quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Paulo Machado e Eliana Zagui

Eles estão há 40 anos na UTI...A postagem ficou enorme, porém minúscula perto desses dois imensuráveis exemplos de vida...

Paulo Machado e Eliana Zagui são os pacientes mais antigos do maior hospital do País. “Eu ainda quero sair daqui", diz ela




Eliana Zagui tem 37 anos e está internada desde seu primeiro ano de vida.
Ela sorri e diz que o filme mais bonito que já viu na vida foi Dirty Dancing, aquele com o Patrick Swayze, que no Brasil foi chamado de Ritmo Quente.
Quando o longa estreou, em 1987, Eliana Zagui, hoje com 37 de idade, tinha 13 anos e já estava internada em um leito de UTI há 12 anos. Ela devorou cada minuto da sessão de “cinema hospitalar”. De lá para cá, ainda hospitalizada, Eliana já reviu 18 vezes o mesmo filme.
Bem ao seu lado, está internado Paulo Henrique Machado, cinéfilo desde menino, que tem uma queda por animação e já recebeu visitas ilustres em seu leito, como a de Carlos Saldanha, produtor brasileiro que participou de a Era do Gelo.
“Eu ainda vou fazer meu próprio filme, em 3D, com bonecos de massinha, todos deficientes físicos”, conta ele com 43 anos, 42 passados dentro do Hospital das Clínicas de São Paulo.





Paulo Henrique Machado, 43 anos, internado há 42 anos, foi o primeiro paciente da UTI do Hospital das Clínicas
Eliana e Paulo são os pacientes mais antigos do maior complexo hospitalar da América Latina. Estão hospitalizados há quatro décadas, representando as últimas vítimas do surto de paralisia infantil que ocorreu no Brasil no início da década de 70.
São testemunhas vivas de um momento muito difícil da saúde do País e assistiram não apenas à erradicação desta doença em território nacional (graças à vacinação em massa), como o surgimento das primeiras unidades de terapia intensiva (UTI) para pacientes graves que, assim como eles, não podiam voltar para casa.
O vírus da poliomelite tirou os movimentos das pernas de Paulo e também comprometeu a sua capacidade de respirar sozinho. Eliana só consegue movimentar os olhos e a boca e, da mesma forma, para que o ar chegue aos pulmões, precisa da ajuda de um aparelho (pesado e caro).

Descobertas
Na posição horizontal, Eliana e Paulo Henrique descobriram um mundo cheio de possibilidades. Ele lembra de ver pela televisão, em branco e preto, a chegada do homem na lua. Eliana precisou usar óculos por causa da miopia e deixou os cabelos encaracolados crescerem até a altura dos ombros.
Quase no mesmo compasso dos avanços médicos, a tecnologia voltada para a comunicação também foi melhorando a vida deles. Os respiradores mais leves permitiam deslocamento para outras áreas do hospital. O walkman trouxe a possibilidade de escutar as próprias músicas sem precisar “incomodar” mais ninguém. Os monitores cardíacos ficaram mais precisos e possibilitavam prolongar os banhos de sol. O computador e a internet trouxeram para perto dos dois os cursos on-line. Eliana, com a boca, aprendeu a pintar quadros lindos. 



Paulo Henrique descobriu tudo sobre programas de edição e design, o primeiro passo para os trabalhos que desenvolve hoje.


Mas o que ele quer fazer mesmo é curso superior de cinema. E alimentou este sonho nas cinco vezes em que ficou fora do Instituto por três horas e deu uma passadinha rápida no Shopping Santa Cruz para uma sessão.
“Dormir fora eu não tenho vontade, acho que tenho receio. Quando a gente vai para o mundo, percebe que as coisas são maiores do que estamos acostumados a ver. Não sei se estou pronto para encarar isso”, diz ele.


Eliana, é uma entusiasta da tecnologia e com uma ansiedade por vezes travestida de mau-humor, espera que a chegada de novos aparelhos médicos a possibilitem deixar o hospital. Ela prepara o “ponto final” de seu livro que, em uma referência à aparelhagem que contribuiu para que chegasse aos 37 anos de vida, vai chamar de “Pulmão de Aço”, uma referência ao respirador artificial que a acompanha desde menina.


Ao longo do tempo em que esteve que na posição de paciente Eliana viu o amadurecimento da UTI brasileira e entendeu perfeitamente que a medicina hi-tech foi um dos avanços mais importantes da saúde do País.
“Mas o contato humano e a relação pessoal ainda precisam ser mais trabalhados nestes espaços", diz. As pessoas esquecem que por trás das máquinas existem seres humanos.


Alguns anos atrás eu conheci Eliana nas antigas salas de bate-papo, ela usava o codinome "Violeta Azul" e eu o de "Dustin"...por causa do ator Dustin Hoffman...rsrs...o poema abaixo nasceu quando vi um texto da Eliana em que narrava a sua primeira visita ao mar...num tempo em que sair do hospital causava muitos receios, ainda mais numa praia...bom revê-la assim, tão cheia de entusiasmo, de sonhos e realizações...um exemplo de vida, de força, coragem e perseverança...


Um abraço na alma de todos...


ELIANA, VIOLETA, ROSAS E JASMINS


ELIANA QUIS CONHECER OS MISTÉRIOS DO MAR
DO SEU ENCONTRO COM O CÉU NO HORIZONTE
DO TAL AZUL QUE HABITAVA EM TEUS SONHOS
DO TAL LUAR QUE NA CANÇÃO LHE FEZ CANTAR

VIOLETA AZUL SENTIU NA PELE AS AREIAS
QUE O VENTO FORTE TROUXE AO TEU JARDIM
A BRISA ENTÃO SE APODEROU ASSIM LIGEIRA
FURTANDO EM BEIJOS O FRESCOR DO TEU CARMIM

O TEU OLHAR RECOLHE TELAS INVERTIDAS
QUE TRADUZIDAS EM TEUS LÁBIOS VIRA COR
É O SEU DOM QUE MAIS PARECE A PRIMAVERA
É O TEU AMOR QUE DESABROCHA E VIRA FLOR

A TUA ALMA É COMO A LINDA FLOR DO CAMPO
E A TUA ESSÊNCIA É O QUE TE FAZ VIVER ASSIM
TÃO FORTE E NOBRE COMO A COR DA FLOR DO SÂNDALO
TÃO DOCE E MEIGA COMO A ROSA E O JASMIM

DA TUA PRESENÇA QUEM ME INSISTE É O MAR
QUE SE ENCANTOU DO TEU AMOR PELO AZUL
QUE TE PROCURA NAS AREIAS E NO VENTO
NAS AQUARELAS EM QUE SONHA TE ENCONTRAR

E DESTE SONHO QUE SE FEZ NUM SÓ ENCONTRO
FICOU PRA SEMPRE A SAUDADE EM TEU OLHAR
SE POR ACASO NUNCA MAIS VOLTAR UM DIA
GUARDE NOS OLHOS TODO O AZUL QUE AMOU DO MAR
ELCIO TUIRIBEPI 






15 comentários:

  1. Diante deste brilhante depoimento, eu me pergunto o porquê alguns não agradecem a Deus a vida que tem. Obg, amigo Élcio, o que vc escreveu amplia a nossa visão de como a vida é divina. Um excelente finde. Abçs de admiração.pergunto o porquê alguns não agradecem a Deus a vida que tem. Obg, amigo Élcio, o que vc escreveu amplia a nossa visão de como a vida é divina. Um excelente finde. Abçs de admiração.

    ResponderExcluir
  2. Que maravilhosa história desses dois que não perdem o pique da vida e tem anseios futuros. Lindo! abraços,chica

    ResponderExcluir
  3. Uma gde lição de vida, muitos precisam ver essas duas histórias, fé,força, esperança, amor pela vida...

    Bom fim de semana Élcio.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  4. Força de vontade mito acima da média...
    e tem gente que fica fazendo continha de quanto um pedinte pode ganhar no sinal.. heheheheh
    bjs mano

    ResponderExcluir
  5. Élcio eu estou há dois meses chorando porque perdi a minha mãe, uma senhora com 77 anos, dos quais 23 passou sob o efeito de um AVC, mesmo assim saudável, andando, falando, passeando, participando, a última participação dela em família foi no natal passado, lá estava ela, sentadinha após subir vários degraus de escada.
    O egosísmo nos faz esquecer o que os outros estão passando, nunca imaginei, nos meus 54 anos de vida que alguém sobrevivesse em uma UTI por tantos anos. Olhando a coragem deles, mesmo com tão pouco. Fico imaginando como conseguem sorrir e eles conseguem, estão sorrindo! A moça escreve poesia!
    Ontem fez dois meses do falecimento de minha mãe e na postagem coletiva do qual participo, falei sobre isso chorando. Minhas amigas me disseram palavras lindas de conforto. Mas, só agora lendo a sua postagem consegui o verdadeiro conforto e te digo mais, não vou mais chorar, vou descobrir um jeito de visitar pessoas como essas que devem precisar muito de calor humano. Obriga, Élcio pela sua postagem. Um abraço.

    ResponderExcluir
  6. Nó na garganta.

    Não tenho muito a dizer, apenas que admiro pessoas que renovam as forças e a fé diariamente e que frente a casos assim, me sinto envergonhada pelas vezes que reclamo da vida sem ter motivos reais.

    Um beijo, belo post.

    ResponderExcluir
  7. Oi Mari...vai sim...tenho certeza que fará bem a vocês duas. Além de conhecer um grande exemplo de força e perseverança você poderá dar e receber, você poderá compartilhar das boas energias que um gesto assim nos concede. Creio que será gratificante para as duas partes.
    Um abraço na alma....bjo

    ResponderExcluir
  8. Oi, Elcio! Quanto tempo passei sem vir por aqui...
    Lindas histórias de superação e amor pela vida. Me fez lembrar meu tio, ele já está no outro plano. Assim como o Paulo e a Eliane ele tinha paralisia infantil e era um verdadeiro exemplo de superação. Não ficou em cima de uma cama, não tinha os movimentos dos membros inferiores, e isso o possibilitou fazer faculdade, casar e ter filhos (quatro). Nos deixou cedo, mas nos deixou belas lições, era um homem forte e tinha um lindo coração.
    Obrigada por nos presentear com estas belas histórias de fé e esperança!

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Elcio,
    Não tenho duvidas,sobretudo a grandeza do ato,está em compartilhar vivências...Diante desta lição,afirmo que nada sei da vida...
    bjo
    Mari

    ResponderExcluir
  10. Olá, Élcio
    Que incrível perseverança!!
    E pensar que somos tão instáveis... por qualquer coisinha nos desmoronamos...
    Lição de vida pura!!!
    Poema maravilhoso numa junção do mar e do amor...
    Abraços fraternos de paz e ótima semana junto aos seus.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Élcio! Fiquei com lágrimas nos olhos ao ler seu post. Fico impressionada com a força e com a vitalidade de Eliane e Paulo. Na verdade, eles nos dão uma tremenda lição de vida. O seu relato é surpreendente, Élcio. O poema é lindo - é sua sensibiliddae presente sempre... na vida das pessoas: " atua alma é como a linda flor do campo..." Grande beijo!

    Obrigada pelo lindo comentário lá no ensaios. É precioso demais!

    ResponderExcluir
  12. Depois de te ler, fiquei assim, com 'cara de paisagem', coração sem cenário, à deriva no peito... Penso, em quantas vezes, me senti triste por sofrer de saudades e de solidão...Que egoísmo o meu!! Saio com um nó na garganta e com o mais profundo e sincero agradecimento a Deus...Um beijo, meu querido Élcio, bom estar aqui, te ler e me emocionar.

    ResponderExcluir
  13. Na minha curiosidade em descobrir blogs, por acaso entrei no seu blog e que surpresa enorme encontrei um lindo blog que conta uma fasciante historia de superaçaõ e exemplo de vida..amei tuas poesiase vou ser sua seguidora, e todos os dias vou viajar nos teus poemas e escritos...

    bj no teu coração poetico

    ResponderExcluir

Semeando