terça-feira, 31 de março de 2009

O lado asfalto das utopias e querências


O lado asfalto das utopias e querências

Queria um dia derrotar humildemente as palavras
Queria silenciá-las para sempre com seus receios mais sensatos
Queria seqüestrar a empatia e a cumplicidade, sem deixar que elas fujam no meio da tarde
Queria mergulhar dos sonhos e me afogar nas minhas urgências mais urgentes
Queria me conceder o poder de mudar as estações para transformar os invernos em eternas primaveras
Queria ter nas mãos o privilégio de poder honrar a minha ternura
Queria poder nomear o vento meu procurador para que me representasse na temperança dos outonos
Queria congelar em meus olhos as imagens dos instantes que se foram
Queria rasgar um poema triste para cada riso que em mim brotasse
E queria revalidar as escrituras da alma com a simplicidade inocente das minhas palavras
Mas o que estou dizendo?
Esta já é a mais profunda escritura da realidade
A que se tornou concreta, apesar das supostas querências e utopias
Pois ao ser concebida, alimentou-se da razão
E sendo assim, não há como alterar sua natureza
E afirmo isso após ter observado e estudado as ondas do mar
Pois elas chegam até as areias com muita facilidade
E delicadamente nos molham os pés com sua espuma
Mas, logo depois se recolhem, nos braços da imensidão
Há ocasiões em que elas chegam até mesmo na beira dos asfaltos
Isso geralmente acontece quando a maré está cheia
Porém, sempre retornam ao seu destino
Pois reconhecem, e no fundo sabem que aquele é o seu lugar
Portanto, essa será sempre a sua imutável decisão
Surpresa seria o contrário, o oposto
Surpresa seria eternizar a paz na Faixa de Gaza
Surpresa mesmo seria, como já diria meu professor de ética e moral
Alguém querer trocar 10 por 9, e assim perder-se da razão
Bem...de bônus ficarão para sempre as nuances deste quase previsível azul
O resto são, flores, lágrimas, sorrisos e espinhos, e claro, um punhado de esperanças meio tortas numa folha ainda em branco
Isso sem falar de alguns poemas quase elucidativos
Feito com as maresias que o mar deixou na rudeza fria do asfalto

sexta-feira, 27 de março de 2009

Brincando de hoje



Olá pessoal, a correria está grande, mas ontem deu tudo certo na apresentação e defesa de um trabalho na facul, apesar dos imprevistos. Hoje respirando um pouco...rsrs...mas só hoje, semana que vem tem mais...deixa eu correr...
Um abração na alma de todos...e um ótimo fim se semana para todo mundo...valeuuu!!


Brincando de hoje

Ando esquecendo de dormir
Ao prolongar-me de olhos abertos
Aí então me transporto
Mergulho no mar e nos seus ruídos
E não vejo mais nada
Aos poucos durmo, no balanço das ondas
E acabo sonhando o que não me sabia
Porém, consciente de que ainda não sei
Dou vazão ao meu sorriso
E volto a ser criança
Sem querer saber do meu tempo
Sem querer saber do futuro
Porque criança não se sabe ontem
E muito menos amanhã
Apenas vive, correndo e brincando de hoje
Perpetuando ao máximo a derradeira infância

Já nós que nos indagamos a respeito da vida
Absorvemos o sentido que nos transborda
Tantas vezes silente e incontido
No leito dos nossos olhos
Sorte que as palavras que me nascem
Entre flores, pedras e rios
Secam os meus olhos d'agua
E fazem brotar de novo o riso contido
Que ainda ontem se escondia na minh'alma
Apesar disso, não quero me impor entendimentos
E nem me afogar nas interrogações
Passos precisos, olhos atentos nos passos da vida
Dobro a esquina e me preencho de ruas, avenidas e asfaltos
E é assim que sigo, brincando de hoje
Colhendo brisas, ventos, calmarias e tempestades
Se não fosse assim...que graça teria ela...a vida...

segunda-feira, 23 de março de 2009

Hoje é véspera de terça-feira



Bom dia pessoal...dia impronunciável...rsrs...boa semana para todo mundo....rsrs
Um abraço na alma

Hoje é véspera de terça-feira

Ao chegar de ontem
optei por acordar de olhos fechados
é que ando querendo
permanecer sono por mais um dia
não que seja por preguiça
ou por total falta de alegria
é que sei lá, deu um tanto de vazio
um tanto de nem sei
na verdade eu não mais lembrava
que hoje era dia de não descansar
perdi o quadrante das horas
e acabei me abraçando aos fins de semana
ao me desfazer dos calendários
puxa vida! bem que hoje podia ser véspera de sábado
ou quem dera véspera de uma suposta quarta-feira de cinzas
mas, infelizmente não é...
dia impronunciável, indelegável
quase interminável, prefiro dizer
hoje é véspera de terça-feira
mas, passa rápido, o sorriso é valente...rs
e ainda por cima teimoso...

sábado, 21 de março de 2009

Cotidiano de uma ex-jovem septuagenária




Cotidiano de uma ex-jovem septuagenária

Ela me fitou enigmática
E com a mão ensaiou posturas como a do pensador
Tentou balbuciar algumas palavras
Mas, tarefa quase impossível, deu com os ombros
Dobrou com a mão boa a ponta do lençol
E me esboçou um leve sorriso
Logo depois ameaçou um terno olhar de quem não entendia
Eu ali, sentado no chão do quarto
Descalço e meio sem rumo, meio sem alma
Escrevendo minhas bobagens
É que a vida para ela ficou assim
Meio sem graça, meio sem chance
Meio sem pronúncia, meio sem meio
Meio sem jeito, meio sem nada
E ainda sem a paisagem do cotidiano
Só restou a janela do quarto
O coqueiro a lhe dar adeus
E uma réstia de sol a lhe fazer companhia
Ah...e o enorme quadro-colagem
Que ainda faz brilhar seus olhos cansados
É que neles estão contidas as fotos de seus netos e netas
O que proporciona alguns momentos de teimosia
Mas não é só isso, para enganar o tempo do próprio tempo
Ela se dedica a mexer na costura do edredom que se desfez
E ali ao se entregar, ganha um alento para o seu silêncio
O que mais esperar...a noite chegou e trouxe o frio
Hora dela deitar e descansar do seu descanso
Os pés estão ficando roxos e meio gelados.
Que mais dizer, escrever ou lamentar
A vida é assim, às vezes dá, às vezes tira
Às vezes soma, às vezes subtrai...


Um abraço na alma...

sexta-feira, 20 de março de 2009



A foto é de Atafona, pequena cidade aqui do Rio que está sendo engolida pelo mar...
Olá pessoal, este poema é dedicado a poesia, ando rasgando folhas escritas, escrevo, leio, rasgo e amasso...rsrs...acho que ando meio crítico comigo mesmo...
Um abraço na alma de todos...

SÚPLICA À POESIA

VEM POESIA, COMO SERENO DA NOITE
TRAZ O CLARÃO DA LUA CHEIA
VEM COMO A ESTRELA CADENTE
E SOLITÁRIA POUSA EM MINH’ALMA

VEM POESIA, TIRA O VAZIO DE MIM
FAZ DELE A UTOPIA SEM LIMITES
TRAZ QUIMERA AO MEU PENSAMENTO
E O TRANSFORMA EM FLUENTES VERSOS

VEM POESIA, FAZ DE MIM LIBERDADE
OFERECE MEUS VERSOS A MULTIDÃO
SAGRADA QUE ÉS DOS MEUS ESCRITOS
TERNA IRMÃ DE MEUS SONHOS E POEMAS

VEM POESIA, INCITA-ME COMO O LOBO
A BRADAR EM UIVOS MEUS ANSEIOS
INVADE SORRATEIRA A MADRUGADA
A PROCURA DA INSÔNIA INTERMITENTE

VEM POESIA, CAMINHA AO MEU LADO
ENTREGO-TE DA MINHA ALMA O POETA
PRA QUE JUNTOS NUMA SÓ INSPIRAÇÃO
POSSAMOS SER CUMPLICIDADE

VEM POESIA, NÃO ME ABANDONE
INCORPORA-ME NAS TUAS ENTRANHAS
PRA QUE BROTE DO ÂMAGO EM VERSOS
O MAIS PURO SENTIMENTO DA ALMA

terça-feira, 17 de março de 2009

Último Alento



Este poema é da dona Elza...
Mãe, que eu possa amadurecer sem cair do pé, e ainda ter lucidez para escrever como a senhora...beijo.
Ela tem nada mais nada menos que três cadernos lotadinhos de poemas...77 aninhos...é super religiosa, super coruja, e tudo o mais que uma super mãe pode ser...rsrs
Estamos digitando os poemas, e o sonho é editar um livro surpresa e infartar a coitadinha(brincadeirinha...toc...toc...batendo na madeira...rsrs)
Galera, enrolado para comentar...mas uma hora apareço...um abraço na alma de todos...
Valeuuuuuuuuuuuuu!! Eita vida corridaaaaaaa...eita vidaaaaaaaaa...vamos que vamos...


Último alento

Quando estiver findando o meu tempo
E as coisas se tornarem mais obscuras
Quando meus olhos se moverem mais lentos
Com meu corpo cansado da vida
Então irei escrever meu último poema
Deixarei do meu pensamento
Velhas visões, velhos ideais
Escreverei com as mãos trêmulas
E talvez uma lágrima sentida caia dos meus olhos
Escreverei sobre os anos que vivi
E das coisas que aprendi
Meus dias nublados, coisas do passado
Lembrarei meus dias de sol
Meus dias de tempestade e os dias mais alegres
Enfim, tudo que guardei em minha memória já idosa
Repleta de frases confusas
Então talvez, meu último poema não seja terminado
Pois ele será escrito quando o abraço da morte
Já tiver me cercado
Sendo assim, ficará incompleto
Mas alguém compreenderá que não me faltou esforço
Não me faltou quase nada
Apenas tempo para poder terminá-lo
Irei feliz, pois cumpri com meu dever
Pois morrendo é que nascemos para a vida eterna
Habitaremos na casa do pai
E nela encontraremos com todos
Os nossos queridos que nos precederam
Viveremos uma vida plena de paz e amor
No aconchego da luz de Deus

Elza Ribeiro Pinto

domingo, 15 de março de 2009

NA PELE DO LOBO





BLOGAGEM COLETIVA: BLOG TERTÚLIAS VIRTUAIS
http://tervirtual.blogspot.com/
TEMA: DESEJO

O MEU DESEJO É QUE EU JAMAIS POSSA DAR VAZÃO AS PALAVRAS EXPOSTAS NESTE MEU POEMA DOIDO DE PEDRA...RSRS
UM ABRAÇO NA ALMA DE TODOS...E UM DOMINGO PRÁ LÁ DE BOM E PROVEITOSO. SUCESSO PARA A BLOGAGEM COLETIVA...VALEUUUUUU! DEIXA EU ESTUDAR...TRABALHO...TRABALHO...TRABALHO...


NA PELE DO LOBO

HOJE ACORDEI SEM LUCIDEZ, VESTI SEM REMORSO A PELE
DO LOBO
SOU CRIA DA CORRUPÇÃO E DOS MAUS POLÍTICOS
SOU NETO DOS PORÕES DA DITADURA,
SOU FILHO DOS MAUS TRATOS E DAS FEBENS
REFÉM DAS DROGAS E DA DESESPERANÇA
PERDI O SILÊNCIO DOS MONGES TIBETANOS
PERDI A MANSIDÃO, A GENTILEZA E A SOLIDARIEDADE.
VAGUEI PELAS RUAS SEM MEDO E SEM DESTINO
E SEM RUMO VOMITEI A BÍLIS DA INCERTEZA
DESENTERREI EM MIM AS SOMBRAS
COBRI-ME COM O VÉU DA LOUCURA
TOMEI E SENTI O FEL COMO SE FOSSE DOCE
ARRANQUEI DAS ENTRANHAS O AMOR, NAUFRAGUEI MEUS INSTINTOS,
TORCI O NARIZ E REJEITEI QUALQUER FORMA DE CARINHO
LIBERTEI O GRITO ENTALADO E EXPLODI MEUS SONHOS
E NA CORAGEM DA FRAQUEZA VIREI MEU PRÓPRIO CARRASCO
ENCURRALEI MEUS MEDOS E OS DESPI SEM AVISO PRÉVIO
DEIXEI-OS ORFÃOS, SEM SEGURO, SEM FGTS E SEM PLANO
DE SAÚDE.
RASGUEI AS CERTEZAS, JOGUEI-AS NO VASO E DEI DESCARGA.
SOLTEI AS MINHAS AMARRAS, MINHAS GARRAS, MINHA FÚRIA.
CUSPI FAGULHAS FEITAS DE RAIVA E INTOLERÂNCIA
LARGUEI A PACIÊNCIA NAS FOSSAS QUE ENCONTREI PELO
CAMINHO
ARRANQUEI MEUS OLHARES DE PENA, TIVE ÓDIO E TAMBÉM A
CÓLERA.
SOQUEI RAIVOSO O QUE DE MIM ERA HUMILDADE E SORRI PRA
IGNORÂNCIA
ABRACEI O DEBOCHE, A MENTIRA, A INTOLERÂNCIA E A FALSIDADE.
BEIJEI OS ESPINHOS, DESPETALEI AS ROSAS, ARRANQUEI AS
FOLHAS.
REJEITEI ABRAÇOS, APERTOS DE MÃOS, OLHARES E AJUDA,
CAÍ NAS GRAÇAS DA DESGRAÇA, CAI NAS GRAÇAS DO SEM
GRAÇA.
FORJEI MINHAS MALDADES NO FOGO DA LUXÚRIA
E NAS LABAREDAS DO INCOMPREENSÍVEL
SENTI INVEJA, PODRIDÃO, MATEI E ROUBEI.
SOU CAPACHO DO MEU EGO, TRAÍ MEUS SENTIMENTOS.
AFOGUEI O MEU PERDÃO, MEU CORAÇÃO E A MINHA ALMA.
ASSASSINEI, IGNOREI E AGREDI SORRINDO COM ALEGRIA
TRIPUDIEI DIANTE A INOCÊNCIA, A SENSIBILIDADE E A ESPERANÇA,
AGORA SOU UM ABUTRE, NA ESPREITA POR OUTRAS VÍTIMAS,
E VIVO ARROTANDO PALAVRAS FÉTIDAS E IMPRÓPRIAS.
SOU ESPERA, SOU O RESTO DO RESTO, DO MEU PRÓPRIO
RESTO,
SOU A ESCASSEZ DOS BONS SENTIMENTOS...
SOU O QUE ENVERGONHA, SOU O CAOS DA SOCIEDADE,
SOU PÓLVORA, FOGO E TAMBÉM PAVIO...

PARA NÃO FICAR MUITO PESADO, DEIXO ESTA DO VITOR HUGO, QUE É SHOW DE BOLA...

DESEJO
Victor Hugo

Desejo, primeiro, que você ame,
e que, amando, também seja amado.
E que se não for, seja breve em esquecere
esquecendo não guarde mágoa.
Desejo, pois, que não seja assim,
mas se for, saiba ser sem desesperar.
Desejo também que você tenha amigos
que, mesmo maus e inconsequentes,
sejam corajosos e fiéis,
e que pelo menos em um deles
você possa confiar sem duvidar.
E porque a vida é assim,
desejo ainda que você tenha inimigos,
nem muitos, nem poucos,
mas na medida exata para que,
algumas vezes,você se interpele a respeito
de suas próprias certezas.
E que, entre eles,
haja pelo menos um que seja justo,
para que você não se sinta demasiado seguro.
Desejo, depois, que você seja útil,
mas não insubstituível.
E que nos maus momentos,
quando não restar mais nada,
essa utilidade seja suficiente
para manter você de pé.
Desejo ainda que você seja tolerante,
não com os que erram pouco,
porque isso é fácil,
mas com os que erram muito
e irremediavelmente,
e que fazendo bom uso dessa tolerância,
você sirva de exemplo aos outros.
Desejo que você, sendo jovem,
não amadureça depressa demais,
e que, sendo maduro,
não insista em rejuvenescer,
e que, sendo velho,
não se dedique ao desespero.
Porque cada idade tem o seu prazer
e a sua dor e
é preciso deixar que eles
escorram por entre nós.
Desejo por sinal que você seja triste.
não o ano todo,
mas apenas um dia.
Mas que nesse dia descubra
que o riso diário é bom,
o riso habitual é insosso
e o riso constante é insano.
Desejo que você descubra,
com a máxima urgëncia,
acima e a despeito de tudo,
que existem oprimidos,
injustiçados e infelizes,
e que estão à sua volta.
Desejo ainda que você afague um gato,
alimente um cuco
e ouça o joão-de-barro
erguer triunfante o seu canto matinal,
porque, assim, você se sentirá bem por nada.
Desejo também que você plante uma semente,
por mais minúscula que seja,
e acompenhe o seu crescimento,
para que você saiba de quantas
muitas vidas é feita uma árvore.
Desejo, outro ssim,
que você tenha dinheiro,
porque é preciso ser prático.
E que pelo menos uma vez por ano
coloque um pouco delena sua frente
e diga "isso é meu",
só para que fique bem claro
quem é o dono de quem.
Desejo também que nenhum
de seus afetos morra,
por ele e por você,mas que se morrer,
você possa chorar sem se lamentar,
sofrer e sem se culpar.
Desejo por fim que você,
sendo um homem,
tenha uma boa mulher,
e que, sendo uma mulher,
tenha um bom homem
e que se amem hoje,
amanhã e no dia seguinte,
e quando estiverem exaustos e sorridentes,
ainda haja amor para recomeçar.
E se tudo isso acontecer,
não tenho mais a te desejar.

BONITO DEMAIS...VALEUUUUUU!

sábado, 14 de março de 2009

SOLIDARIEDADE



HOJE QUERO FALAR SOBRE UM GESTO, UM SIMPLES GESTO DE SOLIDARIEDADE, UM GESTO QUE POR SER TÃO SIMPLES SE TORNA IMENSO EM SEU SIGNIFICADO. É O SEGUINTE:
DONA ELZA, MINHA MÃE, POETISA DAS BOAS, FOI PASSAR UNS DIAS NA CASA DE MEU IRMÃO, COMO VIVE COM AS PERNAS E OS PÉS SEMPRE INCHADOS,(ELA NÃO BEBE...RSRS...PROBLEMAS DE CIRCULAÇÃO, VARIZES...ETC...RSRS))TEM QUE USAR CHINELOS, POIS BEM, PARA QUE ELA NÃO SE SENTISSE UM PEIXE FORA D'ÁGUA, TODAS AS VEZES EM QUE ELES SAÍRAM PARA PASSEAR, ASSIM COMO ELA, USARAM CHINELOS...
MANINHO, ACHEI SHOW DE BOLA ISSO, E O NOME DISSO É "SOLIDARIEDADE", NÓS SABEMOS, MAS DENTRO DESTE GESTO MORAM OUTRAS PALAVRAS COMO COMPREENSÃO, EMPATIA E AMOR.
E NA VIDA, ISSO É O QUE FAZ A DIFERENÇA...BEIJÃO PARA VOCÊS...


RECEBI UM COMENTÁRIO ANÔNIMO DO KHALIL GIBRAN, MUITO BONITO POR SINAL, E DEIXO ESTE POEMA SOBRE MINHA HUMILDE PESSOA...MEIO QUE EXPLICATIVO...MESMO SEM SABER SE A PERGUNTA FINAL ERA PARA MIM.
UM ABRAÇO NA ALMA DE TODOS...


EU,POEMA

SOU UM POUCO DE TUDO
SOU UM RASO TÃO FUNDO
SOU IMENSO E INTENSO
SOU VAZIO, SOU DENSO
SOU DO MUNDO POEMA
SOU DE VERSOS REVERSOS
SOU ESPAÇO DE SOBRA
SOU A SOBRA DA FESTA
SOU A LUZ QUE AINDA RESTA
SOU UM POUCO DE VENTO
SOU MORMAÇO E RELENTO
SOU A CHUVA E A BRISA
SOU A SOMBRA PRECISA
SOU UM RESTO DE BRUMA
SOU DO MAR A ESPUMA
SOU DE MIM MULTIDÃO
SOU TAMBÉM SOLIDÃO
SOU A VOZ DO SILÊNCIO
SOU DA ALMA TERNURA
SOU A PLENA BRANDURA
SOU FRACO, SOU GENTE
SOU FORTE E ARDENTE
SOU REMO, SOU BARCO
SOU FLECHA, SOU ARCO
SOU UM TANTO DE ESTIO
SOU ALMA, SOU BRIO
SOU ADULTO E CRIANÇA
SOU AMOR SEM FRONTEIRAS
SOU O PRÓPRIO PERDÃO
SOU UM RASTRO DE VIDA
SOU A FLOR E O JARDIM
SOU O NÃO, SOU O SIM
SOU ENTÃO, SOU SENÃO
SOU A CURA E A FERIDA
SOU O VINHO E O PÃO
SOU O INÍCIO E O FIM
MESMO ASSIM
SOU DE MIM

quinta-feira, 12 de março de 2009

No que ainda posso me ouvir


A COISA

A gente pensa uma coisa, acaba escrevendo outra e o leitor entende uma terceira coisa... e, enquanto se passa tudo isso, a coisa propriamente dita começa a desconfiar que não foi propriamente dita.

Mario Quintana

Caramba...não é que a vezes é assim mesmo, por isso vou postar este poema, que acho que já nem sei...rsrs...Um abraço na alma...


No que ainda posso me ouvir

Bastaria um pingo de azul no intransponível
para que se transbordasse o inesperado
no entanto, há um talvez quase insolúvel
ainda mais forte que o próprio entendimento
e que por tão conscientemente indefinido
enlouqueça no equilíbrio embriagado
há portanto um sujeito indeterminado
e verdades não suficientemente tácitas
represadas num quem sabe de suposições insaciáveis
onde o que talvez permanecesse indecifrável
não mais que de repente se decifre inatingível
porém, intransigente, no que ainda posso me ouvir
quase é não ou coisa muito parecida
que ao acaso, supostamente embevecida
hesite diante a miragem descabida
não que isso não seja um tanto de mim
que não seja eu mesmo, também
um poema inacabado...

terça-feira, 10 de março de 2009

Alguém lembrou dos índios?


Fala galera, postando, mas o PC vai para a UTI, anda com problemas no cérebro...e vive desmaiando sem mais nem menos...um abraço, assim que ele se recuperar, eu volto...UM ABRAÇÃO NA ALMA DE TODOS...

Ainda aos excluídos...parabéns Ester pela Blogagem Coletiva...

Ah...alguém falou sobre os índios? Com certeza eles mereciam melhor sorte, mais respeito, pois são os verdadeiros donos dessa terra, agora meio que sem dono.


UM GRITO AO VENTO

ENQUANTO OS VERSOS FOREM PRA MIM
ABRIGO E FUGA DE SENTIMENTOS
SEREI APRENDIZ DOS MEUS ESCRITOS
SUBALTERNO DE MINHAS INSPIRAÇÕES
TEREI LANÇADO PRA SEMPRE NA ALMA
A ESPERANÇA DOS MAIS AFLITOS
SEREI HERÓI E TAMBÉM BANDIDO
PRESO EM MEU LABIRINTO DE EMOÇÕES
IREI GRITAR E CORRER AO VENTO
INVOCANDO DO CÉU A JUSTIÇA
PRA QUE NO ECO DAS MINHAS PALAVRAS
OS VERSOS POSSAM SE ENCONTRAR
GRITAREI AOS QUATRO CANTOS DO MUNDO
DANÇAREI A DANÇA DOS INCONFORMADOS
CANTAREI O HINO DOS INJUSTIÇADOS
DECLAMAREI A POESIA DOS DESESPERADOS
SENTIREI A SEDE DOS EXCLUÍDOS
E SENTIREI A FOME DOS DESNUTRIDOS
PRA QUE TODA REVOLTA SEJA ABENÇOADA
E TODA JUSTIÇA QUE JAZ INJUSTIÇADA
POSSA UM DIA RENASCER DAS POESIAS

segunda-feira, 9 de março de 2009



Bom dia pessoal, vou deixar aqui dois temas: o primeiro é um poema meu que fala do abandono e do descaso com as crianças do nosso Brasil. Já o segundo fala obre o racismo. É de um vídeo que por coincidência assisti ontem ao procurar por material para incluir num trabalho da facul, gostei tanto que copiei o texto e resolvi postar também, mas não sei quem é o autor. Boa segunda para todo mundo e sucesso para a blogagem coletiva, acho que já deu certo. Um abraço na alma...



INFÂNCIA E FOME


SÃO TEMPOS DIFÍCEIS
MARCADOS PELA DESIGUALDADE
SÃO TRANSVERSAIS DA HISTÓRIA
SÃO OS VENTOS VINDOS DO NORTE
SÃO POBRES CRIANÇAS POBRES
PERDIDAS NO TEMPO E NO ESPAÇO
ABANDONADAS NO MEIO DO NADA
LANÇADAS A PRÓPRIA SORTE
TROCAM A INFÂNCIA PELA LABUTA
TEUS BRINQUEDOS SÃO AS ENXADAS
TEM NAS ENTRANHAS SUOR E CARVÃO
E O MANGUE CRAVADO NAS UNHAS
ESBARRAM-SE NOS SEMÁFOROS
SÃO FLANELINHAS DA ESQUINA E DO FRIO
SOLDADOS ITINERANTES NOS METRÔS
ARMADOS DE BALAS E SONHOS
MENINAS VIRGENS OU GRÁVIDAS
SOLÍCITAS AOS DESEJOS DA CARNE
DESFILAM DESAMPARADAS NA NOITE
COLHENDO SÊMEN EM SEUS VENTRES
É O RETRATO DE UM BRASIL URGENTE
DE UM GIGANTE IMPÁVIDO DESGOSTO
DOS FILHOS TEUS QUE NÃO FOGEM A LUTA
ESPERANDO DA PÁTRIA, UMA MÃE MAIS GENTIL



Meu querido branco

Eis uma coisa que você deve saber
Quando eu nasci, eu era negro
Enquanto crescia, eu era negro
Quando tenho frio, sou negro
Quando tomo sol, sou negro
Quando tenho medo, sou negro
Quando fico doente, sou negro
E quando eu morrer...
Vou continuar sendo negro
Já você, querido branco
Quando nasce, é rosa
Enquanto cresce, é branco
Quando tem frio, fica roxo
Quando toma sol, fica vermelho
Quando tem medo, fica amarelo
Quando fica doente, você fica verde
E quando morre, você fica cinza
E ainda tem a cara-de-pau de me chamar de pessoa de cor...

Autor desconhecido

sábado, 7 de março de 2009

Já faz parte, a minha arte, é brincar de renascer...

Olá pessoal... to de volta...aproveitando o feriadão aqui...só não posso prometer frequência...os coments estão abertos ok. Bem...defino minha volta repentina com um trecho de uma música do kleiton e Kledir, de que gosto muito...que se chama "Bry" e que é assim...


Bry-sur marne
Nunca é tarde
Tô de volta outra vez

Já faz parte
A minha arte
É brincar de renascer...Bom...to de volta..do jeito que der...rsrs...

Coloquei estas imagens, mas o universo feminino vai muito além...
Depois das imagens, deixei um texto sobre as mulheres...(não sei quem é o autor, apenas gostei e resolvi postar) só peço que não deixem de ler a frase final ok? Pois a frase é minha...rsrsrsrsrs....Um abraço na alma...Um super domingo para todos nós...inclusive para os que não são mulheres...rsrsrs


























Que o outro saiba quando estou com medo e me tome nos braços sem fazer perguntas demais. Que o outro note quando preciso de silêncio e não vá embora batendo a porta, mas entenda que não o amarei menos porque estou quieta.
Que o outro aceite que eu me preocupo com ele, e não se irrite com minha solicitude, e se ela for excessiva saiba me dizer isso com delicadeza ou bom humor.

Que o outro perceba minha fragilidade e não ria de mim, nem se aproveite disso. Que se eu faço uma bobagem o outro goste um pouco mais de mim, porque também preciso fazer tolices tantas vezes.

Que se estou apenas cansada o outro não pense logo que estou nervosa, ou doente, ou agressiva, nem diga que reclamo demais. Que se começo a chorar sem motivo depois de um dia daqueles, o outro não desconfie logo que é culpa dele, ou que não o amo mais.

Que se estou numa fase ruim o outro seja meu cúmplice, mas sem fazer alarde nem dizendo: "Olha estou tendo muita paciência com você!"

Que se me entusiasmo por alguma coisa, o outro não a diminua, nem me chame de ingênua, nem queira fechar essa porta necessária que se abre para mim, por mais tola que lhe pareça.

Que quando sem querer eu digo uma coisa bem inadequada diante de mais pessoas, o outro não me exponha nem me ridicularize. Que quando levanto de madrugada e ando pela casa, o outro não venha logo atrás de mim reclamando: "Mas que chateação essa sua mania, volta para cama!"

Que se eu eventualmente perco a paciência, perco a graça e perco a compostura, o outro ainda assim me ache linda e me admire. Que o outro - filho, amigo, amante, marido - não me considere sempre disponível, sempre necessariamente compreensiva, mas me aceite quando não estou podendo ser nada disso.

Que, finalmente, o outro, entenda que mesmo se às vezes me esforço, não sou, nem devo ser, a mulher-maravilha, mas apenas uma pessoa: vulnerável e forte, incapaz e gloriosa, assustada e audaciosa... uma mulher.

E se um dia alguém tiver a coragem de inventar o dia internacional do homem, que este texto possa ser usado da mesma maneira pelas mulheres...rssrsrs

FELIZ DIA INTERNACIONAL DA MULHER...VOCÊS MERECEM...UM ABRAÇO NA ALMA

OLá pessoal, pegando carona no poema da Clarice...só para matar a saudade, mas ainda tem amanhã, Dia Internacional da Mulher e segunda...blogagem coletiva...feriado por aqui e aula só na quarta...então...é isso...Um abração na alma de todo mundo...


Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completo quando não entendo. Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doido. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo.

Clarice Lispector



Filhota Elis...

SONHAR

SONHAR É QUALQUER COISA DE BOM
DÁ COR AO QUE VOCÊ DESEJA E QUE AINDA NÃO PODE
DÁ UM TOM DE REALIDADE AO SENTIMENTO
ENGANA A DESESPERANÇA COM UM TERNO OLHAR DE QUEM
JÁ TEVE
DÁ AO CORAÇÃO UM SOPRO DE VIDA
UMA QUASE VENTANIA
UMA IDÉIA FIXA DE QUE É POSSÍVEL
MESMO QUANDO TUDO TE MOSTRA O CONTRÁRIO
AÍ A GENTE DÁ FÉRIAS PRA TRISTEZA,
E COLOCA A FELICIDADE PRA TRABALHAR.

ELCIO TUIRIBEPI

É isso Elis, para que as coisas aconteçam, antes de tudo é necessário sonhar, acreditar e ir em frente, mas nunca se esqueça de manter os pés no chão...Feliz Aniversáriooooo...sonhe...realize e pode continuar a contar comigo...sempre...
Bjo na alma...DO SEU PAIAÇO...

terça-feira, 3 de março de 2009

FRAGMENTOS



FALA PESSOAL...NÂO TEM JEITO MESMO, A CORRERIA SÓ AUMENTANDO, A FACUL E O TRAMPO ME ACABANDO, E SENDO ASSIM, RESOLVI DAR UM TEMPO COM AS COISAS DA NET...EITA VÍCIO...RS...FECHEI OS COMENTS, SENÃO JÁ VIU NÉ! VOU CISMAR DE RESPONDER E VIRA UMA BOLINHA DE NEVE...RS
JULHO ESTÁ PERTINHO E AÍ EU VOLTO PARA MATAR A SAUDADE...NO MAIS A VIDA SEGUE, E DO JEITO QUE TEM DE SER...UM ABRAÇO NA ALMA E FELICIDADES PARA TODO MUNDO SEM TIRAR NEM POR...POR FALAR EM FELICIDADE DEIXO UM "PEDACIM" TAMBÉM DO MEU POEMA "FELICIDADE"...VALEU...AGRADEÇO A CADA UM QUE POR AQUI PASSOU E DEIXOU UMA PALAVRA AMIGA DE INCENTIVO...DE CORAÇÃO E ALMA...FUIIIIIIIIII...

A FELICIDADE RONDA A ALMA
SEMPRE INDÓCIL E SOLIDÁRIA
A ESPERAR NOSSO CONVITE

FELICIDADES GALERAAAAAAAAAAA!!!!


FRAGMENTOS

QUAL É O TANTO QUE ME FAZ COMPLETO
QUAL O MEU TODO QUE É SENTIMENTO
QUAL É A PARTE QUE ME FAZ SELETO
NA MINHA ALMA QUE É FRAGMENTO
QUAL É O TANTO QUE ME FAZ BRAVURA
QUAL É O MEDO QUE AINDA AGRIDE
QUAL É A PARTE QUE ME FAZ BRANDURA
NAS PARTES RUDES EM QUE SOU REVIDE
QUAL É O TANTO QUE ME FAZ INCERTO
QUAL O MEU MUITO QUE NUNCA LIBERTO
QUAL É A PARTE QUE EM MIM DESPERTO
NAS HORAS TOLAS EM QUE SOU DESERTO
QUAL É O TANTO QUE ME FAZ CRIANÇA
QUAL É O INTEIRO QUE EM MIM REPARTE
QUAL É A PARTE FEITA DA ESPERANÇA
NAS NOITES FÉRTEIS EM QUE SOU DA ARTE
QUAL É O TANTO QUE ME FAZ PEDAÇO
QUAL É O TODO QUE EU NÃO COMPREENDO
QUAL É A PARTE EM QUE ME DESFAÇO
NAS RETICÊNCIAS QUE NÃO COMPLEMENTO
QUAL É O TANTO QUE ME COBRA AMOR
QUAL É O TODO QUE ME FAZ AMAR
QUAL É A SINA QUE TRANSFORMA O RISO
EM HORAS TRISTES QUE NÃO SEI CONTAR