sábado, 16 de outubro de 2010

Sonatas quase Bachterianas de Tuiribepi

Fala galera...um abraço na alma...
Este é um poema doido...rs




Sonatas quase Bachterianas de Tuiribepi
( Desconcertos de Mim maior sem dó menor )

Com certeza me bastariam
As minhas psicodélicas amebas
E suas Sonatas quase Bachterianas
Mas meu sangue de mangue pálido
Lamacento, virulento e de odores acres hálitos
Percorre nauseabundo, putrefato e inocente
Coagulando ácido em minhas encardidas veias
Pois as minhas dores epidêmicas e hediondas
Impregnadas de rebeldes cistos flamejantes
Todos infectantes e insubordinados
Agitam a fauna e a flora do meu intestino
Impregnando-os de vermes hospedeiros
De feridas incandescentes e suicidas
Porém, ainda é muito pouco, portanto...
Eu me maquio com micoses e fungos
Que proliferam em minha tez necrosada
Endurecendo-me com artrites e escolioses
Todas esbranquiçadas e idiopáticas
Deveras emblemáticas com seus sintomas
Por isso coleciono psicoses qualitativas
Em quantitativas progressões aritméticas
Pois minha mente é calejada de variáveis
E minha bílis impacientemente vulcânica
Regurgita minha doce e angelical bulimia
Expelindo de mim os abscessos da poesia
As vísceras cativas, perversas e moribundas
Que pela cavidade, nefasta e espectral
Escorrem podres de meus lábios
Então nesse instante vocifero versos
Desopilando as artérias do coração
Desintoxicando a alma de meus cistos
Diante a convulsão sistêmica e literária
Que enfim, verbalizou o meu silêncio

Elcio Tuiribepi

23 comentários:

  1. Bacana Elcio
    talvez você se divirta em http://papopoetico.blogspot.com/
    A poesia é necessária
    Tudo de bom

    ResponderExcluir
  2. "Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completa quando não entendo. Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo."

    Clarice Lispector

    Adorei, resolvi segui-lo, espero que me aceite como membro de seu blog.

    ResponderExcluir
  3. Tudo são produtos. Produções de nosso corpo e de nossa mente, que as vezes vem bonitas, as vezes nem tanto...rs. Como já dizia Freud no inconsciente não existe contrários, portanto o belo e o feio se equivalem.
    Gostei do poema.
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Bonito, apesar de ser um pouco diferente...

    Mas o corpo é algo material, algo que vamos perder quando passarmos para um nivel mais elevado, o que importa é termos uma alama com vontade de ser pura (bem como, fazer por onde).

    Fique com Deus, menino Elcio Verseiro.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. Elcio
    Fico tão feliz de passar no meu cantinho. São rascunhos que faço. Dos passeios, da viagens, da minha cidade. Que é realmente acolhedora. Mas precisa ir nos dias de festa: dia da cidade e do padroeiro em 12 de junho. Em agosto festa na exposição. Semana santa.Não me lembro de mais nada.
    Mas se passar por lá é só perguntar por mim. Ficarei feliz se voce for tomar café com pão de queijo comigo e com mamae.
    Um poeta maravilhos me visitando é sempre uma honra.
    com carinho MOnica

    ResponderExcluir
  6. Verseiro!
    Na vida precisamos desintoxicar sentimentos obsoletos,e respirar novos,o combustível concreto para a plenitude,um PQLM,pra esse enterro viceral!
    beijoooooooooos,cheios de boas energias!
    Mari

    ResponderExcluir
  7. Obrigado pelo comentário gentil. Vamos nos manter conectados e espalhar poesia, que o mundo precisa

    ResponderExcluir
  8. Diante do seu poema sobre ameba tenho a informar que realmente vc está podre...rsrs, consultar um medico urgente beba mais cerva.

    ResponderExcluir
  9. Ergue-te e caminha.
    Enxuga as lágrimas e fita os céus.
    Deus que te sustentou até ontem, sustentará hoje e sempre.
    A sombra vale para destacar a luz.
    Se provações te feriram, esquece.
    Se desenganos te amargaram a existência, não esmoreças.
    Escuta a esperança, no silêncio da própria alma, a falar-te de futuro e de amor, de beleza e eternidade e transforma a bênção das horas em riqueza de trabalho.
    Olvida toda sombra, à procura de mais luz e perceberás que Deus está contigo, em teu próprio coração, a estender-te os braços abertos.
    Beijo grande e linda semana pra vc!

    ResponderExcluir
  10. Oi Elcio!! Ui! Que poema mais difícil!! Afinal, curou-se ao vociferar versos ou apenas a face da morte beijou ao gastar o último rasgo de energia contida nessa vida já corrompida? rsrs!! Beijos, muita falta das suas visitas!! Deia.

    ResponderExcluir
  11. Salve!! E olha que hoje é dia do médico! (rs*) Boa semana! Beijus,

    ResponderExcluir
  12. Elcio, esta é purinha! Poesia profunda e só faz quem sente e sabe. Abraço nas almas, do poeta e do homem.

    ResponderExcluir
  13. Olá, Élcio
    Apesar de diferente... faz sentido... total!!!
    Tenha ótima semana e abençoada junto aos seus.
    Abraços fraternos

    ResponderExcluir
  14. Elcio meu filho me embaralhou o pensamento rsrs
    quando cheguei nos "vermes hospedeiros " meu estomago deu uma embrulhada kkkk
    brincadeira Elcio mas é dificil pra caramba.
    depois volto e leio de novo
    um grande abraço

    ResponderExcluir
  15. Oi Elcio!
    Quando damos vida ao que sentimos ao mais intimo da alma, percebemos que o silêncio muitas vezes estava impregnado de algo que não nos fazia bem.
    Expor o que sentimos, também é viver ou quiçá sobreviver nesse mundo louco!rsrs
    Deixo um forte abraço carinhoso e que só você sabe o quanto vale!

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Elcio
    E doido mesmo. Mas pensar em serenata é reviver o dia que antecede aos casamentos nas cidadezinhas do interior que ainda conservam o ritual da serenata.
    com carinhoMonica

    ResponderExcluir
  17. Minino! Psicodélicas amebas? Vermes hospedeiros?
    Bem, fizemos uma viagem surreal por um organismo um pouquinho depauperado, mas há que se convir, uma viagem com toda a força semântica e a imaginação poética do verseiro.
    Beijokas e saudades.

    ResponderExcluir
  18. Meu queridissimo amigo Elcio,
    Que bom que tenha voltado ao nosso convivio.
    Estive aproveitando uns dias de ferias de minha filhota e deixei o meu blog meio no piloto automatico e somente hoje estou podendo visitar aos amigos.
    Pouco a pouco estou colocando a leitura em dia, afinal sao duas semanas de atrasos (risos).
    Beijos, flores e muitos sorrisos!

    ResponderExcluir
  19. Elcio
    Lamento nao corresponder ao teu desejo de ler poemas meus.Nao tenho véia poética , infelismente.
    Já existe muitos poetas blogueiros , agora é moda ,todo mundo se arvorando a fazer poesia, umas excelentes , outras nem tanto , enfim nao é minha praia. O meu cantinho , como tantos outros ,é apenas uma forma de pesquisar sobre poetas, colher o que me toca e publicar.
    Nunca foi objetivo queimar neurônios tentanto poetar, minha poesia é meu olhar sobre o belo , a sensibilidade sempre aflorada.
    Desculpe mas as vezes me incomoda pensando que nao gostas de ler as poesias que publico e só agradeço o estímulo, mas creia que só faz travar mais rsrs
    obrigada pelo carinho e senti vontade esclarecer sobre a veia poética que no caso voce tão bem sabe usar.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  20. Elcio
    Bom fim de semana
    com carinho MOnica

    ResponderExcluir
  21. Bom dia!

    "Achar que o mundo não tem um criador é o mesmo que afirmar que um dicionário é o resultado de uma explosão numa tipografia."

    Benjamin Franklin)

    Que seu dia seja de luz.

    Ótimo fim de semana pra vc.

    ResponderExcluir

Semeando