quarta-feira, 3 de novembro de 2010

UM BEIJO EM PRETO E BRANCO OU BRANCO E PRETO OU PRETO E BRANCO...................





UM BEIJO EM PRETO E BRANCO OU BRANCO E PRETO OU PRETO E BRANCO...................
(Para Vitória e Matheus)

Era uma tarde como outra qualquer, mas de repente escutei um sorriso sorrindo pra vida, assim, sem motivo aparente...
Era um sorrindo lindo, inocente, espontâneo e travesso, desses que só mesmo uma criança pode nos oferecer.
E Vitória nos ofereceu esse sorriso trajando um vestido branco, todo enfeitado com detalhe rosa, tão lindo e tão simples quanto Vitória, que ainda trazia nos cabelos uma presilha branca e nos pés uma sandália rasteira que a deixava ainda mais à vontade.
Na bunda, ela tinha um foguinho de dar inveja, de causar espanto em qualquer adulto que porventura tenha apagado de sua memória o significado desse período mágico em nossas vidas, chamado infância.
E foi assim, angelicalmente sapeca, que Vitória rapidamente sentou-se ao lado de Matheus: menino comportado, trajando roupa de griffe, tênis ultima moda e ainda com seus cabelos brilhantes de tanto gel, um luxo...
Com olhares tímidos, Matheus apenas observava Vitória, que mesmo sem perceber, seguia compartilhando sua contagiante alegria com todos que estavam a sua volta.
No entanto, não demorou muito para que Vitória, visivelmente encantada, pegasse em sua mão para que brincassem e corressem juntos pelo salão da agência.
E foi nesse instante, que meu olhar atento os acompanhou, fazendo brotar no leito da minh’alma um sorriso terno, desses que observam, absorvendo de forma generosa e porque não dizer abrangente, toda essa linda inocência.
Pena que esse instante não durou muito, pois o tempo apressado corria deixando em meus olhos adultos aquelas imagens infantis.
Bom de observar também é que Dona Janice, super empolgada com a desenvoltura do neto, quase teve uma câimbra em seus lábios por tanto sorrir de alegria diante a felicidade que os dois exalavam.
Porém...já havia passado da hora de ir embora.
Dona Janice os chamou e pediu que se despedissem...
E foi assim que Matheus a pedido de sua avó preparou-se para abraçar Vitória, porém, sem pestanejar, a sapequinha já estava em seus braços envolvendo-o num abraço lúdico e mágico, mas também estabanado, tão estabanado que eles quase caíram devido ao entusiasmo de Vitória.
No entanto, o melhor e mais bonito ainda estava por vir quando Dona Janice pediu aos dois que se beijassem, formalizando a despedida.
Era para ser um beijo singelo, fraterno, mas...
Bom...acho que vocês podem imaginar a cena...foi um beijo longo, amassado, entusiasmado, eu diria até que apaixonado, mas, logicamente que sem qualquer maldade, embora acalorado de tão demasiadamente sonhado, tanto que se tornou inocentado justamente por ser um beijo sem preconceitos, sem tesão, sem segundas ou terceiras intenções. Foi um beijo puro, inigualável, docemente inocente.
Foi na verdade um beijo “PUTAQUILAMERDA”...ingenuamente ingênuo...um beijo pra ficar na memória...



Bem...quem ainda não conhece a expressão “putaquilamerda” veja o filme :   "O Contador de Histórias”...acreditem...vale a pena...é realmente uma película “putaquilamerda” de tão bonita que é a história...rs

Um abraço e um beijo “PUTAQUILAMERDA” de amizade, em todos os amigos que passam por aqui

Valeuuuuuuuuu galeraaaaaaaaaa....




19 comentários:

  1. Genial história e beijo putaquilamerda!!!rssss...abraços,chica

    ResponderExcluir
  2. Tudo o que naturalmente nasce em nosso coração é bonito de se ver e sentir!
    O próprio filme que você citou é prova disso.
    Bela história... Belo momento eu vivi aqui!
    Um abraço carinhoso

    ResponderExcluir
  3. Tenemos tanto que aprender de estos pequeños...
    Un besazo amigo mío!!!

    ResponderExcluir
  4. Lindo texto Elcio!
    A Vitória me fez lembrar alguém!!!!!!!
    Em breve repondo seu convite e muito obrigada pelo carinho de sempre.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Élcio, a beleza dos sentimentos está em sua pureza...

    E é a pureza que exala dessa cena, de toda a história, que a torna meiga e doce...

    Putaquilamerda! Voce escreve bem pra caramba!!! rsrsrss



    Aqui pelas Minas Gerais, usamos muito esse xingamento...rsrsrss


    Beijos meus!

    ResponderExcluir
  7. Olá, Élcio
    "...um sorrindo lindo, inocente, espontâneo e travesso, desses que só mesmo uma criança pode nos oferecer".... passo para lhe dar um desses...
    Abraços róseos no dia de hoje.

    ResponderExcluir
  8. Élcio, a pureza das crianças, sem maldade, sem preconceito, o encanto do sorriso, da vivacidade.

    E contada por você podemos imaginar a cena, inclusive imaginar você na agência com cara de "bobo" vendo a cena se desenrolando, a vida acontecendo.

    E o filme é muitooooooo bommmmmmmmmm.

    Para você um abraço Vitória. rsrs

    ResponderExcluir
  9. Élcio querido amigo...
    Eita que eu tava devendo esta visita há muitos dias... primeiro para dizer que bom que você voltou (ou será que eu já disse isso?... bom, se disse digo de novo, porque é a mais pura verdade!)
    Segundo para dizer que fiquei muito feliz de poder,enfim, cumprir com a promessa que lhe fiz de escrever sobre TDAH (não é TDHA não... hehehehe) e mais ainda, de saber que você gostou.
    E terceiramente, para dizer que amei poder voltar a ler suas histórias divertidíssimas e sentir o seu humor único e inesquecível.
    Beijos, flores e muuuuuuuuuuuuuuuuuitos sorrisos destes "putaquilamerda" pra você... hehehehehehe...

    ResponderExcluir
  10. Elcio
    Existe além da pureza, o beijo de amor entre as duas raças. Eu acho divino.
    Amanha é meu aniversário
    com carinho MOnica

    ResponderExcluir
  11. Amigo,
    por várias vzs tentei comentar,e não vai.

    Meu comentário:

    "Eu fico
    Com a pureza da resposta das crianças
    É a vida, é bonita e é bonita
    Viver, e não ter a vergonha de ser feliz
    Cantar e cantar e cantar
    A beleza de ser um eterno aprendiz
    Ah meu Deus eu sei, eu sei
    Que a vida devia ser bem melhor e será
    Mas isso não impede que eu repita
    É bonita, é bonita e é bonita
    Viver, e não ter a vergonha de ser feliz"
    Quando nossa alma está liberta,os poemas
    caem com beleza de seu pé de versos.Parabéns!
    Um forte abraço no esqueleto!
    Boas energias,

    Mari Amorim

    ResponderExcluir
  12. A verdade é que o preto só brilha no branco e vice-versa. Linda a sua história. Pena que o dicionário tenha a palavra preconceito. Por mim deixava de existir. Beijos com carinho

    ResponderExcluir
  13. Obrigada Elcio,por ter publicado meu comentário,só não gostei da denominação anônimo,mas td bem..
    Boas energias!
    Mari

    ResponderExcluir
  14. Elcio
    Joje vim para agradecer
    Meu aniversário só foi especial porque voce e minhas amigas e amigos daqui estavam presentes me oferecendo textos lindo sobre valores. Estes ficarão eternamente brilhantes no meu coração
    com carinho MOnica

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. Adorei o texto. Adorei conhecer seu blog. Tenha uma ótima semana. Estou te seguindo.

    ResponderExcluir
  17. Oi Élcio
    Um conto de tirar o folêgo ,inocente e feliz.
    Como bem disse a Mari no seu comentário - é bonito ,é bonito e é bonito!
    Uma semana gostosa pra voce !
    adorei o putaquilamerda kkkk
    muito bom Élcio
    abraços

    ResponderExcluir
  18. As crianças as vezes nos surpreende, não é?

    Fique com Deus, menino Elcio.
    Um abraço.

    ResponderExcluir

Semeando