sexta-feira, 19 de junho de 2009

Bem, tomei coragem e postei meu primeiro conto, a postagem ficou enorme, sei que o tempo é curto, mas deu vontade de fazer esta postagem, e assim o fiz...
Quase tudo resolvido na facul, mas ainda uma prova na sexta que vem, fiquei de final numa disciplina, mas como diz o prof. " Só os melhores times é que vão para a final"...me agarrei a esta frase e vou com tudo...rsrs...Por isso estou aqui dando um refresco para o Tico e o Teco. Domingo tem uma Blogagem Coletiva e só segunda quero voltar a pegar nas apostilas.


Desafio aceito e cumprido...rs
Recebi este desafio da Andrea do Blog http://andreabgalvez.blogspot.com para mostrar minha caligrafia, que cá entre nós, que fique em off também..."nada boa" rs, digamos que no papel em branco eu deixe caminhos, tortuosos, diga-se de passagem, feitos com as minhas reticências e garranchos...


A brincadeira se chama: Do jeito que você escreve, e é assim:
tenha em mãos lápis, caneta, papel e máquina digital.
a - escreva o que quiser e assine seu nome,
b - fotografe,
c - faça um post com a foto,
d - link quem te desafiou,e - escolha cinco blogueiros/as para desafiar,
f - avise sobre o desafio em cada blog escolhido.

Só não vou escolher...quem quiser participar, logicamente, fique à vontade ok...
Aproveitei minha agenda já cheia de rabiscos, tá fininha de tanto eu rasgar escritos...rsrs...





Sobre pessoas e figuras...




Bem pessoal, este é o "Prá", um cara maluco beleza que parece ainda viver nos aureos tempos do Festival de Woodstock, me visita quase toda semana no trabalho, me vende uma rifa imaginária feita com papel almaço e gosta de conversar sobre política, bolsa de valores e coisas do gênero como se fosse um expert no assunto, figurinha rara, é merecido seu destaque aqui...



Esta é a Aila, e mereceu destaque aqui por me deixar em dúvida sobre sua sanidade mental. Uns dias atrás ela pulou do terraço e despencou oito metros até chegar ao chão. Se morreu? Não.. está vivinha da Silva.
A minha dúvida é a seguinte: Será que ela tentou se suicidar ou traz dentro de si o mesmo sonho de Ícaro que todos nós temos dentro da alma?
Fico com a segunda opção, a sorte dela é que havia uma trepadeira no caminho, havia no caminho uma trepadeira...apenas uma torção na pata e uma certeza: Cadelas não foram feitas para voar...descobri que não só os gatos tem sete vidas...rsrs




Este é o Seu Codorninha, inspirador de meu primeiro conto, mereceu destaque por ser imbátivel. Sem mais comentários, o conto explica tudinho...rsrs


Seu Sebastião Codorninha: O homem que não se lembrava

Seu Sebastião é um senhor com seus já setenta e poucos anos e que sofre do Mal de Alzheimer, ou então, é um gozador de primeira linha.
Franzino e com aparência tísica, é portador de uma tosse parecida com essas que um pai de santo usa para dar passe nas pessoas com a fumaça de seu charuto. Seu apelido foi dado justamente por causa de sua aparência e por seu jeito de andar. É conhecido como “Seu Sebastião Codorninha”.
Já Ubaldo era admirado e respeitado por sua paciência e jeito, no trato com as pessoas idosas e também mais humildes. Pois a mais de vinte anos lidando com pessoas das mais variadas personalidades em seu trabalho, já havia passado por inúmeras situações que oscilavam entre o cômico e o trágico. E por força do destino, Ubaldo e seu Sebastião Codorninha cruzaram suas vidas numa bela tarde de sexta-feira no ano de 2006.
Nas primeiras vezes que o atendeu, Ubaldo sem saber foi todo ouvidos e portou-se totalmente desprovido de qualquer sentimento, a não ser o que a situação normal do dia-a-dia exige no tratamento com os idosos. Informava a ele que não era o dia de seu pagamento e colocava num papel a data correta para que ele voltasse. No mesmo dia a tarde, lá estava “Seu Codorninha” aguardando para ser atendido e novamente Ubaldo explicava que ainda não era o dia e escrevia num papel a data de seu pagamento. E assim foi se repetindo esta situação durante semanas até que chegasse o bendito dia do seu pagamento.
A esta altura Ubaldo já sabia ou imaginava que “Seu Codorninha” sofria de um Alzhaimer profundamente profundo, se é que posso dizer assim.
Mas, nosso amigo sempre paciente, fazia questão de não perder a calma e ia levando na maciota. Até que um dia a coisa começou a piorar. Pois mesmo após já ter recebido o pagamento, ele passou a vir duas ou até três vezes ao dia e assim conseqüentemente em todos os dias no decorrer de todos esses meses para tentar receber de novo o pagamento já recebido por ele.
Quase três anos se passaram e ninguém, ninguém mesmo conseguiu resolver esta situação, que pelas contas de Ubaldo se repetiram mais ou menos assim:
3 vezes ao dia...que equivalem a 15 vezes por semana
60 vezes por mês...que equivalem a 660 vezes por ano
Chegando a um total de quase 2000 esquecimentos. Pois se fizermos a conta corretamente, tirando feriados e alguns dias em que o personagem esqueceu de esquecer de ter esquecido de esquecer que havia esquecido de seu esquecimento...onde eu estava?
Bem...para terminar vou relatar o último e estarrecedor diálogo entre Ubaldo e seu Sebastião...que foi exatamente como todos os outros...mas com um desfecho diferente...
Oi ”Seu Sebastião Codorninha”...o que o senhor manda hoje?
Vim receber meu pagamento...
Como assim? O senhor já recebeu...e foi na semana passada, eu mesmo paguei o senhor!
Fala sério rapaz, não estou brincando, quero o meu pagamento, você mesmo mandou que eu viesse aqui hoje...
Não mandei não, o senhor veio porque provavelmente sentiu saudades de mim, sei que o senhor vem aqui todos os dias porque me ama...
Quero meu pagamento...anda!! Não estou para brincadeiras... Mas seu Codorninha, o senhor já recebeu...não vou repetir...
Você tem certeza que eu recebi?
Claro que tenho...
Mas então, que dia é hoje? Hoje é véspera de amanhã...
E quando é meu próximo pagamento? Seu pagamento foi transferido para o dia 31 de fevereiro...
E em que dia cai o dia 31 de fevereiro? Depois do dia 30 mais precisamente...e antes do dia primeiro se não me engano...
Então neste dia eu posso vir, que está tudo certo então? Com certeza, o senhor pode vir

Mas em qual horário?
Qualquer horário Seu Sebastião, pode ser de manhã, de tarde, de noite, de madrugada, o senhor escolhe...
Você poderia anotar num papel, quantos dias faltam para chegar este dia, que é para que eu não esquecer... Não, não posso, pois falta menos tempo do que o senhor imagina, e muito mais tempo do que eu mereço
E esse tempo cai em qual dia da semana? Bommm...pra resumir, gostaria de reiterar que este diálogo estava se repetindo de acordo com as contas de Ubaldo pela milésima “NOGENTÉSIMA” vez, o que certamente provocou um surto momentâneo em nosso amigo, que hoje se encontra internado num hospital psiquiátrico para detentos.
Está preso tem dois anos e sem perspectiva de sair ainda com vida, mas mesmo assim, com um sorriso inenarrável no canto dos lábios.
Consta nos laudos que ele fala sozinho e vai se irritando até o momento que em sua imaginação, rola atracado com um senhor magro, meio tísico, de estatura baixa e com uma tosse “pai de santo” de maneira a enforcá-lo até a morte de acordo com seu próprio relato aos médicos de plantão.
Já “Seu Codorninha”, com certeza neste instante, sem nenhum remorso, indaga São Pedro no céu, pela milésima vez, sobre o porquê de seu pagamento ter sido transferido para o dia 31 de fevereiro.

12 comentários:

  1. Que gracinha o vovozinho da foto!
    Tadinho sofrer assim.
    Adorei o conto!
    E que linda a cadelinha que queria voar... rs. Linda mesmo!
    Bom fim de semana pra vc, menino!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Élcio, se é seu promeiro contato, quero o segundo o terceiro e por aí afora...rs

    Olha, meu amigo, textos longos só são longos quanto são chatos...rsrs

    Não é caso do seu, pois já estava aqui agoniada com tantas idas do Codorninha ao Banco...

    Ufa, que alívio o Ubaldo ter tido a grande idéia...

    Pena o Codorninha ter surtado...

    Mas se ele não surtasse, que surtaria seria o Ubaldo, Com certeza...

    Boa sorte! Estar na final não é fácil!


    Beijos avassaladores


    PS: Sobre a Aila...rsrsrs

    Acredito no sonho de Ícaro... Afinal, cães são tão inteligentes...rs

    ResponderExcluir
  3. Oi, Élcio

    quando vi atualizando vim correndo, mas vou voltar depois, estou num sufoco no trabalho. Mas ouvindo forró e lendo blogs e sonhando rsrsr

    Mas é preciso refazer 502 documentos que mudaram o padrão. Eu ainda não estou acreditando que vou trabalhar tanto. Ufa!

    beijos

    ResponderExcluir
  4. próximo livro..
    CONTOS DO TUI..
    mas ó vou postar aqui meu Merchandising...
    A minha animação SAMBA MORENA, videoclipe da música do grupo
    Dois do Samba está concorrendo a melhor videoclipe pelo voto do júri popular..
    Mais uma vez conto com o apoio dos amigos...

    A votação popular já começou no Site do Conexão VIVO...
    basta entrar no meu perfil pelo link:
    http://cacinho.conexaovivo.com.br/
    e votar em baixo da minha foto de perfil
    Clicando em: VOTE NESTE PERFIL
    Agradeço a todos

    divulga na sua lista aeee....

    ResponderExcluir
  5. Sempre há uma primeira vez, rsss
    Hoje passo para deixar meu carinho e votos de feliz final de semana
    Um abraço

    ResponderExcluir
  6. Adorei o conto...não poderia ser diferente, longo mais intenso...a foto tá dez!rs....e sobre o desafio, adorei!!...rs obrigada por ter aceito, sei da sua correria , vc sempre diz isso aqui, muiiito legal sua agenda...olha, se eu fotografar a minha tá um pouco mais rabiscada...rsrs, muito bom isso né? são um pouquinho de nossas referências no blog.Vou esperar o Poema do palhaço, to curiosa...sobre as imagens, obrigada, é que sou apaixonada por fotos, imagens e vou arquivando algumas aqui.Bom, antes que eu faça um post aqui ao invés de um comentário...Desejo um excelente final de semana, muito sol...apesar de amanhã começar o inverno...:)

    Bjo!

    ResponderExcluir
  7. Obrigada meu caro por sua presença em meu cantinho, por seu carinho. Um abraço.

    ResponderExcluir
  8. Olá, querido! Sempre bom ter seu rastro pelos meus jardins... rs.
    Pois é, foi justamente o abalo sísmico que resultou naquele post. Sabe, nunca ninguém me descreveu tão perfeitamente como vc o fez naquelas 4 linhas que estão lá (e olha que foi sem saber! hahaha), nem eu mesma... rs. Por isso eu realmente tinha de eternizar aquelas palavras no meu canto. Eu daria à aquela estrofe o nome de "Sandra em quatro linhas"... rsrs. E sobre não saber se responderia pra Judith ou pra Sandra, bem, assim como o profano e o santo dividem o mesmo lugar no meu ego, as duas também... kkkkkkkkk. É tudo a mesma coisa.
    E, pra terminar, deixo aqui então os meus PARABÉNS! Afinal, hoje é seu dia. Que seu domingo seja do jeito que vc gosta, cheio das mais variadas manifestações de carinho das quais certamente vc é merecedor. E que de presente vc só ganhe boas notas nesse mundo de provas e trabalhos! Feliz dia, querido! E obrigada por passear por lá de vez em quando.
    Abraço apertadíssimo na alma! ;)

    ResponderExcluir
  9. Élcio, cheguei, estou rindo com seu conto e tossindo, um gripe horrível. rsrsr

    Seu conto ficou excelente, você tem uma narrativa muito boa, isso eu já sabia, tem o poder de prender a atenção, e ainda teve um desfecho criativo, inusitado para o leitor.

    Valeu!!! Parabéns.

    ResponderExcluir
  10. Oi, amigo, hoje cedo eu li tua entrevista na Vanessa e adorei ver tua fotografia e te conhecer melhor foi um prêmio.
    Teu conto ficou muito bom, fácil de ler, delicia a tua narrativa.

    E Seu 'codorninha' é um mito vivo.
    A tosse de pai de santo...(risos muitos muitos)
    Agora deixa te dizer que eu bem queria uma rifa do 'Prá'...
    E por fim, puseste um par de asas na Aila?

    Escreve sobre estesMitos vivos, Élcio o conto está perfeito.
    Aplausos de pé!
    carinho,

    Mai

    ResponderExcluir
  11. Me deu vontade de fazer uma análise grafológica de sua letra!
    Bjos

    ResponderExcluir

Semeando