sábado, 27 de novembro de 2010

Incensos de pele

Desculpa gente, ando em falta, meio enrolado pra variar...rs...mas aos poucos chego no blog de cada um e vou colocando a casa em ordem...retribuindo o coments de cada um...valeuuuu
Um abraço na alma...pra não perder o costume, mais uma parceria...valeu maninho...



Incensos de pele

Ainda encantados, riem meus lábios
beijam teu corpo, toque indelével
vibra minh’alma, suga os desejos
da dor o fruto, ardente mel
seios e bocas, doam farturas
grutas tão loucas, guardam ternuras
incensos de pele, folha molhada
cálidas seivas e a tez suada
brotam anseios nos poros
vertem encantos dos olhos
viços da alma, o fim do pranto
riso é latente, adeus tristeza
verde nos prende, incandescentes
clorofiladas, as minhas mãos
colhem febris, tramam gentis
texturas, acordes, ternuras
genturas, folhas e tremuras
no entardecer perfumado
das manhãs primaveris

Edu Toribe
Elcio Tuiribepi

sábado, 20 de novembro de 2010

Um poema-canção sobre as genturas


Um poema-canção sobre as genturas

Descobri em tuas querências
Uma intensa busca pela vida
Um desalento e as esperanças
A força assim tão desmedida
E ainda um sorriso de criança
Lampejos de um sonho bom
Uma coragem que não cansa
Nem teme a própria emoção
Por se doar partilha a dança
Compartilhando essa canção
Que nos aquece corpo e alma
Feito um vulcão no coração

Assim nasceu o encantamento
De tanto ardor tantas ternuras
Eu alcancei teus sentimentos
Ao embarcar em sua gentura
Eu degustei os teus desejos
Na suculência dos teus seios
Depois te afaguei com beijos
Umedecendo os teus anseios
Eu passeei por seus contornos
E ao explorar suas fronteiras
Os teus gemidos me guiaram
Tornando séria a brincadeira

Elcio Tuiribepi
Edu Toribe

Um abraço na alma de todos, obrigado aos que passam por aqui
Esta é mais um parceria com o mano Edu...valeu gente...sorriso valente
Bom fim de semana pra todo mundo...beijo

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Poema sobre imagem...


Recebi por e-mail algumas imagens surreais enviadas pela amiga Rosani do blog Fragmentos de Uma Alma Perfumada, gostei tanto que algumas delas transformaram-se em poemas.

Obrigado amiga...um abração na alma de todos...

Valeu gente...um putaquilamerda poético pra todo mundo...rs


Um olhar cúmplice 

Existe em meus olhos
Uma linguagem muda
Conseqüentemente sensorial
É um dialeto em extinção
Um olhar atento e preocupado
E de largo alcance emocional
Já que devido a sua empatia
Ternamente cognitiva
Absorve com suas  percepções
A nudez da alma tua
Talvez por isso eu consiga ler
A intimidade dos seus olhos
E assim irrigar os sentimentos
Com o verter das suas próprias lágrimas
Que descem serenas sobre seu rosto
Amenizando dores, tristezas e ventanias
Compartilhando flores, sorrisos e alegrias
Numa indescritível e gratificante
Experiência quase quântica
Essa que mesmo ainda adolescente
Instalou-se clarividente
Na e-vidência poética
Da minh’alma

Elcio Tuiribepi

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

COLHEITA



Hoje era dia de perder um livro de acordo com a proposta da amiga Isadora do blog Tantos Caminhos.
Eu pra variar esqueci...rs, mas amanhã vou perder esse livro no ônibus ok...rsrs...
E pode deixar que dentro do livro vou deixar um bilhete dizendo que o livro fora deixado de propósito afim de que o beneficiado possa fazer uma boa leitura. E no bilhete ainda vou pedir que o livro seja passado adiante após a leitura!
Valeu Isadora...antes tarde do que nunca...rsrs





Mais uma parceria com o mano Edu...
Te cuida aí caboclo...se precisar...to por aqui...um beijo putaquilamerda pra você...valeu...
Valeu galera...um abraço na alma...
Beijo

COLHEITA

Extasiados riem meus lábios
acendem com beijos nosso entardecer a sós 
desvendam segredos na fruta e na flor
pequenos remansos de amor
sonhos que espreitam em grãos de ternura
incenso de folhas na pele molhada / cálida...

E brotam canteiros no viço da alma
o verde nos prende e o medo se perde em nós
tristeza se cala, uma fome silente
que faz germinar a semente
do instante encantado que arde em minhas mãos
quando me perco colhendo anseios / em teus seios

Elcio Tuiribepi
Edu Toribe




quarta-feira, 3 de novembro de 2010

UM BEIJO EM PRETO E BRANCO OU BRANCO E PRETO OU PRETO E BRANCO...................





UM BEIJO EM PRETO E BRANCO OU BRANCO E PRETO OU PRETO E BRANCO...................
(Para Vitória e Matheus)

Era uma tarde como outra qualquer, mas de repente escutei um sorriso sorrindo pra vida, assim, sem motivo aparente...
Era um sorrindo lindo, inocente, espontâneo e travesso, desses que só mesmo uma criança pode nos oferecer.
E Vitória nos ofereceu esse sorriso trajando um vestido branco, todo enfeitado com detalhe rosa, tão lindo e tão simples quanto Vitória, que ainda trazia nos cabelos uma presilha branca e nos pés uma sandália rasteira que a deixava ainda mais à vontade.
Na bunda, ela tinha um foguinho de dar inveja, de causar espanto em qualquer adulto que porventura tenha apagado de sua memória o significado desse período mágico em nossas vidas, chamado infância.
E foi assim, angelicalmente sapeca, que Vitória rapidamente sentou-se ao lado de Matheus: menino comportado, trajando roupa de griffe, tênis ultima moda e ainda com seus cabelos brilhantes de tanto gel, um luxo...
Com olhares tímidos, Matheus apenas observava Vitória, que mesmo sem perceber, seguia compartilhando sua contagiante alegria com todos que estavam a sua volta.
No entanto, não demorou muito para que Vitória, visivelmente encantada, pegasse em sua mão para que brincassem e corressem juntos pelo salão da agência.
E foi nesse instante, que meu olhar atento os acompanhou, fazendo brotar no leito da minh’alma um sorriso terno, desses que observam, absorvendo de forma generosa e porque não dizer abrangente, toda essa linda inocência.
Pena que esse instante não durou muito, pois o tempo apressado corria deixando em meus olhos adultos aquelas imagens infantis.
Bom de observar também é que Dona Janice, super empolgada com a desenvoltura do neto, quase teve uma câimbra em seus lábios por tanto sorrir de alegria diante a felicidade que os dois exalavam.
Porém...já havia passado da hora de ir embora.
Dona Janice os chamou e pediu que se despedissem...
E foi assim que Matheus a pedido de sua avó preparou-se para abraçar Vitória, porém, sem pestanejar, a sapequinha já estava em seus braços envolvendo-o num abraço lúdico e mágico, mas também estabanado, tão estabanado que eles quase caíram devido ao entusiasmo de Vitória.
No entanto, o melhor e mais bonito ainda estava por vir quando Dona Janice pediu aos dois que se beijassem, formalizando a despedida.
Era para ser um beijo singelo, fraterno, mas...
Bom...acho que vocês podem imaginar a cena...foi um beijo longo, amassado, entusiasmado, eu diria até que apaixonado, mas, logicamente que sem qualquer maldade, embora acalorado de tão demasiadamente sonhado, tanto que se tornou inocentado justamente por ser um beijo sem preconceitos, sem tesão, sem segundas ou terceiras intenções. Foi um beijo puro, inigualável, docemente inocente.
Foi na verdade um beijo “PUTAQUILAMERDA”...ingenuamente ingênuo...um beijo pra ficar na memória...



Bem...quem ainda não conhece a expressão “putaquilamerda” veja o filme :   "O Contador de Histórias”...acreditem...vale a pena...é realmente uma película “putaquilamerda” de tão bonita que é a história...rs

Um abraço e um beijo “PUTAQUILAMERDA” de amizade, em todos os amigos que passam por aqui

Valeuuuuuuuuu galeraaaaaaaaaa....