sábado, 14 de maio de 2011

BLOGAGEM COLETIVA FASES DA VIDA - TERCEIRA FASE - ADOLESCÊNCIA




Olá pessoal, na fase anterior (Infância )comentei sobre minha ultima briga com meu irmão...e é verdade, foi realmente a ultima, daquele momento em diante um milagre aconteceu, passamos a conviver em uma quase plena harmonia...rsrs
Brincadeira...na verdade cada um foi seguindo seu caminho, fazendo novos amigos, abrindo os horizontes e se interessando por outras coisas...

ESPORTES

Nesta época eu me interessava muito por esportes, gostava de volei, futebol, handebol...enfim...praticava tudo que podia. Tínhamos um time de vôlei e um outro de futebol de salão que saia pelas cidades vizinhas disputando jogos. Detalhe...a quadra era improvisada no quintal de uma de nossas professoras...a Dona Aparecida...pessoa do bem, gostava da gente por demais, só pediu que não cortássemos a arvore que havia no meio do quintal, de vez em quando socávamos a cara  no tronco da árvore...rs...na época do ginásio o colégio nem quadra tinha...rs


 POESIA, MÚSICA E ARTESANATO

A poesia começou a aflorar...aos 14 anos fiz minha primeira poesia, um dia depois que minha avó materna faleceu, mas não dei continuidade, o artesanato falava mais forte neste período da minha vida. Foi quando comecei a fazer entalhes em madeira...
Arte que me foi ensinada pelo meu irmão Cacinho.
A música já presente em minha vida, se fazia ainda mais constante, já que meu outro irmão...o Edu...parceiro hoje de poemas e canções, participava intensamente dos Festivais Estudantis. Tempo bom...bom demais...

 JORNAL

Eu e alguns amigos fundamos no colégio o Jornal “ O Furúnculo”, nome escolhido por se tratar de uma doença de pele que muito incomoda, nossa intenção era mesmo incomodar...coisas da idade...

Conseguimos publicar três edições até sermos boicotados pela coordenação do colégio.

Na primeira edição fomos todos de terno e gravata e o jornal foi distribuído gratuitamente...foi um sucesso...rs

Na segunda edição, logo na segunda página havia um conto do meu irmão Edu, por isso nos vestimos com roupas do exército, já que o texto narrava a luta dos guerrilheiros contra as forças invasoras dos EUA em El Salvador...eu fui escolhido por livre e espontânea pressão para representar um dos guerrilheiros. Putaquilamerdaaaaaa....rsrs

Combinamos que eu entraria correndo pelos corredores do colégio, enquanto meus amigos...os  “soldados” viriam correndo atrás de mim...com armas em punho, isso foi feito até o momento em que me empolguei, pulei a janela de uma das salas e dei de cara com um professor...eu estava com a roupa rasgada e uma faixa na cabeça como se eu estivesse ferido...resumindo...quando olhei pela janela, meus ex amigos...rs...riram e não vieram atrás de mim...fiquei na berlinda...foi um micão...rs...eles foram uns filhos das......mãe deles...rs

Antes de terminarmos a terceira edição, nos acusaram de sumir com mais de cem diários da sala dos professores, isso após o diretor, que no fundo gostava muito da gente, ter pedido ajuda aos integrantes do Jornal para descobrir quem havia feito este despropósito...no fundo ele sabia que éramos os responsáveis e prometeu não haver represálias, pois afirmou não querer saber nada sobre os autores do furto...super gente boa o Diretor...falecido...amante das artes e das coisas lúdicas.
Entregamos os cem diários dois meses depois. Fomos ao seu apartamento, tocamos a campainha e deixamos um pacote com um bilhete feito com recortes de revista em sua porta escrito assim:
CÃO - COMANDO DE AÇÃO ORGANIZADA...rrss...quase fomos expulsos, mesmo sem provas...por pura implicância da Dona Amélia, uma das coordenadoras, nunca mais esqueci o nome dela...rs


RÁDIO FUNDO DE QUINTAL

Boicotados e impedidos de continuar com “O Furúnculo” inventamos uma Rádio fundo de quintal que nos empolgava. Numa das programações da Rádio eu dava voz ao “Vidente Cuia Libre” e morria de rir sempre que improvisava uma consulta ao vivo, eu opinava sobre qualquer problema: casos amorosos, dividas, encostos...rsrs...e tudo era registrado naqueles gravadores antigos, tinha sonoplastia e tudo o mais, falávamos sobre esporte, música, namoro, política e outras notícias da época.

  
PRIMEIRA NAMORADA

Minha primeira namorada mais séria, era um ano mais madura do que eu..rs...adorava fumar e tinha um estoque enorme de chicletes em sua bolsa. Logo depois que terminamos, descobri que ela estava apaixonada pelo filho do prof. de Educação Física...rapaz bonitão e bastante cobiçado pelas meninas...era mais velho e já fazia faculdade, mas de vez em quando acompanhava seu pai ao colégio. Estava explicada a coceira que inexplicavelmente apareceu na minha testa...rsrs


AMIZADES

Escutar Milton Nascimento, Chico Buarque, Secos e Molhados, Ednardo, Egberto Gismont, Pink Floyd, Supertramp, Kraftwerk e outros era um de nossos principais programas...
Rolava a primeira cervejinha...um incenso, enquanto que alguns usavam drogas.
Certa vez aprontamos com um amigo que era simpatizante da mardita
Fomos para Ipiabas, um distrito aqui de Barra, roça mesmo...muito açude, muita cachoeira...muito verde...enfim


Ficávamos na casa de um amigo, casa que ainda estava em construção
Até que um dia, este amigo foi tomar banho (não vou colocar o nome dele porque o mesmo ainda faz parte do nosso rol de amigos) e enrolamos num papelote não a erva da maconha, mas sim as ervas do inofensivo chá “Mate Leão”...não é que nosso amigo começou a ver coisas e delirou...vai vendo ai...rsrs


MORTE

Numa dessas nossas idas a Ipiabas, quase morremos afogados, um dos nossos amigos que só sabia nadar cachorrinho cismou de entrar no açude contra a nossa vontade
Combinou de ir nadando e se apoiar no ombro de meu outro amigo...detalhe...só eu e Marcid sabíamos nadar...Ivan só sabia nadar para o fundo...ia sempre afundando...rsrs...e Wagner era campeão olímpico de nado cachorrinho...rs
Resultado: Wagner não apenas apoiou-se nos ombros do Marcid, mas agarrou-o pelo pescoço até que os dois afundaram. Nadei até eles, afundei e empurrei o Wagner pela bunda, pois ele era gordinho e temi que fizesse o mesmo comigo. Sorte que o Ivan rapidamente arrumou um bambu e conseguiu puxá-lo, pois o Marcid  havia bebido muita água e não conseguiu mais ajudar...fomos em silêncio pelo caminho e chegando na casa, escutamos a música Imã do Ednardo...deitamos na grama e ninguém falava nada...foi impressionante...essa música ficou para sempre marcada em nossas vidas, sempre que nos reunimos lembramos desse episódio...


 Ahhh..tantas coisas para lembrar, que acho melhor parar..o texto ficou enorme...rsrs

Valeu Rosélia...mais uma vez agradeço a oportunidade de voltar no tempo e relembrar tantos momentos inesquecíveis...obrigado

Um abraço na alma de todos

Beijo


                                                                                                                                                    
                                                                                                                                                       








36 comentários:

  1. Nossa, Elcio, você realmente divagou pela adolescência. Sempre com seu jeito espirituoso de lembrar os episódios engraçados e até perigosos da adolescência.
    Minha participação também enveredou pelo caminho das artes.
    Furúnculo e cão são nomes muito originais, típicos da rebeldia dessa fase. Genial!
    Adorava os festivais da canção. Acompanhava com as letras que saíam nos jornais, sabia tudo de cor, torcia. Era muito bom!
    Bom domingo!

    ResponderExcluir
  2. Meu Amigo,Tuí!
    Viver,é exatamente isso,fazer a diferença, escrevendo nossas histórias,deixando um legado positivo,aos que vivem ao nosso lado.(...)Viver,é não ter a vergonha de ser feliz!
    Parabéns,ficou D+ !!!
    Obrigada, por compartilhar, mais essa história...Também,postei.
    Um abraço apertado,cheio de boas energias!
    beijão
    Mari

    ResponderExcluir
  3. Elcio, sabe de uma coisa, naquele tempo saía tanto furunculo e eu morria de vontandade que saísse em mim. Muito legal essa do furúnculo e toda a sua adolescência. Você me tira muitos risos. Adorei! Meu abraço!

    ResponderExcluir
  4. Muito bom, cara.
    Elcio, esta adolescencia criativa, de experimentações, sempre com traços de ironia e bom humor, é a forja que fundiu o individuo que es hoje.
    Feliz quem adolesceu assim. Eu adolesci, e como! Gosto das lembranças deste tempo e você as tornou vivas em minha memoria.
    Te agradeço por isso.

    um grande abraço.

    ResponderExcluir
  5. Mais uma vez nos encontramos.
    E como não poderia deixar de ser, amei tua participação.
    O jornal teve um nome bem sugestivo.
    bjs e um bom domingo

    ResponderExcluir
  6. Caro amigo.

    As lembranças da vida,
    nos inundam de vida.
    São histórias de tempos
    mágicos,
    onde para nós
    não havia o impossível.

    Que as estrelas
    sempre brilhem em teu olhar.

    ResponderExcluir
  7. Muito legal ver um pouco(bastante até) da tua adolescência.
    Uma linda fase...
    Legal de ler! abraços,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  8. Élcio,
    me diverto sempre com suas postagens da BCFV :)
    Mais uma vez senti a vibração nas palavras e o entusiasmo na extensão do post. Muito energizante isso. Gosto dos seus textos, resgatados lá do fundo do coração e da memória.
    Achei importante vc referir a toxicodependencia. Também tive amigos viciados em droga. Inclusive meu 1ºnamorado acabou se perdendo nessa vida de miséria humana. Sofri muito com isso, porque durante os 3 anos de namoro tentei a todo o custo afastá-lo do vicio. Na altura ainda era só coisa leve... anos mais tarde se tornou toxicodependente em último grau :(
    Que pena, era um menino tão lindo e tão bom como ser humano :(
    E pronto, terminada esta fase, aguardamos pela próxima, sempre com muita curiosidade por saber mais sobre nossos amigos virtuais.
    Beijos e bom domingo,
    Rute

    ResponderExcluir
  9. Olá, amigo Élcio
    "Na ternura de um amanhecer,
    Eu observei a beleza do orvalho".
    (Sandra)

    Vc soube relatar tudo o que a fase adolescente gosta e até o perigo que reina nesta etapa da vida...
    Também falei do valor do esporte para mim...
    A questão da arte de um modo em geral só pude exprimi-la na melhor idade,acredita???
    Muita coisa ficou "encubada" em mim...

    "...é o molhar do orvalho quem vê meus passos...
    é minha vida me chamando pra viver"
    ( Fractais de Calu)

    Tenha um excelente Domingo de paz e alegria.
    Bj com gosto de adolescência (o lado bom dela).

    ResponderExcluir
  10. Elcio,vc se divertiu bem na adolescencia!Aprontou bem,mas tudo aquela molequice gostosa da fase!Adorei seu gosto musical!Lindo esse video!Bjs e parabéns pela ótima participação!

    ResponderExcluir
  11. Como é bom recordar. Na correria da vida acabamos passando por cima de tantas coisas e esquecendo-nos daquilo q faz parte do q somos hoje. Muito legal sua história! Muita paz!

    ResponderExcluir
  12. Ficou enorme ,porém leve...Ri pra valer!!!Fico lembrando das minhas e das peripécias dos meus filhos!!Muito bom mesmo,e fico imaginando a cena fúnebre pós afogamento e rindo!!!Bjs no coração!!

    ResponderExcluir
  13. Minha participação está no blog Rumos Libertadores: http://rumoslibertadores.blogspot.com
    Comente e concorra a um livro pela loteria federal ,até o dia 28/05

    ResponderExcluir
  14. Que bela adolescencia. Adorei cada coisa que li.
    A minha foi muito sem graça parea ser repassada mas vou contar uma hora destas
    com carinho Monica

    ResponderExcluir
  15. Nossa! Quantas histórias, aventuras. Que adolescência, hein!

    Passa lá no meu cantinho porque tem sorteio!!!

    Bj e ótima semana.

    ResponderExcluir
  16. Tambem participo da blogagem coletiva:
    http://mariazinhap.blogspot.com/2011/05/blogagem-coletiva-fases-da-vida.html
    Parabens pela sua postagem!
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Adorei seu relato, quantas lembranças maravilhosas dessa época, como é bom relembrar.Bela participação Elcio. Lindo o clip. Bjs.

    ResponderExcluir
  18. Nossa!!Acho que vc poderia escrever mais um pouquinho, pois certamente tem mais coisa neste mato aí.
    tem coisas que não dá para esquecer, como este caso do açude,é sem palavras.Isso queme refiro sobre adolescentes em não terem medo de nada, se atiram e vão, não querem saber se vai ter ou não consequências...
    Amei sua história.
    Paz e bem

    ResponderExcluir
  19. Elcio,

    Eu sabia que iria encontrar um post muito legal aqui. Ri muito na segunda fase com seu depoimento.
    Agora, você narra de uma forma tão bonita, mesmo aquele momento difícil do afogamento de seu amigo.
    Que bom se os meninos adolescentes de hoje, só tivessem a ideia de formar um jornal com esse nome..kkkkk Infelizmente, eles estão vivendo numa época muito complicada.
    Amei sua participação. Abração.
    Nos encontramos na outra fase.

    ResponderExcluir
  20. Olá Elcio, adorei ler sua postagem tão cheia de emoção e vibração, até pude imaginar algumas cenas...rs!

    Parabéns pela linda postagem!
    Bjuss!!!

    ResponderExcluir
  21. Vibrantes são suas palavras. Cheias de vida, como todo adolescente que se arrisca, e vive intensamente.

    Abraços,

    Elaine

    ResponderExcluir
  22. Que efervescência! Me identifiquei com algumas partes da sua adolescência, principalmente a agitação cultural e com certas amizades. Na verdade, sempre fui amiga de todos e por isso achava graça de um certo folclore que imperava naquela cidadezinha pequenina no interior de Minas Gerais - a juventude era dividida entre os maconheiros e os caretas - Os caretas não tão radicais como hoje e os maconheiros não tão à margem da lei - era tempo de inocência, de se valorizar atitudes de caráter e respeito. Mas enfim, vale o que carregamos desta adolescência vida afora! ;) Beijus,

    ResponderExcluir
  23. Oi Elcio,

    Mas não é que começo a ler e quero mais?
    noutro post...já estava a dormir...kkkk
    Agora vejo donde vem essa espontaneidade, essa alegria genuína, essa forma única de comunicar!
    Ah, lindas histórias com sabor a saudade e inquietações adolescentes!
    Cada "morceau" dava outra história!
    Um abraço
    Beijo na alma

    ResponderExcluir
  24. Oi Elcio,
    Bom ler hitorias divertidas que cheiram a liberdade e juventude.
    Mas , continuo a deixar bem expresso aqui, que você tem uma forma de comunicar , diria que única, e já vi, em parte porquê!
    E que mais fez? Só isso?
    Rss!
    É que quando se lê...noutro post já estava a dormir! kkkk
    Giro mesmo Elcio, como por aqui se diz.
    Abraço
    ..

    ResponderExcluir
  25. Ahhhhhh!
    Desculpe, mas como um comentario foi para o teto....vi que desceu outra vez!!! Rsss!
    E repeti! Pois, se era isso que queria dizer!
    Mais um abraço!

    ResponderExcluir
  26. Fala primo, andei um tempo sem internet cara , só agora pude postar algumas coisas !
    Tô cheio de novos projetos , abraços

    ResponderExcluir
  27. Elcio

    Quanta coisa gostosa de ouvir. Uma aolescância cheia de emoções e como é bom estarmos aqui recordando esses momentos.

    Essa do mate Leão foi demais!!!

    Beijos e uma boa semana

    ResponderExcluir
  28. Élcio que delícia de adolescência! Quantas atividades, pena que não te conheci para jogarmos handbool juntos, fui uma excelente jogadora desse esporte. Através do seu relato relembramos nossa adolescência. Prazer em te conhecer. Um abraço grande.

    ResponderExcluir
  29. Élcio adorei o seu blog. Estou te seguindo. Prazer em te conhecer.

    ResponderExcluir
  30. Gostei muito de fazer essa viagem pelo tempo em sua companhia e de seus amigos.
    beijos

    ResponderExcluir
  31. Oiee!!
    parabéns por sua participação, muito gostoso de ler, qdo for pra casa mais tarde vou procurar sua blogagem coletiva anterior.
    Sacanagem disperdiçar chá mate com o maluco,rsrsrs..
    Gostei da forma espirituosa que escreve.
    Boa semana pra ti.
    Bjs

    ResponderExcluir
  32. Olá Elcio
    Do lado de cá do Atlântico, quero agradecer-lhe por me ter deixado de bom humor, a estas horas tardias (2h da manhã)! :) Só agora estou conseguindo ler algumas postagens da colectiva, e a sua é sem dúvida a mais divertida! Que adolescência cheia de aventuras, e a sua forma de as relatar é um espectáculo. Cada episódio mais engraçado que o outro, essa do CÃO é demais, e o mate leão, e por aí fora. Muito bom, fez-me soltar gargalhadas! :)
    bjs

    ResponderExcluir
  33. Isso eu diria que é viver intensamente! Maravilhei-me com seus relatos.

    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  34. Li e reli... Muito bom... Nostalgico até! Vou te dizer uma coisa... No armário lá de casa tem uma caixa pela metade de Mate Leão... adoro com gelo; mas sem limão... E os gostos, os cheiros, as etapas da vida vão avançando... e nos carregando junto!
    abraço amigo!

    ResponderExcluir
  35. Pelo jeito aproveitou bastante, as coisas mais perigosas que fiz durante a juventude foram:

    Eu estava apoiada num galho de árvore, quando o mesmo arrebentou, aí fique de cabeça para baixo devido ao joelho ter fechado envolta do pedaço que não havia quebrado...

    Outra vez, foi quando robei fruta num sitio vizinho ao condominio que eu moro, o rapaz que tomava conta do mesmo atirou com uma espingarda de sal.

    Acho que de perigoso só tem uma coisa, ao andar no leito do Rio afundei no buraco fundo, mas consegui nada de volta para a parte mais rasa, o problema foi que os meus primos mais novos vinham atrás de mim e em vez de nadarem, simplesmente se agarram e começaram a afundar, a sorte que o meu tio foi e salvou os dois...

    Fique com Deus, menino Elcio Elcio Tuiribepi.
    Um abraço.

    ResponderExcluir

Semeando