terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

O diário de uma leitura não silenciosa



Quando a amiga Letícia, do blog Afeto Literário me presenteou com este livro eu estava ainda enrolado com os compromissos da faculdade, portanto, fui lendo aos poucos, sentado na pracinha da cidade onde trabalho antes de iniciar meu expediente. Eu ia lendo em voz alta e sentia que estava sendo observado, pois observava também a reação das pessoas...rsrs

Foi interessante a experiência,tão interessante que deu vontade de escrever no momento em que eu estava lendo...

Bem...eu e Letícia não estamos sempre um no blog do outro, mas o respeito, a admiração e o carinho são recíprocos.

Obrigado Letícia,quando sair meu segundo livro prometo retribuir a gentileza...

Sucesso com seu livro e felicidades em sua vida profissional e pessoal...

Um abraço na alma...bjo...valeu...obrigado.

Quem quiser conhecer...http://leticiapalmeira.blogspot.com


O diário de uma leitura não silenciosa

Era de manhã bem cedinho
Quando a página de número vinte e cinco
Resolveu narrar os segredos da mulher ingênua
Que engolia dragões para reflorestar seu útero
Enquanto que a meu lado, um casal de idosos
Ouvia disfarçadamente as palavras inéditas
Que ora iam sendo proferidas
Por este que agora vos fala...
É que a prosa prosseguia toda prosa e ainda em voz alta
Dando vida neste instante ao escrito da página vinte e sete
Ao significar com preciosismo, a Balada do Allegro Suicida
Que embalada, embalava minhas cordas vocais
Tanto que até cogitei beber um suco de laranja
Para suavizar a sequidão da garganta
Pois o Sol, sem parcimônia, nos concedia seus raios matinais
Clareando o dia e também as minhas idéias
Por isso, eu precisava com urgência de algo para poder escrever
Já que eu desejava anotar as idéias que me nasciam
Portanto, marquei cuidadosamente as páginas que falavam sobre os anjos e os poetas, bélicos e famintos
Com a bucólica ajuda de uma folha solidária, que solitária, caíra da amendoeira
E então parti, passos largos, em busca da minha urgência
Mas e o papel? Indaquei...
Ah...creio que não será mais preciso...pensei sorrindo
A contra-capa, contracenaria contrariada
Confabulando com as fábulas cotidianas
Que se abraçavam à enigmática gramática da Palmeira
Sendo assim, as palavras continuariam mergulhando secas na minha sede
E embriagando-me com suas trajetórias reais e ilusórias
Ainda bem que me chegou o açúcar
Já que havia passado da hora de fazer agonizar o gelo
Na cumplicidade ainda inalterada do puro suco da laranja
Por isso é bom saber da gente, tão além da gente mesmo
Tão além, mas tão além, que usei o lápis ao invés da colher
Corrompendo a ordem natural das coisas
De tal maneira, que sorri meio sem jeito
Diante a minha incorrigível distração
Mas não é que assim, quebrei de forma quase culta
As etiquetas e os costumes...
Fazer o quê? Azar o da colher
Que obsoleta em cima da mesa
Não soube interagir, com a essência cítrica dos meus sentimentos
Já que nem todo verso é poesia
Como ela mesmo cita em uma de suas prosas
E ponto final...com reticências é claro...

38 comentários:

  1. ELCIO
    com UM BEIJINHO



    um beijo



    PALAVRA


    O amor...
    Palavra pequena...
    Palavra simples...
    Mas palavra...

    ......

    Palavra...
    Que é...
    Forte...
    Palavra...
    Que é...
    Imprescindível...

    ......

    Que todos querem...
    Pois quem não sabe...
    ...Amar...
    Não sabe também...
    ...Viver!...

    LILI LARANJO

    ResponderExcluir
  2. Olá Élcio!

    Adorei o teu poema e já postei. A pureza e a inocência estão presentes em cada palavra. Parabéns pela iniciativa!

    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  3. Poeta, meu amigo!
    Que coisa mais linda. Adorei esta intertextualidade ( acho que é assim que se diz...) que você usou no poema. Buscas algumas passagens ou palavras do livro de Letícia e as icorporas em teu poema - quando falas do ato de ler... quando o livro te traz idéias, e o casal de idosos que ouviam tuas palavras ditas em voz alta.... e a falta de um papel para anotar o poema que te bordeja a alma... e então a contracapa do livro de Letícia "que contarcenaria"... Deliciosa escrita.

    Vou conhecer a Letícia. Parabéns para ela e para você!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Elcio
    Bonita lembrança e que delicia de texto. Adorei a forma quase culta de quebrar a etiqueta. Bom humor é tudo.
    Obrigada pela partilha, amigo generoso.
    beijo

    ResponderExcluir
  5. Oi Elcio...acredito que você é daquelas pessoas que dá gosto em conviver... A vida ao seu lado deve ser bastante colorida!

    Sua narrativa no poema, nos transporta para o banco da praça para ouvir as histórias do livro que já pela capa encanta!

    A cada dia que passa... vou redescobrindo o quanto é rico esse nosso mundo virtual...Tão real!São muitas as supresas agradáveis!

    Deixo um abraço carinhoso

    ResponderExcluir
  6. Élcio, a Letícia tem uma escrita única, num estilo que 'derruba tudo' porque ela é uma nascente de palavras e personagens. O livro é belíssimo e eu já o recomendo no 'inspirar'.

    Quanto ao teu texto, um diálogo.
    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Nossa adorei o texto, ler foi uma delícia.
    bjsss Amore

    ResponderExcluir
  8. Gostei muito!
    Vou lá visitar a Letícia.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  9. Que lindo. Senti-me completamente absorta enquanto cá estive. Adorei o post!
    um beijo

    ResponderExcluir
  10. Seu texto está bem legal, apesar de não conhecer o original...
    mas fico imaginando alguém sentado na praca, com sol, neste calor intenso,lendo um livro em voz alta,sendo atração "assustadora" para um casal de idosos e, possivelmente para outros olhos que o observavam,ainda marcar a pagina 27 do livro com uma folha seca(que imagino ser daquelas bem grandes, tipo de amendoeira) rsss ... coisa de poeta!De um divino poeta!...adorei...grd abraço

    ResponderExcluir
  11. Élcio, sempre fantástico!
    Achei deliciosa a troca da colher pelo lápis. Lol
    Tenho todo o gosto em visitar o blog da Letícia o que farei de seguida.
    Um beijo cheio de carinho, meu amigo.

    ResponderExcluir
  12. Gostei dessa parte "nem todo verso é poesia". Sabe que se pensarmos bem é uma maravilhosa metáfora. Pode nos dar muitos sentidos, até na questão de o que é realidade pe o que é ficção no que escrevemos...
    Muito legal compartilhar essa vivência do livro.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Depois de tropeçar em algumas pedras pelos caminhos, retorno com amor, pra suavizar as feridas com a sua poesia...Bjs.

    ResponderExcluir
  14. "Resolveu narrar os segredos da mulher ingênua
    Que engolia dragões para reflorestar seu útero" genial, de um simbolismo atemporal.

    beijos e obrigada pelos comentários e pela comparação

    ResponderExcluir
  15. Adoreiiiiiiii, e estou rindo, com sua forma menino-moleque de contar esse momento que mais parece tirado de um livro de contos de fada.

    Todo serelepe imagino você e o lápis e o papel e a colher...o livro, a fantasia, a mente a rodopiar...

    Eita, é uma boa ideia para o teu irmão fazer uma animação rsrs

    Agora sei porque você me entende. rsrs

    "Sendo assim, as palavras continuariam mergulhando secas na minha sede
    E embriagando-me com suas trajetórias reais e ilusórias "


    um forte abraço.

    ResponderExcluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  17. Élcio, você já tem um livro? Me conta.

    E fiquei pensando que a animação poderia ser algo para incentivar a leitura.

    beijo

    ResponderExcluir
  18. Elcio,

    Eu vim agradecer. Mesmo corada de vergonha. Eu sou tímida que só vendo. Passo mais tarde pra escrever algo melhor para você que tanto me encoraja. E você disse bem... não nos visitamos sempre, mas há admiração. E hoje vou trabalhar feliz.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  19. Olá Elcio!

    Está postado em meu blog nossa parceria! Fiquei muito feliz pois essa foi a primeira vez que fiz algo assim. Obrigada!

    Depois passe lá para conferir!

    Um beijo carinhoso

    ResponderExcluir
  20. Elcio,
    adorei sua leveza
    proprio de um poeta
    que mata tristezas
    Boas energias,amigo
    Mari

    ResponderExcluir
  21. Tui.. só vou se o carro ficar pronto...
    mas acho que não fica..
    pq vc não vem pra cá????
    a Lu foi pra Curitiba...
    tem o quarto da Acacia..
    vê aí quem pode vir e veeeeenha....

    Postei no letras e cançoes..

    beijos

    ResponderExcluir
  22. Boa noite.
    Desculpe estar importunando você com essa histórias, mas detesto que as coisas não fiquem bem esclarecidas, não gostaria que pensasse que excluí você do meu perfil. Enquanto pude3r, estarei postando as minhas histórias.
    Gente, gostaria de avisar que desde ontem o meu perfil foi excluído dos demais. Quando tento adicionar vocês, aparece uma mensagem dizendo que " o proprietário do blog bloqueou a sua presença no site".
    Não sei o que está acontecendo. Uma leitora falou para mim que o sistema Google estava com problemas, mas por que só o meu ? Se fosse assim estaríamos sem nehum seguidor. Gostaria de dizer que não fui eu quem excluiu ninguém, mesmo porque nem sei como se exclui alguém, quanto mais bloquear. Espero que vocês entendam o que está acontecendo e tenham a paciência de esperar para ver se o sistema volta ao normal.
    Conto com a compreensão de vocês, pois são excluí ninguém do meu blog.
    FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER...
    http://www.silnunesprof.blogspot.com

    ResponderExcluir
  23. ELCIO
    FELIZ CARNAVAL...


    POESIA


    Poesia...
    Verde...
    Branca...
    Ou...
    Branca...
    Verde...

    Mas...
    Poesia...
    Simples...
    E colorida...

    E nestes poemas...
    De cor...
    E alegria...

    Sinto...
    Que a bola...
    Acabou de chegar...

    E o primeiro...
    Pontapé...
    É mesmo meu!...

    LILI LARANJO

    ResponderExcluir
  24. "Portanto, marquei cuidadosamente as páginas que falavam sobre os anjos e os poetas, bélicos e famintos"
    ___________
    Adorei essa coisa de anjo e poeta. Sim, porque todo anjo é poeta, né? Agora... todo poeta será anjo? rsrs
    Gosdimais da sua criatividade e da sua leveza pra escrever. Nos seus pensamentos, tudo vira poesia.
    Eita dom danado de bunito esse seu! ;)
    Owpaaaaaaaaaaaa! Como assim agraciar com livro? Também quero! Tá pensando oq? Humpf...

    Ótimo feriado pra ti.
    Eu fico cá com as licitações... rs

    Beijos!

    ResponderExcluir
  25. te vi em outro blog e vim te conhecer.. amei seus textos..parabens.. uma escrita perfeita..estarei sempre aqui..beijão

    ResponderExcluir
  26. Oi Elcio

    Que inspiração queria um dia poder escrever assim.

    Sobre o Pitt não sei o que eu fiz que tirei ele rsrsrs, mas acho que foi praga tua rsrsrsrs.

    Grande beijo amigo e bom feriadão.

    Lu

    ResponderExcluir
  27. Ei, você, Elcio, amigo!


    "Saiba que a simplicidade é ter o céu

    e querer apenas uma estrela.

    É ter o mar e querer apenas uma gota;

    É ter o mundo e querer apenas uma pessoa:

    você".

    Desconheço o autor a quem muito agradeço*

    ***

    Obrigada, querido!
    Bom feriado
    Beijos da Rê

    Estou bem. Só uma gripe chata. Dei uma rasteira nela. No feriado, descansarei. Vou pular o Carnaval na cama:)))
    Jamais o esqueço, pessoa adorável!

    ResponderExcluir
  28. Caro amigo.

    Vim conhecer o seu espaço de idéias e sonhos.

    O bonito de um blog, é quando reflete o convite para quem chega, colher versos, com verdades plenas.
    Aqui as palvras brotam.
    Simples como devem ser as palavras.

    Esteja sempre do lado dos sonhos.

    ResponderExcluir
  29. Notável Amigo Precioso:
    Simplesmente, soberbo.
    Uma lição de vida perfeita. Repleta de ímpar criatividade fantástica.
    Abraço amigo de um respeito imenso.
    Sempre a admirá-lo.

    pena

    Parabéns sinceros. Adorei a narrativa.
    Sublime.

    ResponderExcluir
  30. Creo que voy a visitar a tan gran escritora, Un placer siempre visitarte querido Elcio. Un montón de besos!!!

    ResponderExcluir
  31. Elcio, meu amigo, você não existe! Adoro você, saiba disso!
    Obrigada pelo carinho de sempre e me surpreendi demais quando fui deixar um recadinho para minha secreta, pois você havia passado por lá! Achei incrível!
    Parabéns pelo livro e deve ter sido muito diferente mesmo para as pessoas verem alguém lendo em voz alta. As pessoas têm as suas vidas tão corridas que quando alguém faz algo fora da rotina, causa uma estranhesa, uma admiração, uma simpatia. Eu acharia bárbaro se visse algo semelhante!
    Parabéns!
    Bjs e um ótimo feriadão!

    ResponderExcluir
  32. Elcio, que audaz esse essa penetração na mente do outro rsrs. Muito boa sua experiência.
    Acho também que nem todo verso é poesia.
    Muito interessante essa experiência de perceber as reações não?
    Sua leveza de espressão é gostosa e nos prende ao texto.

    Abração amigo e bom carnaval.

    Luciano Braz

    ResponderExcluir
  33. Acho que o mérito é todo seu, intertextualidade faz parte da poesia pós-moderna. Pra mim, epígrafes tb são livros.

    Tenha um ótimo carnaval

    beijos

    ResponderExcluir
  34. Passei pra deixar meu abraço
    e desejar uma boa semana.

    Gostei do texto!!
    Parabéns!! Narrativa perfeita..rsr..voce é um poeta incomparável.

    ResponderExcluir
  35. Linda segunda de carnaval!
    Bjins entre sonhos e delírios

    "Quando meu amigo está infeliz, vou ao seu encontro; quando está feliz, eu o espero."
    Henri-Frédéric Amiel

    ResponderExcluir
  36. É tão bom quando podemos curtir o carnaval com tranquilidade. Seja na folia ou em casa, temos que sentir que a batucada, mesmo, é na nossa vida e o samba enredo sempre é aquele do coração. Então vou com um sambinha gostoso do Chico, espero que goste:

    http://www.youtube.com/watch?v=YU547fUsHqI

    Maravilhosa semana, querido amigo.

    Rebeca

    -

    ResponderExcluir
  37. Oi Élcio, tudo bem?

    Vim agradecer sua visita lá na Saia Justa.

    Muito interessante o livro que você leu e achei mais interessante ainda você o lê em voz alta onde outras pessoas se assustaram. Gostaria de ter visto essa cena hilária!

    Boa semana

    Um abraco

    ResponderExcluir
  38. Olá Poeta...
    Mais uma vez gostaria de agradecer a parceria no poema.
    Muito obrigada Elcio!
    Aproveite bastante o restinho do feriado de Carnaval!
    Um beijo carinhoso

    ResponderExcluir

Semeando