domingo, 28 de agosto de 2011

Diante a insensatez das partituras




Diante a insensatez das partituras
(Enquanto o tempo se vai)

Vibram intensamente
Todas as notas do meu flautim
Porque em mim naturalmente
Não há contrapontos, fictas e afins
Apenas a intrínseca consonância
Que alcança o timbre do meu clarim

Hoje há também indiscutivelmente                                                   
Uma sinfonia branda em meu viver comum
E na minha textura, sem motivo especial algum
Uma tocata harmonizada com ternuras
Então só por isso eu não duvido
Que a vida ainda faz sentido
Diante a insensatez das partituras
Por isso piso em paz as folhas mortas
Onde o jovem cravo por querer tão ressentido
Fez vir à tona as mais ocultas tessituras

Hoje dedilho as escalas do meu tempo                                     
E por ser tanto mais vibrato os meus acordes
Rege em mim a mais intensa das sentenças
Pois genuíno é o tom dos meus abraços
Sendo assim permito ao som das melodias
Compor meus próprios passos

Abrigo então a luz que não me sai
Lá onde mora uma canção que não se explica
E um mágico viver que sempre fica
Enquanto o tempo se vai


Elcio Tuiribepi
Edu Toribe


Mais um poema-canção em parceria com o mano Edu...valeuuuu gente...obrigado pela presença...

Um abraço na alma...bjo...boa semana para todos nós...

17 comentários:

  1. Elcio
    Enquanto o tempo se vai eu fico aqui admirando o seu talento espetacular.
    com carinho Monica

    ResponderExcluir
  2. Muito bonito esse poema-canção!
    Fico imaginando as notas fluindo no ar, levando junto delas toda a oculta tessitura que as compõe.
    Parabéns a dupla, que tão bem sabe dar vida as emoções.
    Um abraço carinhoso para ambos

    ResponderExcluir
  3. Musicais poetas, vcs qdo compõem traz as almas de quem os lê uma sinfonia da mais encantada poesia. Abçs nos 2.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns, Élcio e Edu!Vocês formam uma dupla e tanto!Esta poesia/canção está maravilhosa, li até o fim sempre com pena que ela acabasse. Adorei!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Hey, Padim!

    Que saudade!
    Vê se dedilha as escalas do seu tempo mais devagar. Tá parecendo o coelho da Alice! ahahaha
    Linda canção, como sempre! =)

    Muito obrigada por nos alegrar com sua presença em nosso novo blog, ficamos muito felizes!

    Que seu dia seja lindo e que você tenha uma ótima semana!

    Beijo grande!

    San

    Ps: Hoje é aniversário do Mozi, passa por lá! ;)

    ResponderExcluir
  6. lindo! http://mentedosinvalidos.blogspot.com/2011/08/caminho.html

    ResponderExcluir
  7. Quem é vivo sempre aparece - rsrs! E escolhi um dia lindo para aparecer, uma parceria de tirar o folêgo! Quando ouviremos a linda letra na sua melodia? Lindo, lindo!! Sua amiga, Deia.

    ResponderExcluir
  8. Meu amigo

    Saudades de o ler e voltou com uma poema lindo...dedilhado com os dedos da alma.

    Deixo um beijinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  9. Elcio,
    Mais uma bela parceria!
    Grande abraço de urso panda grgrgrgr
    bjo
    Mari

    ResponderExcluir
  10. Bela parceria, Elcio. Belo demais! Bj

    ResponderExcluir
  11. olá... visitando.. explorando encontrei seu blog!
    divulgo o meu.. passe la e da uma olhadinha...
    adorei seu cantinho.. voltarei..
    http://pedagogacliceli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Valeu Mari...um abraço na alma valente...
    Bjo

    ResponderExcluir
  14. Caro Amigo você tem toda razão!
    E quando digo AMIGO é por que é assim que o considero!
    Desejo o mesmo para você!

    ResponderExcluir
  15. Mandaram bem... Assim são os poetas, pegam aqui e ali pedacinhos de vida e transformam em arte 'escrevinhadas'...Adorei, beijos.

    ResponderExcluir
  16. Ei Elcio, obrigado pela visita e pelos votos de sucesso a Cãominhada. Valeu mesmo!
    Ah, pegou as outras dicas de CAD?

    Grande abraço, saúde e muita paz!

    =)

    ResponderExcluir

Semeando