terça-feira, 11 de maio de 2010

Estações In-versos



Fala galera, esse é mais um poema antigo que estou tirando da gaveta, depois que o mesmo virou canção em parceria com o mano véio, sempre novo...Edu Toribe...rs...
Valeu Eduuuu...xiii...isso dá rima malcriada...rsrs

Bem...tirando as brincadeiras, agora é sério, não deixem de visitar o Espaço Aberto, pois a postagem atual traz dicas sobre filmes com a incrível...com a incomparável especialista da sétima arte...
Nossa ilustre e estimada amiga...Luciana Negreiros do blog Luciana por Luciana

E dia 14 não percam também de forma alguma o Enfoque Educacional, com as considerações super pertinentes do nosso estimado, respeitado e sensível amigo, professor Pena, do blog Memórias Vivas e Reais



Estações In-versos

Apaguei o dia com o fechar dos olhos
E acendi a noite com a minha insônia
Fiz sorrir a Lua no leito dos poemas
E chorar o Sol nos desvãos da poesia
Acalmei o vento com amor e paciência
E enfureci a brisa com meu sopro mágico
Molhei as estiagens com o suor do corpo
E enxuguei a chuva com o calor das mãos
Plantei afagos num céu fértil de carências
E colhi ternuras em solos vastos de razão
Doei flores e um buquê de primaveras
E recebi outonos para cultivar a paz
Porém, é fato que ainda guardo na alma
A suave essência das ausências azuis
Que de tão azuis, impregnaram minha alma
Com um sem fim de aromas e saudades
Portanto, vou acolher pra sempre o outono
Que um dia em minh’alma cálida
Fez soltar em desmedida demasia
Todas as folhas e flores
Dessa minha querida, porém intangível...
Primavera
.
.
.
Toc...toc...toc...Tem alguém aí? Posso entrar?
Pode sim seu Inverno, pode entrar...
Pode vir, sem medo e sem receio
Que te aqueço com paixão
Que te recebo com ternura
Com meus sintomas de verão...

É isso aí galera...
Um abração na alma, um beijo e sete sorrisos...valeuuuu!!!

39 comentários:

  1. Clap,clap,clap!!! Bravíssimo!
    E que tal agora: "Acalmei o vento com amor e paciência//E enfureci a brisa com meu sopro mágico" Maravilhoso!!!
    bjssssssss

    ResponderExcluir
  2. e seguindo a marliborges ... cantei cirandas pros meninos livres / e "abracei a noite desse enorme mundo." rsrs
    Lindo demais essa Estaçoes in-versos Elcio
    estou aprendendo poetar, é só se envolver ...
    abraços abraços

    ResponderExcluir
  3. E rapaz!
    por aqui, as estações tem um charme especial. E, em poesia, se encontra uma em especial - IN-VERSOS -
    Sua arte é um espetáculo,sempre.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  4. Bom dia!
    Como sempre, belíssimo ler-te.
    Doei flores e um buquê de primaveras
    E recebi outonos para cultivar a paz.
    Vim deixar meu carinho e desejar um dia especial.
    Com carinho, Lady.
    Bj

    ResponderExcluir
  5. Vindo de você tudo acaba se tornando uma rica primavera!
    Tudo lindo demais!
    Obrigada por estar se dedicando tanto ao nosso projeto no Espaço Aberto. Você quem me incentiva a dar vida a tudo por lá.
    Um beijo carinhoso

    ResponderExcluir
  6. In-versos e in-vertidos, seus versos derramam-se num poema primaveril, com jeito outonal! É claro, calmo e cristalino, como uma linda tarde de verão, e faz-me aninhar a busca de um carinho, como numa noite de inverno. Sempre suas estações, estimado amigo! Um beijo da admiradora, Deia

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Teu selinho já está no meu blog
    http://osestadosdealmacariciasyregalos.blogspot.com/

    Muito obrigada.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  8. Lindo Elcio...gostei muito do verso final...meus sintomas de verão. O bom mesmo é ter todas elas se alternando na vida de fora e de dentro.
    beijos

    ResponderExcluir
  9. "Doei flores... e recebi outonos.
    Ganhar e perder, e que bela poesia.

    abraço

    ResponderExcluir
  10. Que lindo! Adorei! Dá pra ler e reler sem cansar. É sonoramente delicioso, especialmente os primeiros versos.

    Beijos pra ti, Elcio!

    ResponderExcluir
  11. Um lindo poema que musicado e cantado sinto que faz mexer o coração entre as estações que vivem dentro de nós
    beijinhos

    ResponderExcluir
  12. Caro amigo.

    Cada vez acredito mais
    ser impossível datar palavras.
    Este poema comprova isso.
    Esquecido em uma gaveta?
    Não.
    Ele estava guardado no coração,
    para amadurecer
    e dar sabor as palavras e sentimentos.

    Que a vida se faça plena em ti,
    e que haja tempo para viveres
    esta plenitude.

    ResponderExcluir
  13. Apareço para ler, Elcio. Você que tanto traz talento e humildade aos seus escritos.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  14. Elcio amigo...
    Vá tirando seus poemas da gaveta, vá tirando o pó que a gente por aqui vai gostando do que lê e do que conhece mais de você.
    Adorei, meu querido!
    Ah! Já fui lá no Espaço Aberto e já prestigiei as dicas de cine e o melhor, já fiz nova amiga... :o)
    Beijos, flores e muitos sorrisos!

    ResponderExcluir
  15. Oi Elcio!

    Como é bom vir aqui e mergulhar nesse seu mundo poético!
    Suas palavras são profundas e inebriantes,

    Continuemos.. a jornada é longa!

    Parafraseando nossa amiga Mai, ao poeta, mais que palavras, resta a poesia.


    Bjs para ti
    Ester
    ~~~~~~

    ResponderExcluir
  16. Oi Elcio!

    Como é bom vir aqui e mergulhar nesse seu mundo poético!
    Suas palavras são profundas e inebriantes,

    Continuemos.. a jornada é longa!

    Parafraseando nossa amiga Mai, ao poeta, mais que palavras, resta a poesia.


    Bjs para ti
    Ester
    ~~~~~~

    ResponderExcluir
  17. Como siempre, lujazo leerte amigo mío.
    besos mil!!

    ResponderExcluir
  18. "Apagar o dia com o fechar dos olhos e acender a noite com a própria insônia; fazer a lua chorar no leito dos poemas e o sol nos desvãos da poesia..." Que fantástico Élcio. Dá vontade de ler várias vezes pra se lembrar da essência depois de muitos dias.
    "Molhar as estiagens com o suor do corpo e enxugar a chuva com o calor das mãos; plantar afagos num céu fértil de carências para, com o tempo, no tempo e na medida certa, colher ternura. Continuo achando esse um dos teus melhores poemas, velho!
    Por que para quem ganha, deve ser a experiência das experiências "receber flores intercaladas com buquês de primaveras."
    Deve ser anestesiante a bela sensação de "receber outonos para cultivar a paz... em tempo de ausências azuis que nos impregnam a alma, com um sem fim de aromas e saudades..."
    Gostoso demais deslizar os olhos sobre esses versos de estações in-versas ( perceber a sutileza e profundidado do estilo "tuiribepidiano" )
    "Toc...toc...toc...Tem alguém aqui. Sou eu admirando o namoro das tuas palavras em manhã chuvosa de inverno, dentro do meu casaco pesado; com meus pés ensacados em macias meias de lã cinza. Longe ainda dos sintomas de verão...

    Não pretendia fazer leitura comentada... Mas terminei me intrometendo e adicionando palavras espúrias entre os teus versos. Não foi invasão bárbara. Foi confissão de que amanheci com um belo poema!

    Abraços amigo!

    ResponderExcluir
  19. Pense uma coisa. Que ficaria bem o que escrevi acima, numa placa em bronze.
    MINHA SINCERA HOMENAGEM A MATURIDADE E QUALIDADE DA TUA POESIA!

    ResponderExcluir
  20. Oi Elcio
    Tdo bem contigo?
    Fiquei muito feliz em participar do Espaço Aberto gosto de dar dicas de filmes e ajudar as pessoas a acharem filmes legais.
    Muito obrigada pela oportunidade
    Bjs
    Lu

    ResponderExcluir
  21. Querido amigo, ler-te é maravilhoso e a tua poesia tem a magia de todas as estações!
    Um beijinho cheio de calor de verão e flores primaveris. Escolhi as estações que eu mais gosto. ;D

    ResponderExcluir
  22. Ola!!
    Desejo a você, que a vida seja um paraíso absoluto
    que o amor seja um sol que aquece
    e que em alegrias o caminho tece!
    Boas energias,
    Mari

    ResponderExcluir
  23. Ah, padim, que coisa mais doce esse poema... fiquei encantada!

    "Acalmei o vento com amor e paciência".

    Quem dera amor e paciência pudessem acalmar os meus ventos... rs.

    Beijos da afilhada levemente atropelada... kkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  24. Oi Élcio,

    Que lindo...!! Gostoso de se ler... Suave.

    Beijos e bom final de semana,

    ResponderExcluir
  25. ...Sorrir a lua no leito dos poemas...Que linda frase poética!Belos seus versos e já visitei o Espaço Aberto tb!A postagem está maravilhosa!Abraços,

    ResponderExcluir
  26. Amigo, simplesmente adorei.

    "Poesia são pensamentos que respiram, e palavras que queimam." (Thomas Gray)

    Tenha um excelente fim de semana
    bjs do tamanho do infinito
    Maria

    ResponderExcluir
  27. Olá, meu amigo...

    Poema maravilhoso..gostoso de ler...rs..tem que ser você para nos dar o prazer de ler e sairmos nos sentindo bem daqui.

    Um abraço, belo final de semana e Deus esteja sempre contigo.

    Um beijo na alma..

    ResponderExcluir
  28. Enxergas as estações do tempo com um buquê de flores e muita poesia. Abraço

    ResponderExcluir
  29. Elcio,

    adoro esses paradoxos, esse vai e vem, essa malemolência... você faz música mesmo se não quiser...

    maravilhoso !!!!

    você é demais...

    beijão bem grande

    ResponderExcluir
  30. Admirável Amigo:
    VOCÊ é uma excelência de talento e génio.
    Fico perplexo por tanta sensibilidade extraordinária. Perfeita.
    MUITO OBRIGADO comovido por tanta beleza para comigo. É um Ser Humano divinal.
    Parabéns pelo que mora de bem em si. Todo o seu sentir!
    Abraço amigo daqueles bem fortes de respeito e estima gigantescas.
    Agradeço a sua amabilidade que não mereço.
    Sempre a admirá-lo pelo brilhantismo de si e pelas atitudes profundas e significativas do seu ser enorme em prol de uma humanismo íntegro e exemplar. Uma Cidadania plena.

    pena

    MUITO OBRIGADO de quem lhe quer bem.
    Bem-Haja, fabuloso Amigo.

    ResponderExcluir
  31. Elcio,

    No blog da Sanzinha eu encontrei uns versos. Fui lendo e aquilo foi me absorvendo por inteira. Quando vi quem os tinha escrito, fiquei feliz por estar perto de alguém de alma tão intensa. Parabéns!

    "Meu abalo é sísmico
    E o despautério é cósmico
    Tudo em mim deságua
    Vento, chuva e emoção
    Em meus olhos d’água
    Eu afogo a razão"
    (Elcio Tuiribepi)

    Quanto ao seu poema que virou música, é cheio de passagens lindas. Agora, música, ele poderá voar mais longe...

    Devolvo os "sete sorrisos". ;)

    ResponderExcluir
  32. Estações In-versos, são tantos os momentos desta vida em que paramos em estações de amor, amizade, dor, sofrer, morte que tornam-se in-versos nossos sentimentos.
    Compreendo a profundidade deste poema-canção retratando almas vividas em suas constantes estações.

    ResponderExcluir
  33. É verdade Natália, tenho certeza de que você entendeu o que eu quis dizer...
    Mas agora tenho compreendido algumas coisas que antes não conseguia aceitar...
    Principalmente esse inverter de sentimentos, esse querer ferir, atingir, não é mesmo...rs...acho que é assim, hoje absorvo e compreendo já perdoando e até entendendo o porquê...é isso
    Um abraço em sua alma...bjo

    ResponderExcluir
  34. Tem selinho no meu blog p vc, beijos!
    Lu

    ResponderExcluir
  35. Obrigada pelas constantes visitas, e carinho.
    “Madrugada de lua cheia”,
    Lanço desejos ao mar,
    Deito meus sonhos na areia
    Banho-me toda em luar…
    Bom fim de semana,
    Boas energias!
    Mari

    ResponderExcluir
  36. Mais um belo poema que emociona ...
    essência divina, Elcio ... beleza ímpar e inconfundível.
    Grande abraço e uma linda vida!

    ResponderExcluir
  37. ..."Doei flores e um buquê de primaveras
    E recebi outonos para cultivar a paz."

    sem mais palavras deixo
    bjs neste teu lindo coração!

    boa semana, poeta!

    ResponderExcluir
  38. Oi, meu amigo querido! Estou dando uma passadinha para lhe contar que lhe indiquei para participar do Meme "6 coisas que as pessoas não sabem sobre mim". Se quiser, e puder, passe lá no blog para entender como funciona. Eu fui indicada pela Louise do Milk Shake de Palavras e adorei! Uma escrita diferente da que estou habituada! Um grande final de domingo, Deia

    ResponderExcluir

Semeando