quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

De corpo e alma


Meu primeiro poema-canção sem fazer parceria com o mano Edu, ficou fraquinha a melodia, confesso...rss...mas gostei por demais. Um abraço pessoal...boa sexta para todo mundo.


De corpo e alma

Ando querendo de mim
O que já não me basta
Essa metade poema
Essa vontade que afasta

Ando adiando de mim
Essa palavra tão casta
Essa verdade dilema
Essa querência tão vasta

De corpo e alma
Vento e ventania
De corpo e alma
Amor e sintonia

Ando querendo de mim
O que já nem mereço
Essa metade utopia
Essa vivência sem preço

Ando adiando de mim
Essa ausência ao avesso
Essa contínua alegria
Essa ternura que excerço

18 comentários:

  1. Nossa Poeta...que desabafo da alma heim?
    Poderia ter sido eu a escrever.
    A identificação foi imediata.
    Fico sempre com a sensação de que me falta algo...
    É sempre muito bom estar aqui, hoje em especial...acredite!
    Um abraço com meu eterno carinho

    ResponderExcluir
  2. É mesmo a divisão, não?
    Metade que não basta e que se quer inteiro mas vive a angústia de sentir-se metade em busca da outra metade.

    Gosto do que escreves e como '...toda língua é um ouvido' fico ouvindo a melodia.

    Abraços, amigo.
    Fica bem,

    ResponderExcluir
  3. oi, Élcio


    Poema-canção-suave. A melodia é a que toca em quem ler. O coração é quem comanda os passos quando a alma escuta. Dita ritmo, respiração, toque. O coração pode até sambar e a mente voar.

    abraços e ótimo final de semana para você.

    ResponderExcluir
  4. ..."Ando querendo de mim
    O que já nem mereço
    Essa metade utopia
    Essa vivência sem preço."

    E de querer em querer
    Entre lamúrias e ais
    Deixo que o barco siga
    Buscando atracar no cais.

    sorry, poeta

    enfeitei teu 'querer'
    rsss

    bjuss

    ResponderExcluir
  5. "Ando adiando de mim
    Essa palavra tão casta
    Essa verdade dilema
    Essa querência tão vasta"

    Essa é minha verdade atual
    Até doeu quando li!

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Perfeito post!!!
    Um belo desabafo!!!

    Recebi um poema seu em um comentário e resolvi vim conferir!

    Parabéns pelo blog e pelos escritos, são maravilhosos!!!

    Tenha um ótimo final de semana!

    PS: Posso te linkar?

    ResponderExcluir
  7. Achei lindo Élcio.De corpo e alma!
    És muito especial e intenso no que escreves!Beijo com muito carinho.

    ResponderExcluir
  8. Bela letra! Elcio além de poeta, artista plástico e músico?! Por isso eu te homenageio junto com Netuno Artes no blog que participo com amigos, veja... Abraço
    http://amigosnablogosfera.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Bom dia querido,
    tem selinho pro teu blog ok?
    É só entrar em minha galeria de selos que fica na barra lateral do blog e pegar tá.
    Beijos amigo e ótimo fim de semana pra você!
    Adorei teu poema canção...muito bom!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Noo pareceu uma musica isso ne......


    muito bom mesmo........vc mostra qndomais precisamos as coisas certas...

    ResponderExcluir
  11. Psiu.....com licença, me permita colher uma flor deste seu pé de versos?...assim ficarei feliz pelo resto de meu dia...E que belo poema..bela obra...adorei a imagem! Bom final de semana!Beijo

    ResponderExcluir
  12. Caro Elcio...gostaria de ter seu poema canção em meu blog.
    Aguardo a sua permissão, ok?
    Um belo final de semana ao seu coração!

    ResponderExcluir
  13. Muito obrigada Poeta!
    Tentarei fazer uma postagem a altura de seu poema.
    Beijo

    ResponderExcluir
  14. Uma das minhas letras de musica que escrevi...

    Vem, vem, vem

    Como o mar precisa do sal
    O dia, precisa da lua
    Apetece-me, te agarrar
    Despir-te até ficares nua

    Nua de preconceitos
    Na armadilha ideal
    Nos lençóis, em teus braços
    Enrolar-me em espiral

    Refrão

    Quero te dizer olá
    Como estas, tudo bem?
    O tempo, lá chegará
    De dizer, vem, vem, vem

    Remoinhos de prazer
    Sensação de aventura
    Enroscar-me, quero ter
    A verdade, nua e crua

    Se vale a pena a espera
    Deste ensejo de alegria
    Rolar como uma esfera
    No teu corpo, fantasia

    ResponderExcluir
  15. Palavras que ratificam tua grande sensibilidade e versatilidade.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  16. Muitos dizem que o poema não precisa de rima, como não se nos teus poemas elas são ricas, estes que dizem que não precisa deveriam vir aqui para certificarem das riquezas que há nos teus poemas. Valeu Élcio, mais uma vez sinto o prazer de te aplaudir. Abçs.

    ResponderExcluir

Semeando