domingo, 23 de maio de 2010

Um prenúncio de Déjà Vu

Olá pessoal...mais um poema que estava guardado na gaveta...e ainda tem mais...
Aos poucos eles vão saindo...

Gente...o convite para a próxima Blogagem Coletiva já está no Espaço Aberto...quem quiser particpar dá uma passadinha por lá e fique por dentro da próxima interação ok...

E quem quiser ajudar, se puder...avise os amigos em seus blogs ok...assim estarão nos ajudando por demais...valeu gente...boa semana pra todo mundo...
Um abraço na alma...beijo...



Um prenúncio de Déjà Vu

Contraí mais uma ferida
Dessas sem corte e sem sangue
Mas que causam alguma dor
Sempre que me surgem
Assim de repente e amiúde
A consolidar-me entristecido
Mais uma cicatriz
Nos jardins da alma
É que elas não se ausentam
Sempre que deixo renascer
A minha incomparável ingenuidade
A mesma que vive a indagar-me
Sobre ser ou não ser, eis a questão
Porque já não há mais como evitar
A necessidade de se abrir os olhos
Ao deparar-me novamente
Com o mesmo inevitável de sempre
Assim, com aquela impressão de anteontem
Que além de presente, ainda me trouxe
Um prenúncio de Déjà Vu
Portanto, melhor compreender
Definitivamente a primavera
Antes que me inunde aquela velha mágoa
Que agora em meus olhos d’água
De tão renascente, já não me transborda
Apenas me faz absorver e aceitar
A verdadeira essência desta utopia
Que ainda terna e envolvente
Teima e sobrevive, na ilusão da poesia
Na brandura ardente da minh’alma
E no azul, que embora ausente
Será pra sempre permanente
Maktub...estava escrito...é verdade
Eu é que não soube interpretar

28 comentários:

  1. Sempre brilhante em seus escritos.


    abraços


    Hugo

    ResponderExcluir
  2. As feridas que não sangram são as que mais doem.
    Mas também nos ajudam a aperfeiçoar a percepção das entrelinhas.


    Gostei muito, padim.
    Beijo grande.

    ResponderExcluir
  3. Amigo belo poema...
    Quem não cai nas armadilhas do amor...
    A gente sofre... Tudo passa... Pode voltar novamente... Mesmo sabendo que vai doer, a gente quer...
    São coisas do coração... E não podemos controlar.

    Lindo o post.

    Uma linda semana de paz.

    Bjos!!

    ResponderExcluir
  4. Meu amado hoje eu só paguei mico rs.
    É verdade, tu é geminiano,com certeza gente muiiiiito boa.
    Desculllpa.
    Beijokas

    ResponderExcluir
  5. Olá Elcio!

    Parabéns pelos versos...
    Tira-os da gaveta, por favor...

    adorei estes...
    "Na brandura ardente da minh’alma
    E no azul, que embora ausente
    Será pra sempre permanente
    ..."

    Um beijo e uma excelente semana.

    ResponderExcluir
  6. *Portanto, melhor compreender Definitivamente a primavera* Portanto, o Poeta monta uma teia de aranha pra pegar o leitor.
    Maktub...? Can tell!
    Os Poetas fazem a História, não só a sua como a do Mundo e não Filosófos, diplomados, etcx, quer dizer, estes também fazem, e muito. Original mesmo, é o Poeta, o que vive, o que sai, o que enxerga, o que luta. É isso que você, Élcio, vem fazendo desde o dia em que o li. Seu poema é Maravilhoso.
    Beijos******

    "Cada pessoa que passa em nossa vida, passa sozinha

    é porque cada pessoa é unica e nenhuma substitui a outra.

    Cada pessoa que passa em nossa vida passa sozinha

    e não nos deixa só,

    porque deixa um pouco de si e leva um pouquinho de nós.

    Essa é a mais bela responsabilidade da vida e a prova

    de que as pessoas não se encontram por acaso."

    Charles Chaplin*

    Bom Dia, querido!
    Renata

    ResponderExcluir
  7. Bom dia Elcio...
    A vida segue por caminhos que nos surpreendem. Mas são caminhos que nos faz aprender e fortalecer a alma!
    Confesso que não tem sido muito fácil trilhá-los nesses dias... Mas quem tem amigos e Deus será sempre fortalecido.
    Eu também agradeço de coração a sua disposição e boa vontade em ajudar a todos nessa vida.
    Sempre que precisei você estava presente com seu sorriso valente, seu ombro amigo, sua palavra confortante. Obrigada de coração!

    Eu espero que a postagem Coletiva seja um grande sucesso como foi a primeira e que a interação entre todos seja sempre real e sincera!

    Beijos com muito carinho

    ResponderExcluir
  8. Bom dia querido!
    Sempre nos abrilhantando com suas escritas mágicas.
    Tenha uma semana maravilhosa.
    Carinhosamente, Lady.
    Beijo na alma

    ResponderExcluir
  9. Senti um "Q" de melancolia no seu DejaVu...
    Uma melancolia bonita e inspiradora como tudo que escreve!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Ola! Respondendo seu comentário: "Que presente comprar? P/ mulheres.. "
    Qdo disse p mulheres,quis dizer que o post é para mulheres, ou seja, o que nós mulheres podemos comprar para os homens? rss.. Acho que me expressei mal né?! Não deixe de ler o texto que postei no blog do evento: www.temptationday.blogspot.com
    Obrigada pela visita!
    Bjos!
    =)

    ResponderExcluir
  11. "Estava escrito, eu é que não soube interpretar." Amigo querido, me descubro muitas vezes nas rimas desses seus poemas. É como se, de repente, você levantasse um espelho e eu, opa! visse meu reflexo nele! Cicatrizes, carrego muitas, mas, inocência mantida, pergunto-lhe, quem não as tem?

    Um beijo, estou TÃO animada com a blogagem coletiva que o meu texto já está pronto!!

    Sua amiga, Deia

    ResponderExcluir
  12. "Contraí mais uma ferida
    Dessas sem corte e sem sangue
    Mas que causam alguma dor"

    Beleza de versos!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  13. Elcio,

    um belo poema que nos ensina que feridas sem sangue também doem.
    Feridas que nos magoam o coração mas que nos ensinam a evoluir...sem elas nada aprenderíamos.

    Vou ver se a inspiração me ajuda para participar no Espaço Aberto.

    um abraço

    ResponderExcluir
  14. Elcio obrigado pela sua visita e pelo comentário.

    Visite sempre.

    Cumprimentos

    ResponderExcluir
  15. O amor sempre trazendo alguma dor.
    Mas as feridas cicatrizam , sempre.
    Só nao pode deixar guardadas as palavras lindas assim rs
    abraços

    ResponderExcluir
  16. Olha nós aí "traveis"! rsrsrs. Amigo, deixei um selinho lá no blog para você, mas, sendo apenas uma lembrança querida, por favor não se sinta constrangido se não quiser participar, combinado? Um beijo enorme, Deia

    ResponderExcluir
  17. Oi Élcio,

    Quanto sentimento... Desejo que um amor cure essa sua ferida...

    Beijos,

    ResponderExcluir
  18. Bonito, mas só porque não entende algo da vida não impede de vive-la...

    Fique com Deus, menino Elcio.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  19. Bom dia, Élcio! Que bom que você gostou da brincadeira!
    A ideia é que você faça um post exibindo o selinho e contando aquelas três coisas sobre você aí no Verseiro.
    Depois, copie o link dessa sua postagem e cole lá nos comentários do meu blog - assim, as pessoas que forem lá comentar tem a chance de virem aqui ver as suas respostas.
    O objetivo é integrar, fazer com que as pessoas circulem por entre os blogs. Melhorei a explicação agora? rsrsrs. Um beijo, excelente terça par você também!
    Deia

    ResponderExcluir
  20. Olá, gostei muito de seu poema...às vezes o que guardamos por muito tempo nas gavetas da vida revela-se profundo e mágico. Deixe sempre a gaveta um pouco aberta para compartilhar conosco! abraço

    ResponderExcluir
  21. Traga versos para nós... Muitos versos. Esvazie as gavetas todas. A gente coleciona, porque são lindos. Poesia é uma forma de ser e de modificar.

    Beijo

    Vou lá no espaço, então.

    ResponderExcluir
  22. Belo poema.
    Obrigado pela visita.
    Beijokas.

    ResponderExcluir
  23. Élcio, essas feridas sem corte e sem sangue que dilaceram a alma nos acompanharão ao longo de nossa jornada é verdade. É claro que sempre tentamos fazer com que doa menos, mas muitas vezes é inevitável, porém se tentarmos apurar o olhar saibamos melhor interpretar e dessa forma entender que, infelizmente, algumas coisas não são permanentes. O simples fato de entermos isso talvez traga alívio.
    Um beijo e parabéns pelo poema (ainda bem que ele saiu da gaveta)

    ResponderExcluir
  24. Como siempre, enorme placer el leerte. un fuerte abrazo!!

    ResponderExcluir
  25. Elcio


    Os livros são algo bem presente e forte.
    Muito computador.
    Muita tecnologia...
    Mas os livros...
    O virar a folha,
    o beber as letras
    São para sempre

    Um beijo



    OS LIVROS


    Livros
    Muitos livros
    De várias lombadas
    Largos
    E finos
    Mas todos eles
    Meus amigos...
    Que me acompanham...
    Que me transportam
    A todo o lado.
    E que me fazem companhia...
    E quando me sento
    No meu canto
    Pego no livro que quero...
    Pego na historia mais linda
    E leio...
    E transporto-me...
    Também... para lá...

    LILI LARANJO

    ResponderExcluir
  26. querido amigo verseiro todo tesouro é assim sempre bem guardado,um bjo!marcinha.

    ResponderExcluir
  27. O poema vem costurando a tristeza, as cicatrizes, as dores, a ilusão, a utopia...mas você acende uma grande luz na alma:
    "Portanto, melhor compreender
    Definitivamente a primavera
    Antes que me inunde aquela velha mágoa"

    A observação, a compreensão, o entendimento...para aliviar a dor da cicatriz.

    bjs

    ResponderExcluir

Semeando