sábado, 30 de abril de 2011

REFLEXÕES DE UM PSEUDO POETA




Reflexões de um pseudo poeta

Hoje, acordei as seis e trinta e cinco
Abri os olhos e preparei o coração
Introspectivo, alarguei os meus pulmões
Inspirei o perfume das manhãs
E comecei a divagar sobre a vida
Até que em meus pensamentos
As palavras vieram assim...
Se hoje ainda afogo a razão
Não é sem querer, é que me concedo
Nadar contra a corrente de mãos atadas
E até mesmo de olhos vendados
Não que seja tarefa fácil, ao contrário
Já arranhei a alma e esfolei a pele
Mas aprendi também a caminhar
Mesmo que às vezes distraído
Pelos extensos roseirais da vida
Então se me perco de mim mesmo
Acabo sempre me reencontrando
Pois prefiro a realidade nua e crua
A passear livre pelos meus olhos
Do que a ilusão que arde e cega
Hoje não me iludo e nem me engano
Caminho de mãos dadas com a clareza
Portanto, embora não pareça
Sei mensurar o meu exato valor
Sei que não sou nem mais, nem menos
E que não sou nem bom, nem mau
Apenas tenho em mim
Uma simplicidade inadiada
Talvez quem sabe até mesmo inadequada
E um olhar que vai além das paisagens
Junto a um sentir que esquenta e aquece
Mesmo quando o Sol se esconde
Diante o frio das invernadas
É assim que me vejo como ser humano
Fonte de uma ternura em brasas
Interna e externamente incendiada
E uma coragem quase que imprevista
Feito às que secam a própria lágrima
Não tenho muito mais do que isso
Portanto, nada mais me inocenta
E muito menos me condena
Do que a minha própria avaliação
Apenas reescrevo em minh'alma
O que na verdade eu já sabia
Exatamente por isso não me cego
E muito menos me furto
Dos meus erros e acertos
Quando me olho no espelho da vida
Na verdade é um reencontro 
Que começa com uma sabatina
Com inúmeras e variadas perguntas
Dessas bem sinceras
E até mesmo indelicadas
Mas que talvez não tenham fim
Já que conscientemente
Sem medos ou receios
Eu termine sempre submergindo
Para dentro de mim

Elcio Tuiribepi

21 comentários:

  1. "É que me concedo", que bela expressão, é que me concedo, "nada mais me inocenta. E muito menos me condena", apenas me concedo. Abriu-se a manhã.

    ResponderExcluir
  2. Olá Elcio, é bom num final de semana poder me deliciar com palavras tão inpiradoras como as do seu poema. Muito bonito mesmo!

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Elcio,
    Nste poema você faz a constatação do "ser"....

    abços

    ResponderExcluir
  4. Maravilhosas tuas reflexões,Elcio! abração,lindo domingo,chica

    ResponderExcluir
  5. Uma avaliação sincera é bem duro, mas é bem criativo.
    Uma conversa bem interessante.
    beijos

    ResponderExcluir
  6. E depois desta dissertação poética sobre si próprio, não quer que seja mais admirado e mais inspirador ainda?
    O seu interior imensamente rico e belo, alia-se a uma "simplicidade" deveras cativante!
    E já aprendi a dizer também:
    Um beijo na alma, Élcio
    Abraço
    Manuela

    ResponderExcluir
  7. Elcio,
    Estou visitando com calma os participantes da coletiva sobre as fases da vida e, só agora, descobri que você tem uma família de talento! Já fui visitar o blog da Cacinho.
    Muito profundas as suas reflexões.
    Tenho um filho músico. Se quiser conhecer um pouco do seu trabalho:
    www.viniciuscastro.com.br
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  8. Maravilha de texto!!!

    Tenha um ótimo domingo!


    Um abraço!

    ResponderExcluir
  9. um poema-pensamento que reflete o flerte da poesia com o dentro-fora da flexão do complexo amplexo diverso no verso do reverso, reflexão...
    saudações,
    l

    ResponderExcluir
  10. Meu querido poeta

    Gostei dessa conversa do poeta com a alma...verso e reverso que todos temos.

    Beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  11. Muitas vezes penso que um poeta é alguém que mais do que falar ou escrever, sabe ouvir. Ouve o coração seu e do outro e fala do que ouve. Ouve o sol e a chuva e fala do que eles lhe contam. Ouve a beleza nas árvores de inverno e descreve a desolação que a natureza lhe acompanha... ouve os silêncios e explica em palavras o que aos outros não seria mais do que uma incógnita...

    ResponderExcluir
  12. Élcio, às vezes eu me pergunto quem eu sou, seria eu essas linhas que escrevo em minhas crônicas, ou são elas, as croônicas, que dão sentidos ao meu sentir. E essas indagações que nos faz racional e emocional, e na soma tentarmos nos descobrir. Dizer do teu poema só me cabe um adjetivo, sublime. Deixo o meu afeto e um bom domingo.

    ResponderExcluir
  13. "E um olhar que vai além das paisagens
    Junto a um sentir que esquenta e aquece
    Mesmo quando o Sol se esconde
    Diante o frio das invernadas"

    E assim devemos seguir sempre, meu amigo!
    Lindo poema. Mais um para coleção dos preferidos.
    Saudades..

    Abraço na alma!

    ResponderExcluir
  14. Uma simplicidade inadiada... inadequada.

    Li seu poema inteiro e ele também é uma verdade para mim.

    Beijos, Elcio.
    Sua reflexão deixou meu domingo mais humano.

    ResponderExcluir
  15. Elcio,
    passando aqui nesse primeiro dia da semana para agradecer a companhia aqui no Espelhando e seu empenho em posts tão errebatadores de encantamento atraves
    das letras em versos que particularmente como poeta, amo.
    Peço desculpas por não estarem cumprindo comigo o compromisso de visitarem todos os posts,
    afinal esse foi um dos combinados quando convidei cada um para postar.
    Portanto meus comentários é certo que la, nunca faltaram nem faltarão.
    Linda semana e
    Bjins entre sonhos e delírios
    e aceite meus sinceros agradecimentos

    ResponderExcluir
  16. Ah,menino!
    Como é bom,acordar disposto,olhando a alma, diante do espelho,e tranquilamente dizer:Agora,estou definitivamente pronto,farei uma faxina em você,irei deixa-la reluzente,vou conceder-lhe a libertação de coisas obsoletas,te deixarei tão leve,que não permitirei que respire outro oxigênio que não seja o amor,prometo-lhe alma,jogarei esse lixo,retirado de tí na lata do esquecimento absoluto,por que não sou menor,ou igual,sou "Maior" no caminho que vida me apresenta!
    Boas energias neste mês de Maio tão especial!
    bjs,
    Mari

    ResponderExcluir
  17. Boa noite Elcio...
    Interessante o seu desabafo. Acho muito importante termos esse momento em que não só nos vemos mais somos capazes de nos enxergar tal como somos em essência. Em erros, acertos, ilusões e desilusões. Pois nada como a vivência para nos trazer a experiência e o amadurecimento.
    Amanhã ou depois se os passos nos guiam a novas e importantes vivências não podemos dizer que o que passou se tornou 'lixo'. Pois foi exatamente isso que nos tornou o que somos hoje, e quem sabe nos levará a tantos outros caminhos e novas experiências!
    Sei que você entende e compreende as minhas palavras, pois compartilhamos uma grande amizade e isso para mim não tem preço!
    Desejo para você e a sua família, muita paz, saúde e amor verdadeiro!
    Que a sua semana seja rica em dádivas!
    Um abraço carinhoso

    ResponderExcluir
  18. Olhar para dentro.... para dentro da alma.
    As questões se tornam infinitas assim, nao é?

    Beijoss

    ResponderExcluir
  19. Élcio! Reflexões de um verdadeiro poeta. Falas de ti, de teu modo de ser- de forma tão linda. Queria poder também. A simplicidade sempre traz consigo a beleza. Sim, és pessoa bela e cheia de amores para os outros. Tu estás um pouco em cada poesia, em cada verso teu. Maravilhoso conhecer-te um pouco mais com estas páginas abertas. Beijo

    Aquelas palavras de tua vó, Élcio, também não as conheço. Mas eu ri delas. Abraço.

    ResponderExcluir
  20. "A vida é o filme que você vê através dos seus próprios olhos. Faz pouca diferença o que está acontecendo. É como você percebe que conta."
    (Denis Waitley)

    Abraços

    ResponderExcluir
  21. Primeiro, mesmo que respeite os sentimentos do poeta-homem-ser humano, e a livre criação, não concordo com o pseudo. És poeta!

    Depois a imagem e o contéudo do seu poema-reflexão estão numa sintonia espantosa. Parece que lhe vejo escrevendo assim, submerso em si, em emoção, em razão, com consciência de cada passo. Vivendo e sendo assim.

    Vários trechos me chamam a atenção e poderiam ser ressaltados, no entanto ressalto este:
    "É assim que me vejo como ser humano
    Fonte de uma ternura em brasas
    Interna e externamente incendiada"

    Tanto para ser lido neste seu poema-vida, e para ser dito, mas paro por aqui.

    um abraço.

    ResponderExcluir

Semeando