sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

ENCANTO

Primeiro quero pedir desculpas as pessoas que não lembrei de convidar, depois quero agradecer de coração e alma aos que participaram de alguma forma da postagem passada, a interação foi uma surpresa. Aos que não fizeram postagem e nem puderam comentar...a porta estará sempre aberta...rs...sobrou bolo...rs

Continuando as comemorações de dois anos do Verseiro e cumprindo o prometido...deixo um poema dedicado aos casais Sanzinha e Wilson, Rebeca e Jota Ce...que buscam O AMOR incessantemente...legal conhecer e interagir com vocês...

Para Sanzinha e Wilson (http://jardimdasan.blogspot.com/) aconselho a continuação do riso solto, da compreensão, da cumplicidade e da empatia em todos os momentos da vida...até mesmo quando todas as coisas começarem a cair...rs




Para Rebeca e Jota Cê (http://www.nectardaflor.com.br/) deixo apenas um extintor vencido e vazio, para que a chama nunca se apague...rsrs



Esse poema é para que vocês pensem...rsrs

ENCANTO


CANTA, ENCANTA
E VEM ME ENSINAR

CAMA, CHAMA
QUER NAMORAR

LARGOS, AFAGOS
DE NOITE SE DAR

CORES E FLORES
PRA TE OFERTAR

CASO, O ACASO
NÃO POSSA ESPERAR

TENTO, INVENTO
NO VENTO CHEGAR

SINTO, NÃO MINTO
VOCÊ É MEU PAR

FAÇO E DESFAÇO
QUE É PRA NÃO ERRAR

FATO É DE FATO
EU QUERER TE BEIJAR

CEDO, O MEDO
ERA NÃO TE ENCONTRAR

LUZ, QUE RELUZ
TUA ALMA NO OLHAR

SEDE E REDE
ME LEMBRA O MAR

CEIA, SEREIA
QUE EU VOU TE PESCAR

LOUCA, TUA BOCA
FRUTA DE POMAR

CASTOS E VASTOS
DESEJOS NO AR

TARDE, ARDE
A ARTE DE AMAR

PELE, ADERE
CORPO A SUAR

SEIOS, ANSEIOS
DE TI DESFRUTAR

RIMA QUE PRIMA
QUERER TE BUSCAR

VERSOS, REVERSOS
NÃO VOU VERSEJAR

PONTO DE ENCONTRO
PRA GENTE SE ACHAR

SONHO EM MEUS SONHOS
TE REALIZAR

AGORA É HORA
NÃO DEIXA PASSAR

VINHO, ADIVINHO
O QUE VAMOS BRINDAR

SIM, QUERO O SIM
TE DIZER NO ALTAR

JURO QUE JURO, QUE JURO
PRA SEMPRE TE AMAR

Aproveitando a ocasião...rs
Convite-Desafio proposto pela amiga Tatiana do blog Simplesmente Amor ( http://plantandoamor.blogspot.com/)
Então...palavra dada...palavra cumprida...lá vai...
Falar sobre cinco manias... a primeira merece uma imagem...rs



1- Colocar banana prata picadinha em qualquer tipo de comida, mas principalmente no arroz com ovo...rsrs
2 - Escrever com o violão no colo...arranhando algumas melodias
3 - Ajeitar o retrovisor...caracole...isso já virou neura...rs
4 - Andar descalço é uma mania formidável
5 - Escrever e reescrever, escrever e reescrever...rasgar e começar de novo...rs
6 - Vou colocar sete...rs...geralmente escrevo além do que deveria...rs...
7 - Espirrar alto, de brincadeira, para assustar as pessoas...rs

Convidar cinco pessoas...Bem...quem quiser nos mostrar suas manias...faça o mesmo...rs
Um abraço na alma, um beijo e um arroz com ovo e banana...rs

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Dois anos de Verseiro


Caramba...dormi mais que a cama,tem gente que até já postou na minha frente...que vergonha...rsrs

Hoje, dia 26 de janeiro é aniversário de dois anos do Verseiro e não três como eu havia dito ( Nossa, eu errei a conta...rsrs...também pudera, conta super difícil...rsrs)
Quem por acaso eu esqueci de convidar e passar por aqui, convido agora, faça uma postagem colocando uma foto sua quando criança ou adolescente junto a irmãos, primos ou amigos e conte alguma passagem de sua vida nessa época, alguma travessura, algum fato que marcou em sua memória de forma alegre, engraçada...rs
E vamos comemorar e sorrir juntos...

“O passado não reconhece seu lugar
Está sempre presente”

Mário Quintana

Esta foto foi tirada na frente do portão de nossa casa se não me engano em 1971.
Nesta época as brincadeiras eram muito diferentes se comparadas as de hoje, pois brincávamos ao ar livre, brincávamos de pique, jogávamos mais bola, soltávamos pipas, batíamos bafo com os amigos na calçada, jogávamos botão, gude e pedra no rio só para podermos vê-la correndo e saltando pela superfície da água.
Além disso apertávamos campainhas...rs...(apanhei uma vez por causa disso), descíamos o barranco sentados num papelão e ainda derrubávamos índios e soldados que estrategicamente colocávamos no morro, arremessando nossas bolinhas de gude.
Mas hoje vou falar sobre aquela brincadeira feita com o antigo fio do ferro de passar roupa, pois é...este mesmo, que parecia uma cobra coral.
Ficávamos escondidos atrás do portão, nós três, e quando alguém passava, puxávamos o fio amarrado por uma linha...sempre dava certo e a gargalhada comia solta a cada susto.
Porém, numa certa vez a pessoa que assustamos era uma grávida e só fomos descobrir isso depois do susto levado por ela. O pior é que quando meu irmão Edu, saiu para tentar acalmá-la, indo em direção ao fio para pegá-lo no intuito de mostrar que era apenas uma brincadeira, mais ainda a grávida gritou, com medo que meu irmão fosse picado pela suposta cobra...rsrs...nesse instante nossos pais saíram por causa da gritaria, assim como alguns vizinhos também...rs
E conseguiram acalmar a pobre...rs
Depois que lhe deram um pouco de água com açúcar...fizeram com que ela se sentasse um pouco na varanda para se acalmar, antes de seguir seu caminho...
Já nós, só não dormimos com a bunda quente porque estávamos com visita em casa...até porque depois, todos riram, inclusive os adultos.
É isso galera...obrigado pela participação...por favor me avisem da postagem para que eu não deixe de ver quem também participou ok.
Um abração na alma criança de cada um que passar por aqui...um beijo, um pedaço de poema, outro de bolo e um guaraná...nada de cerva hoje...rsrs...só mais tarde...rs
Valeu galeraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa...
Pode levar um pedaço...rs...

sábado, 23 de janeiro de 2010

ENCONTRO



Adorei esta imagem, porque nas horas nubladas, ela mostra como devemos manter o nosso espírito apesar de tudo...

ENCONTRO

APESAR DE TÃO DIFERENTES VOCÊS SEMPRE SE ENCONTRAM
MESMO QUE RAPIDAMENTE NA TRANSIÇÃO DOS SENTIMENTOS
VASCULHAM A ALMA DA GENTE E CHEGAM AO PONTO CERTO
ONDE SE INSTALAR
ENTÃO ALI FICAM, SEM SABER O MOMENTO EM QUE SERÃO SUBSTITUÍDAS
NESSA TROCA INTENSA E INFINITA
JÁ QUE FELICIDADE E TRISTEZA SÃO MOMENTOS
FEITOS DE INSTANTES QUE POR SI PRÓPRIOS FICAM
ETERNIZADOS NA VIDA DA GENTE
A FELICIDADE DILUI-SE NUM DIA FRIO, NUBLADO E CINZENTO
E A TRISTEZA TRANSFORMA-SE NUM SOL DE INFINDOS SORRISOS
PARA QUE ASSIM, CUMPRA-SE ESTA INCESSANTE TROCA
TORNANDO-AS CÚMPLICES UMA DA OUTRA
TRANSFORMANDO, ALTERANDO HUMORES, DESEJOS, RAZÕES
E TUDO O MAIS QUE SE ANSEIA
NOS MAIS PROFUNDOS SENTIMENTOS
EM QUE SE PERDEM E SE ENCONTRAM
NOSSAS PRÓPRIAS ALMAS.



Esta semana foi meio assim...cheia de encontros, mas ontem a felicidade esteve presente na colação de grau...Saudades já da turma...a convivência nos faz mais próximos, nos faz mais solidários, nos faz mais amigos...

Dia 26, três anos de Verseiro,três anos de convivência, três anos de partilha, três anos postando esse grande encontro entre tristeza e felicidade...

Convido a todos para que no dia 26 façam uma postagem com uma foto de vocês quando criança ou adolescente e contem alguma passagem vivida nesta época por vocês...de preferência engraçada...vamos sorrir todos juntos, pois farei o mesmo aqui no Verseiro.

Obrigado aos que já confirmaram presença e participação na brincadeira...Quem não puder postar, sem problemas...passa para comer um pedaço de bolo, ou melhor dizendo...de poema ou história...rss

Dois abraços na alma, dois queijos, um presunto, um café quentinho e um beijo
Valeuuuuuuuuuuu galeraaaaaaaaaaaa....pelo incentivo sempre...
Placar...a felicidade é valente, teimosa...assim como o meu sorriso...por isso está sempre virando o jogo...rsrs

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Versos Sagrados


Sábado passado reuni em minha casa o sexteto da facul para um xurras...
( sexteto: equipe que virou quarteto, quinteto, dupla e sexteto novamente...rsrs...enfim...) Meus irmãos apareceram e a cantoria rolou até tarde.
As músicas mais pedidas foram: Pavão Misterioso, Califórnia Dreams e Versos Sagrados do mano Edu Toribe...
O mais legal disso tudo é que ele fez esta música aos 19 anos...
E quando cantou e tocou, a galerinha mais nova de 17, 18, 19 e 20 poucos anos gostou tanto que acabou pedindo bis...
Ele empolgado, rapidamente copiou a letra num papel e entregou para o coral improvisado...
Eu peguei o isopor onde estava a cerva e fiz virar um “carron”, usando de toda a habilidade de percussionista que Deus não me deu...rsrs...mas deu para o gasto...rs
E cantamos...cantamos e cantamos...rsrs...rasgando a noite...

Bom...taí a letra do mano Edu...nesta não teve parceria...aos treze anos eu não imaginava que iria gostar tanto de escrever...rs


Versos Sagrados

Um raio de Sol veio despertar meu sono incerto
E a nítida impressão de que era teu beijo
Rompeu o pranto que eu jamais tinha chorado
E veio o vento
Trouxe o passado

Sem você eu quero apenas solidão
Pra desdobrar o que tiver nascido em mim
E cantar em paz, tudo o que possuo na lembrança

Eu sonhava saber das confidências de sua carne
Pra te queimar em minha chama mais ardente
Mas meu silêncio foi maior que a vontade
E veio a chuva, lavando a tarde

O véu da noite cai sobre meu sangue impuro
É que a distância torna os teus versos sagrados
Eu só queria eternizar os nossos planos
Mas veio o tempo, varrendo os anos


Um abraço na alma, um café com leite, um pão, um queijo...
e também um beijo...rs

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Confesso...sou de carne, pele e osso, tenho leito, margens e pedras...alma e coração


Confesso...sou de carne, pele e osso, tenho leito, margens e pedras...alma e coração

Diante o inusitado
E da inesperada desordem lançada
Tentei manter a serenidade
Voltei meus olhos para o alto
E orei como àquele que não vê saída
Ao acolher de forma quase cabível
O fato indesejado
Tanto que violentei meus extintos
E acabei por expandir meus poros
Arranhando a alma e ferindo a pele
Por isso logo veio o choro
E depois um silêncio amotinado
Enquanto que o riso encabulado
Partia apressado
Tentando buscar a esperança
Que dispersa, ainda dormia
Longe dali, longe de mim
Portanto, era eu comigo mesmo
E mais ninguém...
Mas porque fui lembrar disso logo agora?
Ainda não sei ao certo
A única certeza que tenho
É que eu deveria ser e permanecer
Infinitamente, apenas um poema
Um poema meio assim, literalmente ingênuo
E inocentemente acomodado
Meio mudo, meio surdo, meio nada, meio tudo
Meio cego, meio esquecido de mim
E não um rio, um insistente e obstinado rio
Que corre e desce sem tino
Em total desatino
A procura do mar

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Galera, este foi o poema mais rápido que fiz em minha vida...pá e bola...rrs
Embora pequenino, as palavras chegaram como uma avalanche...eu gostei..rs
Um abraço na alma, um beijo e dois queijos...para quem passa e para quem não passa também...rs
Valeuuuuuuuuuuuuuuuuuu!!!




A imagem e o poema

E lá adiante
Ainda havia
O imprevisível previsível
Da janela ainda aberta
Portanto
Bastariam alguns pequenos passos
Mas estática
Ela apenas observa em silêncio
Intacta e intangível
Sem saber por que não ir
Sem saber por que ficar
Apenas segue
Chorando, sorrindo, brincando
E deixando com jeito
No modo infinito
O tempo passar

domingo, 3 de janeiro de 2010

Incandescência


Galera, o primeiro poema-canção de 2010 ganhou vida, até que gostei, não é que com a melodia ele ficou mais bonito...rsrs
Esse detalhe é que admiro nas canções, muita das vezes uma letra nem é aquilo tudo, mas quando entra o som...nossa! Muda tudo, transforma realmente...

Um abraço na alma, um beijo e dois queijos para começar 2010 de forma diferente...

E que as chuvas se acalmem!


Incandescência

Essa ardência que me corta
Atraca bem na minha aorta
Quando quer me embarcar

Traz nas entranhas beladona
E um tanto de testosterona
Para então me atormentar

Ela nasceu da alquimia
Em mim espalha a ventania
Que eu não quero alforriar

Essa lua ainda crescente
Além de cheia, incandescente
Quando quer me encantar

Bem lá do alto me acena
Em outras tantas só encena
No horizonte se entregar

Ela nasceu á luz do dia
Em mim reflete a poesia
Que eu jamais vou terminar

Elcio Tuiribepi
Edu Toribe