quinta-feira, 7 de abril de 2011

A POSSUÍDA

Oi pessoal, não gosto muito de postar textos grandes porque imagino a correria de cada um...e que o tempo na net é pá e bola...mas...rs...lá vai, quem tiver tempo pra ler...é um conto voltado para o humor
Foi baseado em fatos QUASE que reais...rs


A POSSUÍDA

Desde cedo o comportamento de Anabel deixava a desejar. Parecia ansiosa, aflita ,e sem paciência com os convidados. Era dia de festa, confraternização entre amigos em sua nova casa. No entanto, Anabel começou a tratar com descaso as esposas dos amigos de seu amado companheiro: “O Tiãozinhozinho” (Anabel o chamava dessa maneira).
Não demorou muito e lá estava a anfitriã esbravejando: “Quem roubou a calcinha vermelha que estava pendurada em meu varal? Eu quero saber quem foi, e é agora... ela rosnava...
Todos espantados com sua atitude começaram mecanicamente a procurar pela tal calcinha para que o clima da festa não se tornasse um pesadelo. Alguns olhavam no banheiro, outros até mesmo dentro das panelas da cozinha, mas a procura foi em vão.
Anabel de tão irritada exigia que as mulheres tirassem suas roupas, enquanto que seu esposo envergonhado se desmanchava em desculpas. Pobre coitado tentou de tudo para acalmá-la, mas de nada adiantou, ainda mais ensandecida, Anabel ameaçou expulsar a todos e estipulou um prazo de cinco minutos para que a calcinha fosse encontrada.
A essa altura as pessoas cochichavam incrédulas e deixavam escapar um sorriso maldoso diante aquela inédita situação, mas Anabel, aparentemente em estado de transe, pois parecia uma entidade maligna, começou a jogar copos nos convidados e a quebrar os pratos na parede vociferando que era MARIA PADILHA.
De sua boca eram despejados os mais pesados palavrões. Ela salivava e cuspia no chão, puxava os cabelos e arranhava seu próprio rosto. Era uma cena dantesca, inimaginável em todos os sentidos. A situação estava definitivamente incontrolável.
Foi nesse instante que Cadinho, um amigo antigo da família aproveitou sua distração, pulou a janela e depois entrou pelos fundos, a segurou pelos braços e a empurrou para fora da sala em direção a piscina.
Aos trancos e barrancos os dois caíram n’água. MARIA Anabel PADILHA vociferava maldições direcionadas a Cadinho que nesse instante a dominava com facilidade.
Nosso herói não titubeou, apoiou as duas mãos em sua cabeça e lhe desferiu o primeiro caldo. Pluffftt...
Ficou claro que Anabel não sabia nadar, assim como a nossa tinhosa MARIA PADILHA.
Então, após puxar a cabeça de Maria ou Anabel, já nem sei... Cadinho perguntou com voz firme?
Quem está aí? Quem é você?
Com a voz grossa, rouca e parecendo endemoniada, ela respondeu:
MARIA PADILHAAAAAAAAAAA...
Cadinho ciente do que estava fazendo, aplicou-lhe outro belo caldo, dessa vez um pouco mais demorado e perguntou novamente...
Quem esta aí? Quem é você?
Já se debatendo e com cara de assustada, respondeu com voz ainda grossa e super emputecida:
MARIA PADILHAAA... SEU FILHO DA PUTA...cof...cof..aaaahhhh...cof...
Bom, acho que vocês já podem imaginar o que Cadinho fez não é mesmo...
Após uns dois minutos Cadinho a puxa pelos cabelos e sem que pergunte, ELA... “a tinhosa” responde meio que confusa:
MARIA.. cof...cof...PADI...cof...mas não consegue terminar. Cadinho carinhosamente afunda sua cabeça e a mantém submersa por mais ou menos três minutos...
Ao levanta, MARIA que já nem era MARIA e tampouco PADILHA, respondeu com a voz fina, amedrontada e toda trêmula como um cordeirinho assustado...isso antes mesmo de Cadinho tentar perguntar...Quem está ai...quem é você?
Sou Anabellllllllllllllllll...coff...cofff...e chorou copiosamente como uma criança.
Bom... quanto a tal calcinha vermelha, dizem os mais íntimos que estava no corpo do seu marido...o Sebastiãozinho da Anabel, vulgo, Tião Cabra dos Macho, genro do pai de Santo Cabrunco de Ogum e de Dona Xangô da Conceição, como eram conhecidos seu sogro e sua sogra na rua em que moravam.
Sem pai e criado por sua mãe adotiva, a dona Bastianinha das Dores, Tiãozinho cresceu com muito amor e carinho, mas também com muita firmeza. Mulher de fibra... Bastianinha castigava-o sem dó e sem perdão...sendo que um dos castigos que Tiãzinho mais adorava era ficar preso no quarto junto com seus treze irmãos de criação: João das Surubas, Arlindo Pé de Mesa, Juca Coisa-Ruim, Tonhão Picadura, Bartolomeu Baitolo...entre outros.
Todos filhos do Seu Bené Manjuba de Ferro....o pai de Santo Cabrunco de Ogum, já falecido.
Bom... não podia ser diferente não é mesmo
Deu no que deu...

14 comentários:

  1. Élcio....tô é morrendo de rir!!! kkkkkkkkkkkk...diaxeisso?! Só tu mesmo!!!Só quero dizer que eu n estou com a calcinha vermelha! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.
    abraços e bom dia!

    ResponderExcluir
  2. Eita que você está me saindo um ótimo contista...
    rsrsrsss
    É... vindo de onde veio... Era difícil sair outra coisa não é mesmo?

    Valeu Elcio... Alegrou a minha manhã!rsrsssss

    Um abraço carinhoso

    ResponderExcluir
  3. He he he, muito bom.
    Eu com uma familia dessas nãu usaria nunca uma calcinha vermelha.....usaria uma de ferro.....rsrsrs

    abços

    ResponderExcluir
  4. Elcio,um conto divertido e arrepiante!Gostei demais da forma como o conduziu e o final inesperado!Bjs,

    ResponderExcluir
  5. kkk valeu apena ler rs. saudades verseiro.vim deixar um bjo!

    ResponderExcluir
  6. Amigo, estou rindo, e espantada com a capacidade de arrumar tantos nomes para os personagens, e os tipos de nomes.kkkkkkkkkkkkkkkkk

    Muito bom!!!

    beijo no coração.

    ResponderExcluir
  7. kkkkkkkkkkkk,ficou muito legal!Os nomes dos filhos, esses eu não os conhecia,achei muito criativo,é muito bom,trazer histórias antigas,dando humor e leveza a elas!O "Cadinho" foi uma figura!Amei,a roupagem,ô veia danada!
    um beijo
    Mari

    ResponderExcluir
  8. Hahahaha..ri muito..e engraçado..e nem foi tão extenso, mas a imagem da medo...beijo

    ResponderExcluir
  9. Élcio,que divertida prosa com Maria Anabel Padilha. Veja só a confusão que pode acontecer por causa de uma calcinha rosa. E o final... sim surpreendente! Beijo

    ResponderExcluir
  10. Jajajajajaaaaaaaaaa!!! gracias por estos ratillos de risas que sientan tan bien Un besazo!!!

    ResponderExcluir
  11. Hahahaha...
    Gostei! Sabe que quando você falou em texto extenso pensei que fosse ser maior? Você escreveu tão bem que nem deu pra perceber o tamanho do texto!!!

    Bom final de semana!
    Beijos...

    ResponderExcluir
  12. Elcio
    Eu li correndo e não deu tempo de ler devagar mas vou reler depois

    com carinho MOnica

    ResponderExcluir
  13. Santa imaginação Batman! :)

    Impagável essa história meu amigo!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  14. há que ter cuidado com o que se faz com as calcinhas, quando não acabamos exorcizados
    bjs

    ResponderExcluir

Semeando