domingo, 20 de maio de 2012

Adorei essa imagem...rs...casei com o texto da Clarice...

 





Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completo quando não entendo. Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doido. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo.

Clarice Lispector

sábado, 12 de maio de 2012

MÃE...PORQUE MÃE É MÃE...RS

ENTÃO...SEM MAIS PALAVRAS...RS...PORQUE MÃE É ISSO...RS

FELIZ DIA DAS MÃES PARA TODOS...ABRAÇO NA ALMA...BEIJO NO CORAÇÃO

terça-feira, 8 de maio de 2012

Os nossos "EUS"


Somente a própria auto observação e a lembrança de si, podem cristalizar o nosso Eu Real, que existe subjacente, eterna ou atemporalmente.
Gurdjieff



Os Nossos Eus

Esses eus de que somos feitos, sobrepostos como pratos empilhados nas mãos de um empregado de mesa, têm outros vínculos, outras simpatias, pequenas constituições e direitos próprios - chamem-lhes o que quiserem (e muitas destas coisas nem sequer têm nome) - de modo que um deles só comparece se chover, outro só numa sala de cortinados verdes, outro se Mrs. Jones não estiver presente, outro ainda se se lhe prometer um copo de vinho - e assim por diante; pois cada indivíduo poderá multiplicar, a partir da sua experiência pessoal, os diversos compromissos que os seus diversos eus estabelecerem consigo - e alguns são demasiado absurdos e ridículos para figurarem numa obra impressa.

Virginia Woolf, in "Orlando"