segunda-feira, 29 de junho de 2009

Circense (Conjecturas de um palhaço)

Cacinho, se você tivesse me falado antes, a imagem já estaria aqui...rsrs
Show de bola...você é um moleque "PHODA" com PH maiúsculo...rsrs...valeuuuu...bjo nas crianças aí...rsrs



Olá pessoal, férias finalmente, mais uma etapa vencida e se eu sumir de novo, dessa vez é por causa aqui do PC...mas não demoro, é que ele está precisando consultar seus neurônios.
Um abraço na alma e uma semana cheia de coisas boas para todo mundo...
Ah...obrigado Tossan e Andrea pelas imagens...valeuuuuu!



Circense
(Conjecturas de um palhaço...)

Respeitável público
Não sou um trapezista nato, porém, mesmo assim me lanço
Procurando urgentemente segurar nas hastes do trapézio
Portanto, se eu cair no picadeiro, me perdoem, é que nasci humano, muito antes de ser um andarilho mambembe
Quanto a ser um bom domador, impossível, não consigo dominar meus sentimentos, sendo assim, eles não me obedecem e ainda por cima brincam comigo
Posso afirmar também, que sou um péssimo imitador de mágico, pois não consigo fazer desaparecer os meus desejos e nem fazer surgir o inesperado
Portanto, dispenso qualquer comentário, insinuação ou vaia sobre esta minha não habilidade circense
Por outro lado, até que me viro muito bem como equilibrista...
Também pudera, a vida tem me feito abusar desta enorme arte
Já como dançarino, posso dizer que dancei ao som de ótimos ritmos...valsa, merengue, clássicos, rumba e samba
Sendo que este último, foi o que mais me marcou, pois já sambei muitas vezes em silêncio, na solidão da noite, isso é uma verdade...



Se eu já fui homem bomba? Claro! Muitas e muitas vezes...
E não foi uma experiência muito agradável, pois certa vez me erraram do alvo e acabei socando o corpo e a coragem no globo da morte
E incomodou, assim como incomoda queimar a língua com café fervendo
Por falar em queimaduras, engolir fogo queima a alma, inflama a pele, os poros e assanha o sangue, mas só é bom mesmo quando se pode cuspir o fogo...só assim...do contrário...humm...vamos pular esta arte ou parte? Deixa pra lá...mas pra lá onde? Pra lá, ora bolas...nas arquibancadas...
Lugar onde ainda ontem ecoavam as palmas e os sorrisos...
Eu disse ontem, pois hoje a platéia está cada vez mais exigente, e não aceita o mesmo espetáculo, tão pobre e escasso de novas artes
Que sorte a minha, nunca é tarde para aprender
É que ultimamente estou tentando me aperfeiçoar na arte dos malabaris, que é para não deixar a peteca cair...
E apesar de não ser especialista em contorcionismos, vou me esforçando para que eu possa não só entrar, mas também sair de dentro de minhas expectativas sem nenhum torcicolo...mas, caramba...eita artezinha difícil!



Ah...por fim, como genuíno palhaço que sou, tenho que estar sempre sorrindo ou chorando ao andar de mãos dadas com as brincadeiras mais sérias
E para que isso aconteça, guardo na alma um infinito estoque de inocências sorridentes e um bem querer muito maior do que eu mesmo possa imaginar
Ainda maior que o meu próprio coração, que o meu próprio sentimento



Porque eu, um verdadeiro palhaço, preciso fazer sorrir a tristeza
Necessito de fazê-la mais leve, mais solta e mais feliz
Por isso adentro sempre o picadeiro tropeçando e caindo
Pra que ao levantar-me meio cambaleante, com cara de bobo
Ainda possa me reencontrar, nos aplausos e sorrisos
Porque a vida é um grande circo, e nós...
Parte principal deste imprevisível espetáculo
Que não pode parar...

terça-feira, 23 de junho de 2009

Samba Morena



Por meio de edital, o Conexão Vivo - Animações selecionou 12 realizadores de vídeos de animação que produziram videoclipes de artistas do Conexão Vivo.
Agora está na hora de premiar o melhor videoclipe de animação por meio da votação popular.
A animação SAMBA MORENA, video clipe da música do grupo
Dois do Samba é do meu irmão e está concorrendo a melhor video clipe pelo voto do juri popular.
A votação já começou no Site do Conexão VIVO...
Quem puder dar uma forcinha, basta ir no link abaixo e votar ok, desde já agradeço...um abraço na alma...

http://cacinho.conexaovivo.com.br



Para não perder o costume, um poeminha...estou de folga hoje, mas aproveitando para estudar...prova na sexta...Valeuuuu



Poemáticas

Guardo na memória
A indefinida poesia
Manuscritos da minh’alma
Relicários e magias

Guardo no meu peito
A incerteza dos poemas
Poemáticas de um sonho
Sentimentos e dilemas

domingo, 21 de junho de 2009



BLOGAGEM COLETIVA - "MINHA MÚSICA, MEU MOMENTO" ORGANIZADO PELO BLOG "ORGULHO DE SER" DA NADE, ALÉM DESSE ESTÁ ROLANDO TAMBÉM "SOLTA O SOM" BLOGAGEM COLETIVA ORGANIZADA PELA VANESSA DO BLOG "FIO DE ARIADNE".

Olá pessoal, falar sobre música é viajar no tempo e libertar sonoridades, letras, canções, ritmos, melodias, acordes, emoções e sentimentos impregnados de boas lembranças.
A música é parte essencial de minha vida, pois trago toda a influência recebida de meus pais, irmãos, primos e amigos.
Desde cedo meu irmão aprendeu a tocar violão. Logo depois começou a compor e vieram os festivais, onde cada canção ficou gravada na memória e no coração da gente.
Hoje temos algumas parcerias concretizadas a partir de alguns poemas e já fico contando com a próxima, ansioso de poder cantar junto e sentir a pele arrepiar, faz bem para a alma, para o ego, para o espírito e para o corpo...

Portanto, adoro MPB e citar uma música apenas seria quase um sacrilégio...rsrs...

Mas vou deixar a letra de Corpo e Alma que é uma versão do kleiton e Kledir para a canção do Simon e Garfunkel, pois sempre que a escuto, emociono...como tantas outras...rsrs

Faço então hoje uma homenagem aos meus irmãos, parceiros de sonhos, brincadeiras, brigas...rsrs... de invenções descabidas, das artes desmedidas, das alegrias e das tristezas, dos sorrisos e das lágrimas, das imagens, das canções, do ontem e do hoje...

Dois beijos no rosto e um outro na alma da gente...

Corpo e Alma

Kleiton e Kledir
(Simon e Garfunkel)
Quando eu era assim
Bem menor
Não tive afim, sei lá
De pensar em nós
Agora eu sei e entendo melhor
Vidente eu li no céu
Vai por mim, somos corpo e alma
Meu irmão, meu par

Quando a solidão
Se enredar em ti
E o coração dançar
Conta comigo
Eu quero estar, viu
A teu lado
E haja o que houver
Junto a ti, feito corpo e alma
Meu irmão, meu par

Sei que a vida vai aprontar
E o que vier, azar
A dois é fácil segurar
Se Deus deixar, viu
Meu amigo
Vou sempre estar aqui
Junto a ti, feito corpo e alma
Meu irmão, meu par

Mas...não posso deixar de citar algumas que tem um significado pra lá de especial em minha vida...
Taí a lista...rsrs
Pedaço de mim...............os absurdos da ditadura....(Chico Buarque)
Travessia.................. paixão a primeira ouvida...(Milton nascimento)
Canção da América...........ahhh...os amigos...........(Milton Nascimento)
Todo Sentimento.............hum,esta é intensa ........(Chico Buarque)
Renascer....................para ouvir no carro........(Flávio Venturini)
Palhaço.................... instrumental...............(Egberto Gismont)
Imã.........................açude......................(Ednardo )
Chão de Giz.................barzinho, a mais pedida....(Zé Ramalho)
Vieste .....................linda esta música..........(Ivan Lins)
Rosa de Hiroshima...........os absurdos da guerra......(Vinicius...Secos e Molhados)
Canteiros...................Cecília Meireles...........(Fagner )
Nuvem Passageira............rodinha de viola...........(Hermes Aquino)
Pavão Misterioso............rodinha de viola...........(Ednardo)
Bry.........................saudade....................(kleiton e kledir)
Vento no litoral............emoção.....................(Renato Russo)
Do mar......................parceria...................(Edu e Elcio)
Encanto.....................parceria...................(Edu e Elcio)
Nos trilhos de Minas..homenagem ao Clube da Esquina....(Cacinho, Elcio e Edu)

Esta última começou com uma imagem feita pelo Cacinho, aí fiz um poema, o Edu veio e colocou a melodia. Estava pronta a homenagem ao Clube da Esquina, um pedaço da melodia parece um trem chegando ou partindo...ficou show de bola...gostei muito.
Ah...e mais um montão de boas músicas e bons momentos que marcam a trajetória de vida da gente...
Um abração na alma de todo mundo...valeuuuuuuuuuuuuuuuuuuu!

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Bem, tomei coragem e postei meu primeiro conto, a postagem ficou enorme, sei que o tempo é curto, mas deu vontade de fazer esta postagem, e assim o fiz...
Quase tudo resolvido na facul, mas ainda uma prova na sexta que vem, fiquei de final numa disciplina, mas como diz o prof. " Só os melhores times é que vão para a final"...me agarrei a esta frase e vou com tudo...rsrs...Por isso estou aqui dando um refresco para o Tico e o Teco. Domingo tem uma Blogagem Coletiva e só segunda quero voltar a pegar nas apostilas.


Desafio aceito e cumprido...rs
Recebi este desafio da Andrea do Blog http://andreabgalvez.blogspot.com para mostrar minha caligrafia, que cá entre nós, que fique em off também..."nada boa" rs, digamos que no papel em branco eu deixe caminhos, tortuosos, diga-se de passagem, feitos com as minhas reticências e garranchos...


A brincadeira se chama: Do jeito que você escreve, e é assim:
tenha em mãos lápis, caneta, papel e máquina digital.
a - escreva o que quiser e assine seu nome,
b - fotografe,
c - faça um post com a foto,
d - link quem te desafiou,e - escolha cinco blogueiros/as para desafiar,
f - avise sobre o desafio em cada blog escolhido.

Só não vou escolher...quem quiser participar, logicamente, fique à vontade ok...
Aproveitei minha agenda já cheia de rabiscos, tá fininha de tanto eu rasgar escritos...rsrs...





Sobre pessoas e figuras...




Bem pessoal, este é o "Prá", um cara maluco beleza que parece ainda viver nos aureos tempos do Festival de Woodstock, me visita quase toda semana no trabalho, me vende uma rifa imaginária feita com papel almaço e gosta de conversar sobre política, bolsa de valores e coisas do gênero como se fosse um expert no assunto, figurinha rara, é merecido seu destaque aqui...



Esta é a Aila, e mereceu destaque aqui por me deixar em dúvida sobre sua sanidade mental. Uns dias atrás ela pulou do terraço e despencou oito metros até chegar ao chão. Se morreu? Não.. está vivinha da Silva.
A minha dúvida é a seguinte: Será que ela tentou se suicidar ou traz dentro de si o mesmo sonho de Ícaro que todos nós temos dentro da alma?
Fico com a segunda opção, a sorte dela é que havia uma trepadeira no caminho, havia no caminho uma trepadeira...apenas uma torção na pata e uma certeza: Cadelas não foram feitas para voar...descobri que não só os gatos tem sete vidas...rsrs




Este é o Seu Codorninha, inspirador de meu primeiro conto, mereceu destaque por ser imbátivel. Sem mais comentários, o conto explica tudinho...rsrs


Seu Sebastião Codorninha: O homem que não se lembrava

Seu Sebastião é um senhor com seus já setenta e poucos anos e que sofre do Mal de Alzheimer, ou então, é um gozador de primeira linha.
Franzino e com aparência tísica, é portador de uma tosse parecida com essas que um pai de santo usa para dar passe nas pessoas com a fumaça de seu charuto. Seu apelido foi dado justamente por causa de sua aparência e por seu jeito de andar. É conhecido como “Seu Sebastião Codorninha”.
Já Ubaldo era admirado e respeitado por sua paciência e jeito, no trato com as pessoas idosas e também mais humildes. Pois a mais de vinte anos lidando com pessoas das mais variadas personalidades em seu trabalho, já havia passado por inúmeras situações que oscilavam entre o cômico e o trágico. E por força do destino, Ubaldo e seu Sebastião Codorninha cruzaram suas vidas numa bela tarde de sexta-feira no ano de 2006.
Nas primeiras vezes que o atendeu, Ubaldo sem saber foi todo ouvidos e portou-se totalmente desprovido de qualquer sentimento, a não ser o que a situação normal do dia-a-dia exige no tratamento com os idosos. Informava a ele que não era o dia de seu pagamento e colocava num papel a data correta para que ele voltasse. No mesmo dia a tarde, lá estava “Seu Codorninha” aguardando para ser atendido e novamente Ubaldo explicava que ainda não era o dia e escrevia num papel a data de seu pagamento. E assim foi se repetindo esta situação durante semanas até que chegasse o bendito dia do seu pagamento.
A esta altura Ubaldo já sabia ou imaginava que “Seu Codorninha” sofria de um Alzhaimer profundamente profundo, se é que posso dizer assim.
Mas, nosso amigo sempre paciente, fazia questão de não perder a calma e ia levando na maciota. Até que um dia a coisa começou a piorar. Pois mesmo após já ter recebido o pagamento, ele passou a vir duas ou até três vezes ao dia e assim conseqüentemente em todos os dias no decorrer de todos esses meses para tentar receber de novo o pagamento já recebido por ele.
Quase três anos se passaram e ninguém, ninguém mesmo conseguiu resolver esta situação, que pelas contas de Ubaldo se repetiram mais ou menos assim:
3 vezes ao dia...que equivalem a 15 vezes por semana
60 vezes por mês...que equivalem a 660 vezes por ano
Chegando a um total de quase 2000 esquecimentos. Pois se fizermos a conta corretamente, tirando feriados e alguns dias em que o personagem esqueceu de esquecer de ter esquecido de esquecer que havia esquecido de seu esquecimento...onde eu estava?
Bem...para terminar vou relatar o último e estarrecedor diálogo entre Ubaldo e seu Sebastião...que foi exatamente como todos os outros...mas com um desfecho diferente...
Oi ”Seu Sebastião Codorninha”...o que o senhor manda hoje?
Vim receber meu pagamento...
Como assim? O senhor já recebeu...e foi na semana passada, eu mesmo paguei o senhor!
Fala sério rapaz, não estou brincando, quero o meu pagamento, você mesmo mandou que eu viesse aqui hoje...
Não mandei não, o senhor veio porque provavelmente sentiu saudades de mim, sei que o senhor vem aqui todos os dias porque me ama...
Quero meu pagamento...anda!! Não estou para brincadeiras... Mas seu Codorninha, o senhor já recebeu...não vou repetir...
Você tem certeza que eu recebi?
Claro que tenho...
Mas então, que dia é hoje? Hoje é véspera de amanhã...
E quando é meu próximo pagamento? Seu pagamento foi transferido para o dia 31 de fevereiro...
E em que dia cai o dia 31 de fevereiro? Depois do dia 30 mais precisamente...e antes do dia primeiro se não me engano...
Então neste dia eu posso vir, que está tudo certo então? Com certeza, o senhor pode vir

Mas em qual horário?
Qualquer horário Seu Sebastião, pode ser de manhã, de tarde, de noite, de madrugada, o senhor escolhe...
Você poderia anotar num papel, quantos dias faltam para chegar este dia, que é para que eu não esquecer... Não, não posso, pois falta menos tempo do que o senhor imagina, e muito mais tempo do que eu mereço
E esse tempo cai em qual dia da semana? Bommm...pra resumir, gostaria de reiterar que este diálogo estava se repetindo de acordo com as contas de Ubaldo pela milésima “NOGENTÉSIMA” vez, o que certamente provocou um surto momentâneo em nosso amigo, que hoje se encontra internado num hospital psiquiátrico para detentos.
Está preso tem dois anos e sem perspectiva de sair ainda com vida, mas mesmo assim, com um sorriso inenarrável no canto dos lábios.
Consta nos laudos que ele fala sozinho e vai se irritando até o momento que em sua imaginação, rola atracado com um senhor magro, meio tísico, de estatura baixa e com uma tosse “pai de santo” de maneira a enforcá-lo até a morte de acordo com seu próprio relato aos médicos de plantão.
Já “Seu Codorninha”, com certeza neste instante, sem nenhum remorso, indaga São Pedro no céu, pela milésima vez, sobre o porquê de seu pagamento ter sido transferido para o dia 31 de fevereiro.

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Ontem encontrei com o amor

Feliz Dia dos Namorados para todo mundo...a agonia das provas e trabalhos termina semana que vem e aí coloco os coments em dia...
Um abraço na alma...bom fim de semana para todos e uma semana ainda melhor do que a que passou...Valeu galeraaaaaaaaaa...

Dedico este poema a um casal de idosos que moram na cidade onde trabalho...
Se eu os conheço?
De vez em quando eles me vêem, me visitam, me dão trombadas no coração e na alma, mas não me sabem...rsrs





Ontem encontrei com o amor


É verdade, ontem dei de cara com o amor
Engraçado que quase trombei com ele
E nem assim ele olhou para mim
Continuou andando e sorrindo de mãos dadas
Como se o mundo não existisse
E nada em sua volta mais importasse
Assim, como se não houvesse mais amanhã
Fiquei tão curioso que fui andando atrás dele
Para poder reparar em cada um de seus movimentos
Pois ele balançava as mãos, brincava de dar beijos
Longos, estalados, precisos e imprecisos, além disso...
Abraços...calmos, calientes e enternecidos com uma leveza incomum
Que inocentemente o fazia enrubescer de paixão
E era nesse instante que ele olhava para dentro de si mesmo
Como se em sua alma existisse um outro, como se fosse dois em um
Não sei explicar muito bem isso
Só sei que ele era assim, olho no olho
Alma com alma, pele com pele
Tudo muito calmo, porém, tudo muito explícito e intenso
E em plena luz do dia, que até o Sol se pôs a espiar
Pois era um não sei tão assim naturalmente
Que exalava um perfume com essências de ternura
Que espalhava com doçura uma candura sem medidas
Tanto que até sobrou um pouquinho para mim
Por isso resolvi olhar mais de perto
E reparei que seus olhos sorriam
E que neste sorriso morava um brilho infinito
Foi quando não resisti e perguntei quantos anos ele tinha
Ele sabiamente respondeu
Não tenho idade, nem hora e nem dia
Portanto...nunca envelheço...
Apenas amo...

domingo, 7 de junho de 2009

Fala galera, ainda enrolado, mas como ninguem é de ferro, ontem fui num show do Kleiton e Kledir...E NÃO RESISTI EM POSTAR ALGUMAS FOTOS E LETRAS DE ALGUMAS MÚSICAS DAS QUE MAIS GOSTO DO REPERTÓRIO DELES...
Bem, para quem não conhece, não é uma dupla sertaneja, eles são do Rio Grande do Sul E TOCAM MPB DA MELHOR QUALIDADE, POR ISSO sou FANZÃO DELES de carteirinha.
As letras e melodias entram fazendo festa no coração, na alma e nos ouvidos da gente...acho que é isso, acho não...tenho certeza...rsrs
Semana ainda de provas e trabalhos, saudade...bom fim de semana para todo mundo...
UM ABRAÇO NA ALMA...




Estrela, Estrela
Kleiton e Kledir
Composição: Vitor Ramil

Estrela, estrela
Como ser assim
Tão só, tão só
E nunca sofrer
Brilhar, brilhar
quase sem querer
Deixar, deixar,
Ser o que se é

No corpo nu
Da constelação
Estás, estás
Sobre um mas das mãos
E vais e vens
Como um lampião
Ao vento frio
De um lugar qualquer

É bom saber
Que és parte de mim
Assim como és
parte das manhãs
Melhor, melhor
É poder gozar
Da paz, da paz
Que trazes aqui

Eu canto, eu canto
Por poder te ver
No céu, no céu
Como um balão
Eu canto e sei
Que também me vez
Aqui, aqui
Com essa canção



Bry
Kleiton e Kledir

Bry-sur marne
Nunca é tarde
Tô de volta outra vez

Já faz parte
A minha arte
É brincar de renascer

Se a vida arde
Bate a saudade
Dá uma vontade de te ver

O que é que eu faço?
Me dá um abraço
Preciso tanto de você

Bry
Olha pra mim
O que é que eu fiz?
Bry
Eu não sabia ser feliz

Bry-sur-marne
Dieu te garde
J'suis en france
Encore une fois

Si je tarde
Du temp je garde
C'est ma chance
A moi

Le jour se efface
Un ange passe
J'ai tant besoin
De te voir

Cette nuit sombre
Et peuplé d'ombre
La traversé
D'en te bras

Bry c'est la magie
D'un soir ici
Bry c'est la magie
Marrène d'ici.




Vira Virou
Kleiton e Kledir
Composição: Kleiton Ramil

Vou voltar na primavera
E era tudo que eu queria
Levo terra nova daqui
Quero ver o passaredo
Pelos portos de Lisboa
Voa, voa que chego já

Ai se alguém segura o leme
Dessa nave incandescente
Que incendeia minha vida
Que era viajante lenta
Tão faminta da alegria
Hoje é porto de partida

Ah! Vira virou
Meu coração navegador
Ah! Gira girou
Essa galera.