá.
    Um abraço,
    Renata

    ResponderExcluir
  6. Élcio,

    eu hoje estou absurdamente feliz.
    Sabe o que eu li aqui foi a coisa mais linda.
    Vamos embora que eles não são civilizados foi uma maravilha...
    Fechando com Brechdt...
    Não esperar nenhuma resposta que não seja a nossa...
    Fantástico!

    Por isto tu és imprescindível.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Se eu olhar pra dentro de mim agora depois de ler este texto me sentirei envergonhado com a verdade. Faço parte deste mundo que o índio fugiu.
    "NÃO ESPERE NENHUMA RESPOSTA, SENÃO A SUA!!!" (Bertold Brecht)

    Fazer dupla com você? Ah..já topei. Abraço

    ResponderExcluir
  8. Valeu o "roubo" da nossa amiga clara manhãs, penso q é uma história que deve ser dada a conhecer pena que o mundo esteja tão cheia dessas histórias e nada fazem por as mudar... infelizmente a nossa sociedade só olha para o dinheiro sem olhar para o lado...
    Belo post amigo...
    Um forte abraço,
    Nuno

    ResponderExcluir
  9. Olá Elcio,

    Sem palavras, o texto está fantástico e deixa-me perplexo perante uma visão que à muito deixou de ser a lógica e normal de uma sociedade que se quer perservar.
    Para onde caminhamos...

    ResponderExcluir
  10. foi muito bonito contar-nos esta história.
    andamos numa procura desenfreada
    numa luta desesperada
    um corre corre de olhos fechados.


    um abraço e obrigada pelas palavras deixadas lá em casa
    luísa

    ResponderExcluir
  11. Oi Elcio!
    Essa coisa de acostumar é complicado.
    Não devia nunca ser assim...

    Acho que é por isso que admiro tanto a cultura indigena.

    Um beijo carinhoso em sua alma Poeta!

    ResponderExcluir
  12. valeu Tui..
    realmente essa história
    mostra a vida selvagem mesmo que vivemos nos grandes centros urbanos...
    mas ainda bem que exiostem os índios pra nos mostrar que o ser humano não é insensível...
    a nossa vida capitalista é que nos deixa assim...

    "Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros."

    (Che)

    ResponderExcluir
  13. Querido Elcio,
    Infelizmente o que foi falado é pura verdade, estamos nos acostumando com essas cenas de crianças pegando coisas no chão para comer, pedindo esmolas, violências de todo tipo... Ainda dizemos que somos civilizados, esse texto é uma lição, mostra quem é o civilizado na história.

    Bjss

    ResponderExcluir
  14. Oi Élcio,

    estou passando para dizer que vai ter blogagem coletiva literária em fevereiro, e como sei que vc gosta,estou avisando,
    depois dá uma conferida no blogue da minha amiga Vanessa,

    http://fio-de-ariadne.blogspot.com/



    achei outra coisa interessante: O Tertúlia Virtual, é dado mensalmente um tema e todos postam cada dia 15 do mês,

    confira: http://tervirtual.blogspot.com/


    beijo estelar*

    ResponderExcluir
  15. Querido e especial amigo versador....sabe que tenho grande admiração pelas palavras que escreve...são mágicas...Uma linda semana....e adorei a publicação!

    ResponderExcluir
  16. Nusss..parabens mesmo..tava avaliando aki cara...vc merece muito reconhecimento mesmo pelo conteudo...

    abraços

    ResponderExcluir
  17. Era tão fácil ser simples e conservar nossa essência e no entanto, ficamos longe disso!

    Lindo post, lindo selos. parabéns

    beijo grande
    ................Cris Animal

    ResponderExcluir
  18. ...e depois ainda temos que ouvir
    aqui na 'civilização' o termo,
    vida de índio, passeio de índio,
    e por aí vai...

    quão pequenos somos, meu Deus!

    quão feliz foi você neste post!

    bjussss

    ResponderExcluir
  19. O que vale é cultivar palavras mesmo e também parei na questão dos espelhos. Será que estamos assim tão dentro de nós o tempo todo? Vou pensar.

    Bjs, Elcio.

    ResponderExcluir
  20. Realmente os selvagens somos nós! A falta de sensibilidade para com o próximo cresce de tal forma que em pouco tempo só nos importaremos com nós mesmos, nem mais com nossos familiares e amigos, infelizmente!

    Ótimo texto para reflertirmos!

    Um abraço

    ResponderExcluir
  21. Nos acostumamos a olhar para nossos umbigos, por isso nao percebemos o sofrimento, as injusticas, a violencia. Tudo passou a ser aceitavel. Deus me livre!

    ResponderExcluir
  22. Depois de ler este magnífico post, minha admiração por voc^aumentou de 10 pra 1000...rsrs
    Você realmente é especial meu querido. Sempre antenado e preocupado com questões que a grande maioria nem se dá conta.
    Um grande beijo e belissimo texto meu amigo!

    ResponderExcluir

Semeando