segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009



Sem querendo...

Já não me ando cobrando as perdas
Abri os olhos e insentei o coração
Se hoje distraído ainda me afogo
Não é sem querer, é que me concedo
Nadar contra a corrente com as mãos atadas
E de olhos meio que vendados
Então se me perco de mim mesmo
Acabo sem querer me reencontrando
Entre o sonho e a realidade
Mesmo assim fico com a certeza...
Com a clareza de que não sou nem mais, nem menos
De que não sou nem bom, nem mau
Sou apenas uma grata ternura adiada
Uma coragem quase que imprevista
Abastecida de carinhos, desejos e verdades
Por isso, nada mais me inocenta ou me condena
Apenas reescreve em minha alma
O que de ontem ainda persisto
Exatamente por isso, ainda insisto
Ainda navego, nesse mar sem mar
Ainda sonho, sem querer acordar
Ainda corro, querendo chegar
Ainda amo, querendo amar
Talvez por isso, eu não queira mais adiar o inadiável
Apenas aguardo, a hora chegar
Apenas quero, no poema habitar

36 comentários:

  1. "Ainda sonho, sem querer acordar
    Ainda corro, querendo chegar
    Ainda amo, querendo amar"...

    Anda fazendo boa colheita em seu "pé de versos"...rsrsr
    Pra fazer algo assim, hei de supor que tenhas cuidado bem dele...

    Beijos avassaladores, Elcio!

    ResponderExcluir
  2. Élcio, esse poema superou todos que já li até hoje. Maravilhoso. Bárbaro...

    Sem adjetivos e com todos os adjetivos....
    Nossa,Perfeito!

    Abraços,

    Mai

    ResponderExcluir
  3. Escrever um poema é desenhar um sonho, sonhar é acreditar que do outro lado das palavras, existe uma alma que voa para além no inatingível e que se excede na sua própria sabedoria.
    É bom ler o voo livre e profundo da sua alma.

    beijos

    ResponderExcluir
  4. Elcio,
    Nessa auto-reflexão, surge outro belo poema muito inspirado!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  5. Você já semeou, por isso pode mergulhar de olhos fechados e mãos atadas, pois, com certeza, vai encontrar. Tudo é uma questão de tempo.
    Como vc disse que gosta e é feriado, postei na minha Galeria "A Dança dos Vampiros", paródia dos filmes de vampiros, que vc já deve conhecer. Estando lá, pode ir no Sessão da Tarde e no Poemas da Renata. Tudo isso, se vc quiser.
    Escuta, por que vc não pôs o selo da borboletinha, ficou vexado? Fique não, menino, ponha o selo!
    Um abraço,
    Renata

    ResponderExcluir
  6. Eita, que até comentando vc arrasa...rs
    Olha, Elcio, muito interessante o que vc escreveu... Já percebi isso, de repetitividade!
    É tão gostoso escrever algo para alguém...
    O que falo pra vc, não pode nunca ser aplicado a mais ninguém.. é seu!
    Fiz pra vc! E é um comentário sobre algo seu...
    É assim que penso tb! Adorei vc... Sempre lindo!


    Um beijo carinhoso

    ResponderExcluir
  7. Vc lá e eu aqui...rsrsrs
    Coisas do mundo virtual!

    Beijos e carinhos

    ResponderExcluir
  8. Falar de si, embora quem escreve sempre o faça, não é fácil
    Gostei de te conhecer, Elcio, uma honra

    beijo, de uma alma para outra.

    ResponderExcluir
  9. Nem mais!! Exactamente isso!! Adorei...beijos.

    ResponderExcluir
  10. Obrigada!! Vou levar teu selo. Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Élcio, lendo, relendo, este poema, parece que te senti. Por certo você é, no que escreves, uma grata ternura para quem te lê. Continua insistindo, correndo, navegando, sonhando, amando, aguardando, querendo no poema habitar. Magnífico! Podes continuar assim de mãos amarradas e olhos fechados, teus poemas são lindos.

    Beijos carinhosos e bom carnaval
    Cleo

    ResponderExcluir
  12. Olá amigo venho aqui neste momento comentar o seu poema que é lindo e ao mesmo tempo agradecer seu comentário um beijinho e um grande bem-aja para si.

    ResponderExcluir
  13. Existem elementos em nós que não prescindem do que são e de como agem em nosso viver. Se damos a eles acolhida, passamos a ser coniventes.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  14. Alguns dos seus poemas me parecem uma escada para o seu ser. Onde vou descendo degrau por degrau. Me lembram quando conversamos com a nós mesmos.

    abraços na alma. rsrsr

    ResponderExcluir
  15. "Sou apenas uma grata ternura adiada
    Uma coragem quase que imprevista
    Abastecida de carinhos, desejos e verdades"

    Definir-se assim é acreditar no sonho!

    ResponderExcluir
  16. Elcio...fiquei aqui em seu espaço por alguns momentos e viajei nos seus Poemas, nas suas palavras, é tudo tão mágico!Na simplicidade da sua escrita dá pra sentir, vou usar uma metáfora pra isso: "o perfume da sensibilidade", sim!porque a sensibilidade tem perfume....e aqui ele é tão suave e bom de sentir, tomei algumas frases pra mim, se vc me permitir né?rss....como estas "Ando correndo
    E esquecendo dos medos
    Ando correndo
    Para lembrar minha pressa
    Ando correndo
    Abraçando os momentos"...

    "Eu hoje acordei simplicidade
    Com o sol sorrindo em minha janela
    Recebi um abraço do vento"....

    e foi este vento, pelo seu rico comentário em meu blog que me trouxe aqui, obrigada, será um prazer ter suas atualizações visíveis em meu blog...bjos e bom final de carnaval pra ti...

    ResponderExcluir
  17. Elcio, amigo, teu pé de versos é frondoso e sempre de boa safra.
    Abraçamigo e fraterno.

    ResponderExcluir
  18. A vida lhe cometendo os ensinamentos duradouros.

    Bom ler e saber que olhas com os mesmos olhos para o passado e para o presente.

    Abraço forte, Elcio.
    Continuemos...

    ResponderExcluir
  19. Então não acorde deste sonho real. O acaso sempre nos revela uma surpresa...Eu sei... Sou prova disso.

    O teu poema veio da alma querente cheio de poesia da tua árvore. Abraço

    ResponderExcluir
  20. É, Elcio. Desarrumando-se, de vez em quando, a gente se arruma, de novo, e reencontra o Eu. Isso é bonito no viver.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  21. Me gusta leerte,

    imagino comprender...

    La cadencia de tu canto

    Me llava...

    Cariños,

    Lidia

    ResponderExcluir
  22. Passando e relembrando, Elcio.

    Abraço forte.
    Continuemos...

    ResponderExcluir
  23. Me desculpe por não saber ser uma amiga tão presente.. e obrigada por apesar de tudo ainda restar carinho em seu coração.
    Que nossos momentos possam ficar sempre dentro do seu e do meu coração.
    Beijos..
    Dina

    ResponderExcluir
  24. Olá Elcio!
    Gostei MUITO desse poema!
    Acho que poderia ter sido eu a escrevê-lo!rsrs
    Profundo e belo!
    Estava com saudades daqui...dessa energia do mundo blog.Das notas da canção.Dos poemas belos dos amigos...quanta inspiração!!!
    Eu...Descansei em meio a natureza...foi renovador!

    Deixo um abraço com meu carinho

    ResponderExcluir
  25. gostei do que vi e li
    parabens pelo trabalho
    boa semana
    beijinhos
    Carla

    ResponderExcluir
  26. Muito lindo, Elcio. Não sei se é bem assim que se elogia um poema, mas é a forma que o vejo. Viver de aprender sempre.

    "Sou apenas uma grata ternura adiada"

    (Elcio Tuiribepi)

    Certos trechos me fazem ficar sem voz.

    Bjs. E muita paz.

    ResponderExcluir
  27. Porque de nada vale querermos, tudo o que nos for devido chegará, então temos de aceitar e esperar o que a vida nos dá
    bj

    ResponderExcluir
  28. Mas que poema belo, cheio de palavras inspiradoras...

    Derramo pelas mãos escritas em palavras
    Sentimentos de pensamentos desfiados…
    Dispo a alma em poesias desvendadas
    Expondo-as sem temer trilhos apagados

    Passei para agradecer a visita e comentário…

    Um resto de uma boa semana…

    O eterno abraço…

    -MANZAS-

    ResponderExcluir
  29. Élcio...coisa boa
    passar em um teto tão cheio de encanto.
    Passa la no blog que tem um recado pra você em resposta ao comentario que deixou na postagem anterior.
    Ha postagem nova tambem.
    Bjins entre sonhos e delírios

    ResponderExcluir
  30. sim ainda navegamos no mar sem mar amei isso,lindo !deixo aqui um abraço a vc meu amigo verseiro!

    ResponderExcluir
  31. Gostei tanto do teu poema Élcio.Insistes, persistes e não desistes e mais uma vez identifiquei-me com o teu sentir.
    Um beijo e um xi-coração bem apertado.

    ResponderExcluir
  32. Caro Amigo Poeta,

    Muito agradeço a visita que fez ao meu Voo Longo e aproveito para saudar também sua Mãe!

    Um abraço e até breve,

    Maria Carmo

    ResponderExcluir
  33. (suspiro)
    Acho que não 'devo' comentar.
    Ficaria muito aquem do que senti!

    ResponderExcluir
  34. Que bonito Elcio!

    “Apenas quero, no poema habitar” – A poesia como forma de vida ou melhor, a vida através da poesia!

    Um grande beijinho para ti,
    Carla Alves

    ResponderExcluir
  35. De que não sou nem bom, nem mau
    Sou apenas uma grata ternura adiada
    Uma coragem quase que imprevista

    Parabéns Elcio, pelos versos, pela poesia. Desculpas aceitas, isso acontece. Carinhosamente Dinigro Rocha.

    ResponderExcluir

Semeando