quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Bom humor é fundamental


Bom humor é fundamental
(Uma carta aberta de alerta ao ANO NOVO)



Barra do Piraí, 30 de dezembro de 2009


Ao quase inexorável ANO NOVO,

Olha só, é o seguinte, seu tal de ANO NOVO
Nem bem terminou dezembro e lá vem você
Com esse negócio de enchente pra lá, enchente pra cá, enchente acolá
Porra! Todo o ano a mesma coisa...vê se muda esta meleca, fala sério...
Você é o ANO NOVO...esqueceu? Hein? Hein? A-NO NO-VO...soletra comigo...
A - N - O N - O - V - O...entendeu agora ? ANO NOVO
Portanto...muda isso cara, distribui esta aguaceira direito
Manda um tantão lá para o Nordeste
Lá tá todo mundo querendo mais água, pois falta d’água lá é mato viu!
O gado, a natureza, os reservatórios, tá tudo sequinho...
Você sabe o que é sentir sede, não sabe? Então...muda isso meu
Fica afogando todo mundo por aqui, coisa mais sem graça
Todos as anos as pessoas perdendo móveis, casas e até parentes já de cara
Assim você vai acabar desacreditado...e sendo chamado de ANO VELHO...acredite!
Outra coisa, vê se não me aparece de novo com esse negócio de criança tendo que operar por causa de agulhas que o próprio padrasto introduziu em seu corpo...chega disso...reinventa...
Quer continuar com esse negócio de agulha novamente? Então faz o seguinte...
Finca essas quarenta, aliás, finca umas sessenta no saco desse cara...
Seria merecido e ao mesmo tempo diferente, aposto que muita gente iria te apoiar
Inclusive aquele pessoal dos direitos humanos, afinal de contas, o cara tem todo o direito de sentir a mesma coisa que seu pequenino enteado ( é brincadeira esse cara)
Mais uma coisa seu ANO NOVO, chega de terrorismo...esse negócio de ficar explodindo aviões e pessoas não é legal e além do mais já ta ficando sem graça, batido, saturado,
Se vira meu amigo e dá um jeito nesse absurdo ok...
Será que estou sendo claro? Tá dando para você entender não é mesmo? Então...
Para terminar, lembra daquela nossa conversinha, pois é, vê se não vai fazer bobagem, por favor...
Não me faça brotar um pé de dólar em meu quintal, baseando-se num pé de mamão, olha lá hein!
Inspire-se numa jabuticabeira ou num pé de acerola daqueles bem carregados ok, ta belê?
E só com notinhas de cem, não se esqueça desse importante detalhe
Hã...Vou sim...com certeza vou ajudar muita gente que precisa, fique tranqüilo
Se ficar complicado cumprir essa missão, a solução é simples, faça com que eu ganhe na sua megasena
Ah...por obséquio, faça chover alimento lá naquelas bandas da África... Etiópia, Ruanda, Angola, Serra Leoa e outros...vai te fazer bem, tenho certeza, teu coração irá agradecer...e muito...
Mas olha, faça chover bastante leite, carne, arroz, feijão e muito sorvete para a garotada...
Peraí, para onde você já está indo? Tem mais umas coisinhas...calma ué, vai dando as costas, tá com pressa? Tua hora vai chegar, sossega aí...terminou não
Olha só...chega desse negócio de dengue também, faz o seguinte, que a picada do mosquito seja um antídoto genérico para todas as doenças, já imaginou?
Será menos um problema a ser combatido e consequentemente a solução para tantos outros como o câncer, AIDS, meningite, etc...etc...é uma boa sugestão essa, né não? Pensa aí...
E se por acaso voltar a gripe suína, faça com que cada espirro ajude a cicatrizar essa tal camada, desse tal de “Seu Ozônio”, porque todo ano é a mesma coisa, ninguém resolve este trem...
O que está achando? Gostou? São perfeitas essas idéias não é mesmo?
Eu sabia que uma pessoa de espírito jovem como você iria concordar...então caboclo, mãos a obra...
E olha! Que as coisas possam mudar logo, pois o mundo anda sem paciência...
Seu prazo? Você tem até o fim de janeiro, tá beleza assim?
Ué...janeiro sim Senhor, assim fevereiro e o resto dos meses fica pra gente ir acertando outras coisas...tipo: políticos, meu Fluminense, minha pós, minha insônia, esse negócio de crianças caindo dos prédios, seqüestros, assassinatos, acidentes na estrada...etc...
Hein? Tá preocupado? Esquenta não, até lá a gente conversa novamente sobre esses outros projetos e bola alguma coisa...vai dar tempo sim...
Então tá combinado ANO NOVO...você tenta fazer a sua parte, que nós vamos tentar fazer a nossa aqui
Afinal de contas, se a gente aqui não se mexer, nada acontece...rs

Que possamos daqui pra frente, colorir a vida, de forma que ela fique mais azul...assim seja...

Do amigo de ontem, hoje e sempre...

Elcio Tuiribepi


Galera...Um beijo, um abraço e um queijo...

FELIZ ANO NOVO PARA TODO MUNDO...VALEU MESMO, OBRIGADO AOS QUE SEMPRE DEIXAM AQUI UMA PALAVRA DE INCENTIVO E CARINHO...QUE O ANO NOVO CUMPRA O COMBINADO...E A GENTE TAMBÉM...RSRS

Valeuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu!!!

domingo, 27 de dezembro de 2009

Indícios de contaminação


Indícios de contaminação

Lentamente
Irei degustar toda a flor
Seus an’seios e seus estigmas
Suas vestes e sua pele
Seus pistilos, suas carências, suas ardências
E os seus mais íntimos nectários
Assim, milímetro por milímetro
Minuciosamente, pétala por pétala
Folha, caule e raiz
Pois já não me cabe mais
Toda a essência desta imensidão azul
Pois já não me importa mais
Nem saber em qual estação
Portanto, que seja ontem
Já que desde sempre
Ainda imprópria para o consumo
Deixou fortes indícios
De contaminação
Tanto nos lábios do beija-flor
Quanto nos olhos do bem-te-vi

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Sonho de Natal


Olá pessoal...
Bem...o poema é antigo, mas é o meu poema predileto de Natal, pois o sentimento continua aqui , dentro da alma e do coração, mais vivo do que nunca...
Ah...se eu pudesse...
Feliz Natal para todos...de coração e alma...

Elcio


Sonho de Natal

Primeiro transformaria todas as nuvens em algodão doce
Cortaria os arco-íris em forma de pirulito e distribuiria para todas as crianças carentes no mundo
Trocaria o céu pelo mar e convidaria todas para que fossemos nadar ao lado das estrelas
Aí se resolvêssemos pescar neste mar de estrelas, ao invés de peixes apanharíamos em nossas redes, luas, planetas e meteoros incandescentes
Sendo assim, a chuva seria um tanto salgada, é verdade...
Em compensação, nas tempestades, ao invés de granizos, choveriam cardumes de peixes e todos iriam se alimentar
Seria o milagre dos peixes materializando-se novamente
Depois guardaria as folhas soltas do outono e delas tiraria o verde para dar àqueles que perderam a esperança
Pegaria o sol, colocaria embaixo do braço e levaria para os que conhecem apenas a noite, o frio e a falta do calor humano
Bateria os braços e voaria como as gaivotas para poder visitar hospitais, orfanatos e asilos levando meu carinho
Teria sempre no bolso uma porta mágica, para que eu pudesse entrar no coração dos que tem tristeza e assim deixar um pedacinho do meu amor fraterno
Plantaria um pé de feijão que me levasse aos céus e de lá pularia para poder abraçar o vento e trazer dele a boa nova a todos que necessitassem
Então quando eu acordasse deste sonho, leria nas manchetes do jornal: Extra! Extra!
Acabou a fome no mundo e não existem mais pessoas tristes e carentes na face da terra...
Milagre! Milagre...milagre...
Ah...se eu pudesse transformar os sonhos em realidade
Ser alimento e não somente brisa...
Ser mais coração e menos razão
Ah...que bom seria se eu pudesse ser um super-herói
E não apenas um ser humano...
Ah...se eu pudesse...


Elcio Tuiribepi

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

NA LINHA DO TEMPO

Bem, só para deixar registrado, o menino Rodrigo, a qual se referiu minha postagem anterior, está melhorando a cada dia, apesar da bala ainda estar alojada em sua nuca. Embora isso ainda preocupe, os médicos estão otimistas com a evolução.

Fala gente, fala galera, fala todo mundo...aliás, eu é que tenho de falar e retribuir a presença dos que aqui estiveram apesar da minha ausência.




Na linha do tempo

O tempo
Concedeu-me o instante preciso
Em que eu me veria no espelho da vida
Então repintei sentimentos e cores na alma
Enfeitei com flores meu coração
E a dedo, escolhi a mais linda paisagem
Mas quando observei as imagens
Descobri que nada havia mudado na essência
Nem mesmo as estações já retorcidas
Que só agora neste instante compreendo
Devido ao ruído contido nas palavras inesperadas
Que encabuladas ainda rondam meus sentidos
Portanto, observador fiel de meus próprios dilemas
Do mesmo modo que me deixei um dia ainda adolescente
É que ainda me permito degustar o néctar deste meu indefinido poema
Já que ao buscar decifrar e amenizar a tristeza arraigada nos olhos da poesia
E ainda brincar de forma séria com o vasto e lindo riso que ainda coabita em meus instintos
Foi que rejuvenesci como a criança que não tem segredos e nem limites
E por esse motivo, entorpecido de bravura, ternura, alegria, carinho, coragem e porque não dizer “existência”
É que troquei a mansidão das brisas acomodadas
Pelas ventanias emergenciais e aflitas dos adultos
Ao querer ultrapassar sem receios, o limite invisível, das muralhas impostas pela vida
Por isso reescrevo e guardo na tela transparente do meu presente
Alguns pequenos fragmentos do que ainda me resta
E digo: pudessem todas as pessoas, quem sabe talvez um dia
Contemplar e reconhecer com os olhos puros da emoção
Os instantes mais doces e ingênuos
Repensar as lições verdadeiras e inusitadas
E assim, compreender sem mágoas, a verdade
Pois a vida vai mudando, surpreendendo, revelando
E o todo apesar da ternura e da inocência, vai absorvendo as ventanias agridoces de outras estações
Sendo assim, o que parecia ser apenas um silêncio incomodado
Acaba transgredindo e trazendo a tona os ecos mais distantes
Ah...a vida, essa luta desigual e transitória
Que dobra e machuca os joelhos da gente
Que alarga o coração, os desejos e a saudade
Mas que também alerta, nos cura da inocência mais ingênua e nos protege dos escombros
Permitindo-nos seguir adiante, tateando as próprias querências que ficaram pelo caminho
Por isso ainda decolo e viajo com os pés fincados intimamente no chão macio das nuvens
Brinco de pique comigo mesmo nas horas vagas
Empino pipas com a linha do tempo
E mergulho sem medo no rio das incertezas mais certas
Para que um dia eu volte a correr sem destino
Sentindo no rosto aquele vento sem norte
Aquele sol sem pudor e sem medida
E ainda o perfume in natura da terra molhada
Portanto, que eu perdoe, compreenda e aceite de peito aberto toda essa minha indelegável humanidade
Para que eu então renasça outra vez simplicidade
Pés descalços na areia, cabelos soltos ao vento
Sem querer saber do tempo e sem querer saber da hora
Porque tudo isso não é um simples delírio
E muito menos uma linda e estonteante primavera
É sim, com certeza, apenas uma fração do que eu já sabia por inteiro
Só que propositadamente, preferi confinar nas linhas de um papel qualquer
Que até ontem, sonolento ainda dormia
No aconchego mágico e ilusório
Desta lúdica poesia
Autores: Elcio Tuiribepi, Bethânia e uma conhecida da Bethânia...
E acreditem...nem a Bethânia lembra o nome dessa conhecida...rsrsrs
Bom...dever cumprido na facul, cá estou eu no meio da poeira (reformazinha de um quarto aqui em casa) pronto para colocar os coments em dia...porém...vamos devagar...aos poucos vou chegando no cantinho de todos ok...pelo menos é o que pretendo...rsrs
Um abração na alma...um beijo e um queijo...lá vou eu...rsrs
“O passado não reconhece seu lugar
Está sempre presente”

Mário Quintana

domingo, 6 de dezembro de 2009



Caracole, ontem eu estava na casa de um amigo da facul ajudando a reformular o TCC dele, quando ouvimos no Jornal Nacional esta notícia...


Permanece internado em estado grave, no Hospital Miguel Couto, o universitário Rodrigo Kopke, de 22 anos, baleado na noite de sexta-feira por um assaltante na Rua Vice-Governador Rubens Berardo, na Gávea, quando entrou em luta corporal com um ladrão que tentava assalta-lo.
Em meio a briga, o bandido conseguiu pegar sua arma e desferir um tiro na cabeça do rapaz, que havia acabado de sair da Universidade Pontifícia Católica (PUC), perto do local do assalto, onde ele frequentava a Faculdade de Relações Internacionais.


Caramba, ele está presente nas palavras de agradecimento que escrevi em meu trabalho...apenas 22 anos...espero que ele saia dessa...a gente nunca imagina uma coisa assim...ele estava um período a frente da gente, mas como passou na Puc ano passado, foi para o Rio em busca de seus sonhos...mas ajudou a Glauciane na parte de formatação do TCC...


"Ao Rodrigo Kopke", fiel escudeiro e principal incentivador da Glauciane, que sempre teve como esperança a frase:" Que a semente Glauciane possa se transformar um dia numa grande árvore", talvez ele não saiba, mas este é o desejo de todos nós...valeu Rodrigo...


Força aí Rodrigo...a torcida por você é enorme...valeuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu garotoooo
Esta semana finalmente termina a correria...aff...quero decansar...valeu aos que estão sempre por aqui, valeu pela presença, apesar da minha ausência...
Um abraço, um beijo e um queijo...valeuuuu galeraaaa...